Traditional Geocache

[002.CDV] - História do Vinho e da Vinha

A cache by geocadaval Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 5/7/2010
In Lisboa, Portugal
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size: micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


História do Vinho e da Vinha

Baco, deus do vinho Mitologia Grego-Romana

Antes de conhecermos a lenda de Baco é interessante saber um pouco da Mitologia Greco-Romana. Na Grécia, antes do cristianismo, numa época bem primitiva, existia uma grande profusão de deuses e semideuses, representados pelos fenómenos da natureza. Os poetas da época contavam a história dos deuses de maneira lírica e por não saberem explicar cientificamente como a natureza se apresentava exteriormente, criavam lendas para tudo. O sol, os rios, os vulcões, tudo era objecto para os poetas explorarem e criarem crenças que eram fartamente divulgadas. Com a lenda criada, restava aos escultores, autenticá-las e materializá-las com esculturas, que na falta de modelo mais perfeito as faziam semelhantes aos humanos. O deus maior era Júpiter ou Zeus, rei dos deuses e dos homens, que tinha como esposa Juno ou Hera e várias amantes que podiam ser deusas ou simples mortais.

Dionísio & Baco

Dionísio para os gregos e Baco para os romanos, o deus do vinho nasceu da união de Júpiter com Sêmele. A mortal Sêmele era filha de Cadmo (rei de Tebas) e Harmonia. O romance de Júpiter e Sêmele provocou a ira e o ciúme de Juno , que se transformou na ama-de-leite de Sêmele e a induziu a desconfiar da verdadeira identidade de Júpiter. Para provar que realmente era o deus Júpiter, ele prometeu atender a qualquer pedido de sêmele, que carregava no ventre um filho seu. Sêmele então, persuadida por Juno, pediu a Júpiter que a fosse visitar levando consigo raios e trovões. Como sêmele era mortal e morava numa casa comum, logo a casa pegou fogo e sêmele veio a falecer queimada. Vendo Júpiter que ia perder também o filho, tirou o embrião de seis meses do ventre de sêmele e o costurou em sua coxa onde ficou até o nascimento. Quando Baco nasceu, Júpiter temendo a ira de Juno, o entregou as Ninfas e aos sátiros para que eles o criassem no Monte Nisa. Baco teve então dois nascimentos, um quando da plantação da vinho outro quando da colheita e feitio do vinho.

O surgimento do vinho

Baco que foi criado pelas Ninfas em cavernas, quando adolescente espremeu cachos de uvas maduras de uma vinha que existia na porta da caverna e descobriu que podia fazer vinho. Ao experimentar o mosto da uva, percebeu que a sua descoberta era muito saborosa e que também lhe dava forças e alegria. Naquele momento ele estava inventando o vinho. Baco chamou as Ninfas e juntos fizeram uma grande festa regada a muito vinho. Com aparência afeminada, Baco se vestia com pele de pantera e usava na cabeça uma coroa com folhas da videira e cachos de uva. Quando adulto, Baco, já considerado o inventor do vinho e desejoso de ser considerado deus (como ele era filho do deus Zeus com a mortal Sêmele, não o consideravam divino) andava pelo Mundo ensinado desde a plantação da videira até o fabrico do vinho e reivindicando sua divindade aos homens e aos seres do Olímpio. Numa destas andanças encontrou seu amor Érigone. Para atraí-la transformou-se num belo cacho de uvas e logo depois da bodas tiveram o filho Estáfilos, cujo nome significa uva. Numa outra lenda, Baco era filho de Sêmele e Júpiter e sua esposa chama-se Ariadne e foi considerada seu único amor.
Baco, pelo prestígio do vinho e depois de ver o culto ao vinho espalhado por toda a humanidade, recolheu-se aos céus, pois tem lugar garantido entre os seres olímpicos, precisamente junto a Júpiter.

Importância do Vinho no Cadaval.

No Cadaval sendo uma vila onde a exploração vitivinícola, é um ponto-chave da económica para a agricultura local, sendo esta zona conhecida por adequadas a castas como Cabernet Sauvignon, Trincadeiro, Tinta Roriz e Aragonez, nas castas de tinto e o tão afamado Moscatel em vinhos Leves Branco, Vinhos Leves estes representados pelas Adegas Cooperativas de Cadaval e Vermelha, tendo nos seus vinhos CONFRARIA e MUNDUS (respectivamente), as “estrelas da companhia”, vinhos já premiados com medalhas de ouro em, várias Feiras e Festivais de Vinho, como o “Certame das Adiafas”, realizadas todos os anos no nosso Concelho. Não esquecendo os proprietários de quintas da zona que para além de fornecerem as ditas adegas, também já produzem os seus próprios vinhos, demonstrando a polivalência e importância na economia local.

Adega Cooperativa do Cadaval

Adega Cooperativa da Vermelha

--------------##------------




Projecto GeoCadaval "Cadaval - A Flôr do Oeste"



Additional Hints (Decrypt)

ab cé

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

365 Logged Visits

Found it 308     Didn't find it 30     Write note 2     Temporarily Disable Listing 6     Enable Listing 6     Publish Listing 1     Needs Maintenance 5     Owner Maintenance 4     Update Coordinates 1     Post Reviewer Note 2     

View Logbook | View the Image Gallery of 42 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated: on 5/20/2017 10:15:01 PM Pacific Daylight Time (5:15 AM GMT)
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum