Skip to Content

This cache has been archived.

Insano: RIP

More
<

Vitória

A cache by BA Baracus & Malucos e Insanos Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 12/27/2009
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size: micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Judiaria do Olival

A comunidade judaica, situada extramuros, em Miragaia (ocupando uma área que ia das Virtudes até ao Convento de Monchique, Rua da Bandeirinha e Largo do Viriato) foi, ao tempo de D. João I, compelida a instalar-se na zona do Olival. Assim, surge a Judiaria Nova no lugar designado pela Câmara (a pedido do Rei). Era cercada por um muro e estendia-se pela Rua de S. Bento da Vitória (onde, à entrada, tinha uma porta), Rua de S. Miguel, Rua das Taipas, Rua de Belomonte e Escadas da Esnoga (em cuja saída se achava a segunda porta).

A localização da Sinagoga da Judiaria Nova tem sido uma questão polémica, já que são várias as hipóteses levantadas. Com efeito, sabemos que, após a expulsão dos judeus de Castela, em 1492, trinta famílias judaicas viriam a instalar-se no Porto, na Rua de S. Miguel (depois, Rua de S. Bento da Vitória), onde, por ordem de D. João II, a cidade lhes deu trinta casas. Entre elas achar-se-ia a Sinagoga. A hipótese mais discutível é a que aponta o terreno onde mais tarde se construiria o mosteiro de S. Bento da Vitória; outras inclinam-se para a Viela da Esnoga ou as Escadas da Vitória e, a mais plausível, para o lugar onde se ergueria futuramente a Igreja de Nossa Senhora da Vitória.

Igreja de Nossa Senhora da Vitória

No local onde hoje se encontra a Igreja de Nossa Senhora da Vitória existia uma capela com a mesma invocação que, em 1638, foi substituída por um templo de maiores dimensões. Em 1755, uma nova igreja é mandada erguer pelo bispo D. Frei António de Sousa, a suas expensas. A Igreja de S. José das Taipas passou a servir de paroquial enquanto as obras ali decorriam. O novo templo ficou concluído em 1769, sendo o Santíssimo Sacramento transferido em 7 de Agosto, uma vez que se encontrava em S. José das Taipas desde 4 de Maio de 1755, quando se iniciaram os trabalhos.

Seriamente danificada durante o Cerco do Porto, a paroquial foi novamente transferida, desta vez para S. Bento da Vitória, enquanto decorria a sua reconstrução, em 1852. Anos depois, em 1874, um incêncio destruiu o altar-mor e a imagem da padroeira, tornando-se necessária nova intervenção. Foi encomendada a Soares dos Reis uma nova escultura da Virgem, cuja cabeça, não tendo agradado aos paroquianos, foi substituída por outra mandada executar a um santeiro.

A igreja, no seu interior, tem a presença dos maiores artistas do rococó portuense: Francisco Pereira Campanhã, autor do retábulo-mor (1765) e dos riscos de toda a talha; e José Teixeira Guimarães que executou os púlpitos (1768); a sanefa do arco cruzeiro (1769-1779) e os quatro retábulos laterais (1772-1773). O retábulo-mor viria a ser reedificado e aumentado, em 1780, pelo mestre entalhador Damião Pereira de Azevedo.

Rua de S. Bento e de S. Miguel da Vitória

Na Rua de S. Bento da Vitória encontra-se a Sede da Polícia Judiciária, instalada num palacete de finais do século XIX-inícios do século XX. Mandado construir por José Monteiro de Almeida (comerciante abastado casado com a filha de E. W. Allen, cônsul britânico), foi vendido mais tarde a José Gaspar da Graça, também comerciante. Conhecido pela Casa da Baronesa da Regaleira, teve diversas funções: Colégio Podestá (1853); Correio Central (1857), que em 1880-1881 foi transferido para o Palacete da Batalha; Teatro Vitória (ainda nos anos 80); e Liceu Central do Porto (1887), mais tarde chamado Rodrigues de Freitas.

Ao fundo da Rua de S. Bento da Vitória, entre a igreja e o largo fronteiro, corre a Rua da Bateria da Vitória (o topónimo atribuído por deliberação camarária de 28 de Outubro de 1835), cujo nome surge em memória da bateria que aí foi colocada durante o célebre Cerco do Porto e que desempenhou um papel relevante na defesa da cidade.

Na Rua de S. Miguel (que recebeu este nome da actual Rua de S. Bento da Vitória e antes assim chamada por estar orientada para o Recolhimento de S. Miguel, o Anjo) existe uma casa com painéis da segunda metade do século XVIII, provenientes do Mosteiro de S. Bento da Vitória.

in PortoTurismo, www.portoturismo.pt

Cache
O lugar foi-me apresentado e senti vergonha por não o conhecer sendo eu do Porto. Para mim é um lugar WOW, numa rua cheia de património. Partilho convosco! Cache tamanho small. Deixem bem escondida para não ser detectada pelos non-geocachers. Aproveitem a vista!

Additional Hints (Decrypt)

Zntargvp

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

494 Logged Visits

Found it 418     Didn't find it 44     Write note 8     Archive 1     Temporarily Disable Listing 7     Enable Listing 6     Publish Listing 1     Needs Maintenance 3     Owner Maintenance 1     Update Coordinates 3     Post Reviewer Note 2     

View Logbook | View the Image Gallery of 60 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated:
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.