Skip to content

This cache has been archived.

btreviewer: Esta cache foi arquivada por falta de uma resposta atempada e/ou adequada perante as situações relatadas. Relembro a secção das guidelines sobre a manutenção http://support.groundspeak.com/index.php?pg=kb.page&id=307#maint :

[quote]
You are responsible for occasional visits to your cache to maintain proper working order, especially when someone reports a problem with the cache (missing, damaged, wet, etc.). You may temporarily disable your cache to let others know not to search for it until you have a chance to fix the problem. This feature is to allow you a reasonable amount of time – normally a few weeks – in which to check on your cache. If a cache is not being maintained, or has been temporarily disabled for an unreasonable length of time, we may archive the listing.

Because of the effort required to maintain a geocache, we ask that you place physical caches in your usual caching area and not while on a vacation or business trip. It is best when you live within a manageable distance from the cache placements to allow for return visits. Geocaches placed during travel may not be published unless you are able to demonstrate an acceptable maintenance plan, which must allow for a quick response to reported problems. An acceptable maintenance plan might include the username of a local geocacher who will handle maintenance issues in your absence.[/quote]

Como owner, se tiver planos para recolocar a cache, por favor, contacte-me por [url=http://www.geocaching.com/email/?u=btreviewer]e-mail[/url].

Lembro que a eventual reactivação desta cache passará pelo mesmo processo de análise como se fosse uma nova cache, com todas as implicações que as guidelines actuais indicam.

Se no local existe algum container, por favor recolha-o a fim de evitar que se torne lixo (geolitter).

Obrigado

[b] btreviewer [/b]
Geocaching.com Volunteer Cache Reviewer

[url=http://support.groundspeak.com/index.php?pg=kb.page&id=77][i][b]Work with the reviewer, not against him.[/b][/i][/url]

More
<

Vamos a Pesca

A cache by Bad Boy e Familia e Geogemeas Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 01/24/2012
Difficulty:
2.5 out of 5
Terrain:
3 out of 5

Size: Size:   regular (regular)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:

.Para Finalizar esta multi vais ter que fazer um  percurso que consiste mais ou menos 4Km. Aconselho ainda a fazer este percurso a pé ou de bicicleta para poder tirar todo o partido do caminho .Se entender levar o carro aviso que o caminho nem sempre esta nas melhores condições, aconselho um veiculo 4x4


 
 
 
 
Vamos a pesca
 
 
 
Esta Multi é para dar a conhecer a Ponta Dos Corvos (Ponta Do Mato)
Um dos locais onde a praia e o campo combinam quase na perfeição   sendo uma das
zona de lazer para  inúmeras  Famílias que por ali aproveitam a aragem fresca do rio
e desfrutam  as frescas  sombras dos pinheiros para fazer alegres piqueniques .
Ponto e referencia para muitos pescadores que fazem desta zona a sua preferida de pesca
deixo  aqui algumas das espécies que por aqui se apanham :
 
 

 
 
O choco:
Carnívoro e caçador rápido e astuto, bastante voraz, tem o trato digestivo completo, complexo, com tratos ciliados para seleccionar partículas pequenas; boca com uma faringe muscular e com um par de mandíbulas córneas semelhantes a um bico de papagaio invertido e uma rádula, apresenta fileiras transversais de diminutos dentes quitinosos para raspar alimentos, abrindo-se o anûs na cavidade do manto e uma glândula digestiva grande, A cabeça de bom tamanho tem dois olhos conspícuos e uma boca central, a qual é circundada por 10 braços carnosos, contendo ventosas em forma de taça; o quarto par de braços são tentáculos retracteis longos.
Para caçar. o choco nada para a frente com os braços unidos e lança-se sobre a presa ejectando repetidamente água pelo sifão; os braços separam-se, a presa é agarrada e levada para a boca, mordida pelas mandíbulas e deglutida. Tem uma enorme capacidade de fuga aos predadores, não só pela sua velocidade como pela capacidade de alterar a sua coloração para se confundir com o ambiente e o jacto de "tinta" que expulsa da bolsa do ferrado, destinado a turvar a água permitindo-lhe a fuga.
Técnicas de pesca para o Choco:
Cana com amostra (toneiras ou palhaços)
 
Dourada:
A dourada deve o seu nome à banda de cor dourada que apresenta na cabeça, que une os olhos. É um peixe que não se afasta do litoral e raramente ultrapassa os 30 m de profundidade. Aqui entre as rochas e pradarias de erva marinha, encontra o seu alimento preferido - mexilhões. Sendo da família dos sargos, pargos, bogas e gorazes, tem o corpo todo coberto por escamas, é lateralmente comprido, de dorso alto, cabeça pequena em relação ao resto do corpo, boca pequena, nariz curto e olhos grandes. Barbatanas muito desenvolvidas e espinhosas, de cor cinzento azulado no dorso, prateado no abdómen, com uma lista dourada entre os olhos dai a proveniência do seu nome. É um peixe muito vulgar nas nossas águas sendo a sua distribuição geográfica no Atlântico, desde as ilhas Britânicas até Cabo Verde, incluindo as Canárias e Mediterrâneo podendo aparecer ainda no Mar Negro. São geralmente sedentários e solitários mas pode-se encontrar em pequenos cardumes, apesar de uma descrição tão feroz é um peixe muito tímido. Andam normalmente próximo das costas, Aparece até aos 150 metros de profundidade, mas é mais frequente estarem entre 25 e 30 metros.
Alimentação:
Mexilhão.
Reprodução:
durante Dezembro.
Isco:
caranguejos moles, sardinha, navalha, amêijoa, camarão, casulo ou outros anelídeos.
 

 
 
Corvina:
tamanho máximo até 2,30m comum em Portugal, vivem tipicamente no fundo. Aparecem quase sempre em locais arenosos ou de cascalho. Raramente circulam sobre pedras. Estão entre as espécies mais procuradas por quem gosta de trabalhar com iscas naturais de fundo.
O tamanho pode exceder os 70 cm. Alimentam-se de camarões, pequenos peixes, caranguejos e mariscos dos mais variados tipos. São amareladas, com reflexos dourados. Pesca-se a partir de praias ou pontões,
Alimentação:
peixes como a sardinha, cavala, tainhas, e ainda crustáceos.
Reprodução:
durante o Verão.
Isco:
gosta de iscos vivos como caranguejos pilados ou outros, sardinha, camarão, lula, choco e também pode ser capturada com amostras tipo zagaia.

 
Robalo:
Predador voraz que pode chegar até aos 11kg, e medir cerca de 100cm. Muito frequente nas nossas costas, e penetra com frequência nos estuários; forma cardumes compactos para a reprodução.  Gosta de fundos baixos constituídos por lages(rochas planas e rasas no fundo), e de fundos de areão, preferindo águas agitadas com arrebentação para se alimentar. Existe outra espécie de robalo chamada vária ou baila, este ao contrario do robalo comum tem pequenas manchas pretas dispersas sobre o dorso e os flancos
Alimentação:
 Pequenos peixes e de uma grande variedade de invertebrados (camarões, caranguejos, lulas, etc...).
Reprodução:
de Janeiro a Março. Atinge a maturidade sexual no segundo ano para o macho(23 a 30 cm), e no terceiro ano para as fêmeas(31 a 40 cm).
Isco:
Poderá utilizar para sua captura, sardinha, caranguejo, brocha de polvo, lula,  lingueirão, camarão, sardinha, camarão da pedra vivo, casulo, ganso e mexilhão. Podem-se utilizar amostras artificias de peixes de borracha, plástico ou metal para se pescar neste caso ao corrico.
 
 
 
 
Sargo:
Pode atingir até 25 cm de comprimento e 3,5kg, há várias espécies de sargo como o sargo legitimo, o sargo veado e o olho-de-boi ou safia. Muito frequente nas nossas costas em fundos rochosos e também fundos de areia onde é menos frequente. O sargo é um peixe marisqueiro. Pescar com facilidade o sargo, exige que o pescador vá de munido de iscos como a gamba e o camarão. No entanto também se obtêm bons resultados iscando com vermes e moluscos bivalves nomeadamente o berbigão e o caranguejo mole e o de dois cascos. É pescado à bóia e ao fundo em qualquer altura do ano, sendo condições boas, por excelência, para pescar os maiores as marés vivas e os pesqueiros de fundo rochoso.
Alimentação:
carnívoro(larvas, crustáceos e moluscos.)
Reprodução:
de Abril a Junho. Maturidade sexual atingida ao fim de um ano(cerca de 10cm).
Isco:
para o capturar poderá utilizar ameijoa, berbigão, camarão, longueirão, minhoca ou caranguejo.
 
 
 

 

O Charroco:

Um peixe impressionante e um predador temível. Com "cara de poucos amigos", vive entre os 10 e os 50 metros de profundidade, passando grande parte do tempo semi-enterrado no fundo, na areia ou lama, ou debaixo de pedras,  à espera que as presas passem ao seu alcance para num ápice as engolir com a sua bocarra enorme, com dentes fortes, o maxilar inferior é proeminente, com  expansões cutâneas, o que lhe permite engolir presas muito grandes.
 Tem hábitos solitários, é sedentário e alimenta-se basicamente de peixes, crustáceos e moluscos, embora não enjeite os vermes.
 Contrariamente ao que se pensa, a presença do xarroco indica água de boa qualidade, pois não tem grande resistência a águas poluídas.
 É bastante comum nos estuários dos Rios Sado e Tejo e os poucos pescadores que o aproveitam fazem-no normalmente em caldeiradas ou sopa de peixe.
Técnicas de pesca para o Charroco:
Cana e anzol embora seja  muitas vezes capturado de forma acidental
 

 

 

 
 

 
 

 
 

Additional Hints (Decrypt)

Zntaégvpn

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.