Skip to content

This cache has been archived.

CarmotinocoTeam: Boa tarde
esta caixa está a ser arquivada por ser impossível de recuperar.
Tudo será removido e o local fica disponível para outras caches

More
<

Samhain

A cache by Carmotinoco Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 09/29/2011
Difficulty:
5 out of 5
Terrain:
3 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Samhain

A Cache não está nas coordenadas indicadas.

 

Naquele tempo, em que o domínio romano se estendia pela europa e a sua língua, costumes e crenças se impunham sobre todas as outras, naquele tempo em que os druidas se embrenhavam mais e mais nas densas florestas, tentando preservar e transmitir o seus conhecimentos sagrados, as suas mágicas fórmulas os seus rituais, as suas festas de celebração da vida, das colheitas de renascimento e morte, fugindo da perseguição movida, histórias aconteciam, e eram contadas, histórias simultaneamente belas e tristes que com o próprio tempo se tornaram lendas.

“A jovem corria, chamava-se Arela e tinha cerca de 24 anos, feitos no mês do salgueiro, próximo do festival de Beltane, entranhava-se furtivamente na floresta escura e protectora, estava-se a dois dias da celebração do Samhain e precisava urgentemente de falar com Taran, o druida, dizia-se que era muito velho, quase tão velho como o carvalho junto ao qual vivia e que tinha nascido no mês do amieiro. Precisava de avisá-lo urgentemente que o exército romano se aproximava, tinham chegado notícias de sul avisando que chegariam ali dentro de semanas, não haveria celebração, não poderia haver e tinham de fugir, todos, mas principalmente Taran e Gleide a sacerdotisa, eles sim estavam em perigo, e por certo que Taran não temeria por si, sempre dizia que o tempo para ele nada significava e que um dia voltaria a ser uno com a natureza, mas Gleide era tão jovem, tão bela, nem 15 anos tinha, era sua prima e tinha-a visto crescer, lembrava-se bem do dia em que nascera, era noite e fazia frio, o vento de tormenta soprava forte fazendo os ramos das árvores vergarem-se com um ulular sinistro, Gleide nascera num dia marcante para a sua gente na noite de Imbolc. Neste momento perguntava-se se a tormenta daquela noite não teria sido um presságio que agora se concretizava, um mau presságio! Cansada chegou às imediações da aldeia, encostou-se ao tronco do velho carvalho junto ao qual vivia Taran, o coração parecia saltar-lhe do peito. Ganhou forças e chamou baixinho Taran. O velho Druida veio ver quem o chamava, testa franzida pressentindo a urgência no chamamento sussurrado. Rapidamente Arela contou-lhe o que o jovem Alam lhe transmitira e que as gentes da sua aldeia já tinham fugido. Taran manteve um silêncio profundo, fechou os olhos, depois abriu-os de novo, rodou lentamente a cabeça e perscrutou os sons da floresta, de seguida abanando a mão disse a Arela que acordasse toda a gente, não havia tempo, eles estavam mais perto do que lhe tinham transmitido. Deveria ir de cabana em cabana e dizer a todos para se juntarem no prado em volta do círculo sagrado porque teriam de partir. Assim foi feito. Todos se reuniram, todos escutaram o aviso e todos tentaram juntar os poucos haveres que poderiam transportar já que nada poderiam fazer para evitar o ataque, para trás ficariam apenas os homens, novos e velhos junto com Taran.

Ainda nessa madrugada, Taran e Gleide silenciosa e furtivamente entraram na floresta transportando o que de mais precioso possuíam, algo que não podendo levar consigo, nem deveria cair nas mãos dos invasores e que deveria ser escondido. Assim o fizeram. A memória do local onde o “tesouro” foi escondido foi sendo transmitido de geração de sacerdotisas em geração, até se tornar uma lenda contada nas frias noites de inverno junto às lareiras.

Dois dias depois o ataque aconteceu, brutal e mortífero. No fim, na clareira do círculo sagrado ficaram 14 guerreiros caídos. 

Para encontrar o “tesouro” escondido por Taran e Gleide naquela noite e que os 14 guerreiros protegeram com as suas vidas terá de descobrir o dia de nascimento de cada um dos guerreiros caídos naquele longínquo dia:

 Brennus – nascido no 12º dia do mês da Bétula
Taran - nascido no 15º dia do mês do Amieiro
Alam - nascido no 18º dia do mês do Amieiro
Selmo – nascido no 28º dia do mês do Carvalho
Bronwen – nascido no 27º dia do mês do Azevim
Sheridan – nascido no 18º dia do mês da Sorveira Brava
Chad – nascido no 20º dia do mês do Salgueiro
Gleno – nascido no 12º dia do mês da Hera
Kelvin – nascido no 11º dia do mês do Sabugueiro
Phelan – nascido no 1º dia do mês do Azevim
Ronei – nascido no 31º dia do mês da Aveleira
Tagar – nascido no 4º dia do mês da Videira
Vaughan – nascido no 24º dia do mês do Espinheiro

Notas:

Festivais Celtas

Imbolc- celebrado em 1 de Fevereiro, é associado à deusa Brigit, a Mãe-Deusa protectora da mulher e do nascimento das crianças;

Beltane- celebrada em 1 de Maio. (também chamado de Beltine, Beltain, Beal-tine, Beltan, Bel-tien e Beltein) Significa "brilho do fogo". Esta cerimônia, muito bonita, é marcada por milhares de fogueiras;

Lughnasadh- (também conhecido como Lammas), dedicado ao Deus lugh, celebrado em 1 de Agosto;

Samhain- a mais importante das cerimónias, celebrada em 1 de Novembro. Hoje associada com o Hallows Day, celebrado na noite anterior ao Halloween.

Celtasé a designação dada a um conjunto de povos (um etnónimo), organizados em múltiplas tribos e pertencentes à família linguística indo-europeia que se espalhou pela maior parte do oeste da Europa a partir do segundo milénio a.C.. A primeira referência literária aos celtas (Κελτο?) foi feita pelo historiador grego Hecateu de Mileto no século VI a.C.

Boa parte da população da Europa ocidental pertencia às etnias celtas até a eventual conquista daqueles territórios pelo Império Romano; organizavam-se em tribos, que ocupavam o território desde a península Ibérica até a Anatólia. A maioria dos povos celtas foi conquistada, e mais tarde integrada, pelos Romanos, embora o modo de vida celta tenha, sob muitas formas e com muitas alterações resultantes da aculturação devida aos invasores e à posterior cristianização, sobrevivido em grande parte do território por eles ocupado.

Existiam diversos grupos celtas compostos de várias tribos, entre eles os bretões, os gauleses, os escotos, os eburões, os batavos, os belgas, os gálatas, os trinovantes e os caledônios. Muitos destes grupos deram origem ao nome das províncias romanas na Europa, as quais que mais tarde batizaram alguns dos estados-nações medievais e modernos da Europa.

Os celtas são considerados os introdutores da metalurgia do ferro na Europa, dando origem naquele continente à Idade do Ferro (culturas de Hallstatt e La Tène)

 

 

Distribuição diacrônica dos povos celtas:

¦¦  núcleo do território Hallstatt, por volta do século VI a.C.

¦¦  expansão máxima dos celtas, por volta do século III a.C.

¦¦  área lusitana da península ibérica onde a presença dos celtas é incerta.

¦¦  as "seis nações célticas" que mantiveram o uso da língua de origem celta na Idade Moderna

¦¦  áreas onde as línguas celtas continuam a ser faladas hoje

A Cache:Não está nas coordenadas indicadas. Trata-se de um contentor médio e contém o habitual: Cache note / logbook, dispõe de pouco espaço para lembranças e material de escrita, por isso tragam com que escrever. Por favor tenha o cuidado de deixar tudo conforme encontrou.

A cache não está no muro, encontra-se camuflada por elementos naturais.

You can check your answers for this puzzle on Geochecker.com.

Additional Hints (No hints available.)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.