Skip to content

WellCome Seroa Traditional Cache

This cache has been archived.

Bitaro: Esta cache foi arquivada por falta de uma resposta atempada e/ou adequada perante as situações relatadas.
Relembro a secção das Guidelines sobre a manutenção http://support.groundspeak.com/index.php?pg=kb.page&id=307#maint :

Você é responsável por visitas ocasionais à sua geocache para assegurar que está tudo em ordem para funcionar, especialmente quando alguém reporta um problema com a geocache (desaparecimento, estrago, humidade/infiltrações, etc.), ou faz um registo "Precisa de Manutenção". Desative temporariamente a sua geocache para que os outros saibam que não devem procurar a geocache até que tenha resolvido o problema. É-lhe concedido um período razoável de tempo - geralmente até 4 semanas - dentro do qual deverá verificar o estado da sua geocache. Se a geocache não estiver a receber a manutenção necessária ou estiver temporariamente desativada por um longo período de tempo, poderemos arquivar a página da geocache.

A região onde um geocacher é considerado capaz de manter geocaches responsavelmente irá variar de pessoa para pessoa. Um geocacher que anteriormente fez registo de geocaches numa área alargada a partir da sua residência pode ser considerado habilitado a manter uma geocache a 200 milhas (322 Km) de distância. Contudo, alguém cujas actividades de geocaches têm sobretudo estado dentro da distância de 25 milhas (40km) de sua casa não deverá estar preparado para manter uma geocache tão distante de casa. O critério usado nesta situação fica a cargo do revisor da geocache ou pela Groundspeak.

Por causa do esforço requerido para manter uma geocache, por favor coloque geocaches físicas no seu espaço habitual de geocaching e não em sítios para onde costuma viajar. Geocaches colocadas durante viagens não serão muito provavelmente publicadas a menos que possa fornecer um plano de manutenção adequado. Este plano deve permitir uma resposta rápida a problemas reportados, e deverá incluir o Nome de Utilizador de um geocacher local que irá tomar conta dos problemas de manutenção na sua ausência. Alternativamente poderá treinar uma pessoa local para fazer manutenção à geocache. Documente o seu plano de manutenção numa Nota ao Revisor ou na sua página de geocache. Isto deverá incluir a informação contacto da pessoa que irá efectuar a manutenção. A nota irá ser apagada automaticamente aquando da publicação.

Se no local existe algum recipiente por favor recolha-o a fim de evitar que se torne lixo (geolitter).

Como owner, se tiver planos para recolocar a cache, por favor, contacte-me através do mail indicado no meu perfil e refira o GC Code da cache.
Lembro que a eventual reativação desta cache passará pelo mesmo processo de análise como se de uma nova cache se tratasse, com todas as implicações das Guidelines actuais.

Obrigado pela colaboração
Bitaro
Community Volunteer Reviewer

Centro de Ajuda
Trabalhar com o Revisor
Revisões mais rápidas
Linhas Orientação|Políticas Regionais - Portugal

More
Hidden : 09/23/2010
Difficulty:
1 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Seroa

Nos limites a sul do concelho de Paços de Ferreira, a freguesia de Seroa foi durante muito tempo conhecida pelo nome do seu orago, S. Mamede. Chamaram-lhe depois Seroja, Asseroya e Seroia.

Seroa, de seroar, para quem descansa depois do trabalho, diz Manuel Vieira Dinis.

O lugar de Vilar abarcou já a parte mais importante da freguesia na época manuelina e depois dela. Próximo, apareceu um conjunto de mamoas e fornos cerâmicos a testemunhar a antiguidade do povoamento. Infelizmente, todo o conjunto foi destruído, incluindo um último em S. Simão.
Resta a memória de uma antiga ermida dedicada a S. Simão.

Quem de Paços se dirige ao Porto, talvez não saiba que estes caminhos, antes do alcatrão, foram calcorreados por quem ao Porto ia a buscar e trazer. Por eles passaram sobretudo os almocreves, também conhecidos pelos da Poupa, talvez pela devoção que estes honrados profissionais de transportes de mercadorias tinham ao Senhor do Padrão, no Outeirinho da Poupa.
Aí, a devoção construiu um simples cruzeiro com uma imagem de Cristo. Para que não estivesse exposto ao tempo, os almocreves, no século passado, fizeram-lhe um abrigo. Daqui, a origem da Capela do Senhor do Calvário, com romaria de muita concorrência. Nela, os mordomos nunca se esqueceram de, pela festa do Corpo de Deus, recompensar quem trazia oferendas com o bom pão de Deus em roscas e também vinho do cântaro.

A capela actual tem algum interesse, com os seus dois corpos anexos e de diferentes datas (1764-1774). Interessante é a escultura popular do padrão, em granito.
A igreja paroquial, construída em 1701 com pedraria fornecida por ajuste ao mestre pedreiro Damião da Rocha, de Santiago de Fonte Arcada, foi considerada diminuta e por isso se construiu recentemente um elegante e moderno templo. Mas a anterior igreja lá continua, com um belo púlpito, e frontispício e colaterais dignos do barroco nacional. É belo também o seu padrão. Na sacristia da igreja antiga, dois painéis de madeira pertenceram por certo a um retábulo já não existente. A pintura está a desaparecer mas permite ainda identificar, num deles, a Senhora a amamentar o Menino.

Esta igreja, apesar de muito bonita já não respondia às necessidades de uma freguesia em expansão. Em 25 de Março de 1986, foi iniciada a construção de uma nova igreja, onde se realizam actualmente as principais cerimónias religiosas. Esta nova igreja de Seroa, é ampla e moderna, foi construída à face da estrada no lugar de Arroteia.
Merece igual atenção a escultura da Nossa Senhora da Natividade, na igreja antiga.
Do oratório de Santa Ana foram encontrados vestígios, por volta de 1938, no caminho que da Poupa se dirige para a cruz do adro. Havia uma fonte denominada de Sant’Ana, num desvão do dito caminho. Há alguns anos descobriu-se um precioso fresco alusivo a Sant’Ana, em nicho colateral ao altar-mor da matriz seroense. Reza a tradição que a matriz fora deslocada de S. Mamede para o lugar actual. Naturalmente que o oratório de Sant’Ana viu diminuir-lhe os devotos. Ficou o topónimo, e não se deitou fora.

Additional Hints (Decrypt)

nmrvgr

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)