Skip to content

This cache has been archived.

paidaines: Por motivos de força maior vou deixar de ir a Miranda do Douro, portanto não faz sentido manter esta cache. Grato a todos aqueles que visitaram o local, espero que tenham gostado tanto como eu de as conceber. Até um dia...

More
<

L'auga de Miranda

A cache by paidaines Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 08/10/2012
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Translation

L'auga de Miranda

A nossa primeira multi é dedicada à agua, esse líquido tão precioso e vital à vida humana. Nunca é demais lembrá-lo e, vai daí, decidimos propor uma visita a dois locais emblemáticos de Miranda do Douro e os quais, estranhamente, não são muito conhecidos até dos próprios habitantes desta bela cidade transmontana. As coordenadas iniciais são da Fonte dos Canos, à qual se chega depois de atravessarmos a Ponte dos Canos. Trata-se de uma ponte medieval de tabuleiro plano com uma largura máxima de quatro metros, assente em três arcos quebrados desiguais, sendo o arco central o maior. Apresenta ainda dois talha-mares altos e guardas de alvenaria de xisto, rematadas por silhares graníticos. Localizada sobre o rio Fresno, faz parte de uma antiga estrada que ligava Miranda do Douro a Duas Igrejas.

Quanto à Fonte dos Canos, um bom exemplar do estilo barroco em cantaria, do tipo relicário, sustentado por pilares de secção quadrada e com um alpendre de planta quadrada. Encontra-se coberto por um telhado piramidal, em escama. Sobre a cornija, encontra-se um painel às Almas, de orla emoldurada e com remate superior em verga curvada na parte central, em forma de arco abatido, tendo na base uma inscrição.

Observem e tomem notas:

  • A - Número de bicas da fonte
  • B - Número de almas que ardem no purgatório
  • C - Dois últimos algarismos (dezenas e unidades) do ano referido na pedra por cima da fonte
  • Depois de recolherem estes dados, proponho que sigam viagem para o Aqueduto do Vilarinho. Este património, ainda que raro, é pouco conhecido por quem demanda ao Nordeste Transmontano e, também, pela própria população da região. Mas o certo é que, no Norte do país, o Aqueduto do Vilarinho só tem paralelo em Vila do Conde, mas nem por isso integra os roteiros turísticos de Trás-os-Montes e, muito menos, de Portugal.

    A sua importância reside no facto de ter sido uma infra-estrutura extremamente imprescindível para as gentes de Miranda e por se tratar de um imóvel tão raro. A partir de certa altura Miranda do Douro viu a população aumentar de um modo galopante. Comerciantes, diversas entidades religiosas e militares, assim como um vasto conjunto de personalidades intelectuais instalam-se na recentemente elevada a cidade, o que faz aumentar as suas necessidades.

    Até então, a água era colhida em poços, processo pouco adequado à situação geográfica da cidade, uma vez que Miranda do Douro estava permanentemente em perigo de ser atacada pelos exércitos castelhanos e, por isso, a população dentro das muralhas necessitava de água potável em tempo de guerra. Parte da população, a mais abastada da região, possuía poços de corda e roldana junto das suas habitações ou, até mesmo, dentro das casas. Contudo, os habitantes mais pobres não tinham condições de possuir ou construir as cisternas.

    É com base nestas circunstâncias que os habitantes exigem a construção de um aqueduto. A captação era feita em Vale de Mira e a ligação vai até ao rio Fresno, onde desagua. Erguido com pedras mirandesas, o monumento tem vários anéis redondos, todos desiguais, num comprimento total que ascende aos 500 metros. Com a construção do imóvel, resolveu-se o problema da carência de água e das doenças provenientes da falta de qualidade e salubridade do precioso líquido.

    Observem e tomem notas

    • D - Século em que foi mandado contruír o aqueduto
    • E - Quantos arcos tem o aqueduto
    • F - Durante quantos séculos o aqueduto forneceu água a Miranda
    • Recolhidos todos os dados, façam então as seguintes contas de forma a chegarem às coordenadas finais:

      41º.(26+A).B(C-41)

      006º.(D+1).(E-4)(24-F)

      Espero que passem um bom bocado ao conhecer este património da minha terra adoptiva.


This page was generated by GeoPT Listing Generator

Additional Hints (Decrypt)

Ire fcbvyre

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.