Skip to Content

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.

This cache has been archived.

btreviewer: Esta cache foi arquivada por falta de uma resposta atempada e/ou adequada perante as situações relatadas. Relembro a secção das guidelines sobre a manutenção http://www.geocaching.com/about/guidelines.aspx#cachemaintenance :

[quote]
Você é responsável por visitas ocasionais à sua geocache para assegurar que está tudo em ordem para funcionar, especialmente quando alguém reporta um problema com a geocache (desaparecimento, estrago, humidade/infiltrações, etc.), ou faz um registo "Precisa de Manutenção". Desactive temporariamente a sua geocache para que os outros saibam que não devem procurar a geocache até que tenha resolvido o problema. É-lhe concedido um período razoável de tempo - geralmente até 4 semanas - dentro do qual deverá verificar o estado da sua geocache. Se a geocache não estiver a receber a manutenção necessária ou estiver temporariamente desactivada por um longo período de tempo, poderemos arquivar a página da geocache.

Por causa do esforço requerido para manter uma geocache, por favor coloque geocaches físicas no seu espaço habitual de geocaching e não em sítios para onde costuma viajar. Geocaches colocadas durante viagens não serão muito provavelmente publicadas a menos que possa fornecer um plano de manutenção adequado. Este plano deve permitir uma resposta rápida a problemas reportados, e deverá incluir o Nome de Utilizador de um geocacher local que irá tomar conta dos problemas de manutenção na sua ausência. [/quote]

Como owner, se tiver planos para recolocar a cache, por favor, contacte-me por [url=http://www.geocaching.com/email/?u=btreviewer]e-mail[/url].

Lembro que a eventual reactivação desta cache passará pelo mesmo processo de análise como se fosse uma nova cache, com todas as implicações que as guidelines actuais indicam.

Se no local existe algum container, por favor recolha-o a fim de evitar que se torne lixo (geolitter).

Obrigado

[b] btreviewer [/b]
Geocaching.com Volunteer Cache Reviewer

[url=http://support.groundspeak.com/index.php?pg=kb.page&id=77][i][b]Work with the reviewer, not against him.[/b][/i][/url]

More

Traditional Geocache

Povos, Cais dos Descobrimentos - A Forca

A cache by Geo Âncora Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 9/4/2012
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size: not chosen (not chosen)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Related Web Page

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Povos, Cais dos Descobrimentos
Povos é o nome de uma antiga freguesia e município português situado na Lezíria do Tejo, a Norte de Vila Franca de Xira. O município foi instituído por foral de Sancho I de Portugal de 1195, e conheceu grande vigor económico ao longo dos séculos XIII e XIV, fruto da sua localização. Contudo, viria a perder gradualmente essa importância em favor do concelho de Vila Franca. Em 1510 recebeu foral novo de Manuel I de Portugal, junto com as vizinhas Vila Franca e Castanheira. Em 1729, estabeleceu-se em Povos a primeira fábrica de curtumes do país, a qual ocupou durante muito tempo um lugar cimeiro nessa produção. Tinha, em 1801, apenas 324 habitantes. No século XIX, com as grandes reformas do liberalismo, o concelho de Povos não escapou à onda reorganizadora do país, tendo sido extinto em 1836, tendo a própria freguesia sido reduzida a lugar da de Vila Franca, no final do século XIX.

Esta localidade é um importante núcleo de vestígios histórico-culturais no nosso país tendo vestígios de presença dos Fenícios, dos Romanos e dos Mouros, por exemplo. No Adro da Escola Velha de Povos, foram encontradas as ruínas de uma villae típica romana. Ocupada entre os séculos I e IV da nossa era, a Villae foi objecto de escavações arqueológicas, entre 1984 e 1991, através das quais se detectaram vestígios do edifício da área habitacional, com várias construções e horizontes de povoamento. Os arqueólogos retiraram da vila romana, durante as escavações, alguns objectos, como tesselas de mosaico, telha, moedas, peças de jogo, ânforas e lucernas.


Escavações Arquelógicas da Villae Romana de Povos

Também os mouros deixaram marca de uma enorme presença em Povos, nomeadamente no Monte do Sr. da Boa Morte onde se encontram diversas ruínas e vestígios que fazem parte da herança histórica da ocupação árabe. Ao nível arquitectónico por exemplo, escavações arqueológicas iniciadas em 1991 no alto do Monte do Senhor da Boa Morte (Povos), revelaram a existência de uma forte estrutura defensiva em taipa (terra) e estruturas de habitação da época. Com a conquista de Santarém e Lisboa, em 1147, a região de Vila Franca de Xira começou a ser habitada pelos cristãos. O rio Tejo, nestes tempos, fazia de fronteira. Do lado de cá, os cristãos, do lado de lá, os mouros. Era preciso, assim, defender estas terras e as populações que aqui viviam daí ter existido uma forte presença dos cristãos no alto do monte que se situa em Povos.

No tempo dos descobrimentos e expansão marítima, a importância das actividades ligadas ao rio, nomeadamente a construção naval, esteve patente quando em 1487, por motivo de haver peste em Lisboa, D. João II mandou armar uma esquadra nas águas do Tejo, naquele que é conhecido como o Cais de Povos. Daqui dsaíram embarcações rumo ao Norte de África. Construiu-se também em Povos a frota – duas caravelas e uma naveta com mantimentos – que levou Bartolomeu Dias a dobrar o Cabo da Boa Esperança em 1488. O rei D. João II acompanhou pessoalmente, em Povos, os preparativos da partida desta localidade que teve portanto um papel importantíssimo na expansão marítima e nos descobrimentos portugueses. A produção de barcos era muito importante para a economia da região de Vila Franca de Xira, inclusivé, o foral de Povos de 1195, já nos fala dos petintais, que eram carpinteiros especialistas em fabricar todo o tipo de embarcações.


Vestígios da presença dos Mouros e dos Cristãos na Ermida do Sr. da Boa Morte

A Forca: Pelourinho de Povos
Os pelourinhos simbolizam a soberania que era conferida pela coroa aos municípios, criados através da carta de foral. Eram colocados no interior dos centros urbanos, defronte das casas da câmara. No pelourinho, castigavam-se pela exposição e vergonha pública os criminosos que tinham cometidos delitos pouco graves. Estando em sítio público, o pelourinho lembrava à comunidade as regras que a justiça impunha e que tinham de ser respeitadas. No entanto, os castigos aplicados nos pelourinhos, não abrangiam a pena de morte, concretizada antes na forca, geralmente, erguida no termo das povoações.

O Pelourinho de Povos situa-se no Largo da Forca que seriam os antigos Paços do Concelho. Não se sabe ao certo o porquê do nome deste largo mas terá sido provavelmente por aqui se encontrar a forca da pena de morte antes desta ter sido abolida. Classificado como Imóvel de Interesse Público, este pelourinho foi edificado em frente à Casa da Câmara, bem no centro do aglomerado urbano, onde confluíam a estrada real e a rua que dava acesso à Igreja Matriz de N. Sra. de Assunção de Povos. Ao contrário de todos os outros pelourinhos do concelho, este foi o único que não foi derrubado. De estilo manuelino este monumento apresenta três degraus poligonais sob a coluna cilíndrica, alteada por arestas salientes, enroladas em hélice. A metade superior da coluna, com decoração naturalista/manuelina, está separada por um nó duplo e encordoado. No capitel cilíndrico e liso surgem as armas senhoriais dos Condes da Castanheira, estabelecidas pelo primeiro titular, D. António de Ataíde.


Pormenores do Pelourinho de Povos


Sobre a Cache
Não contém material de escrita! Recoloca-a exactamente como a encontraste e procura ter criatividade de modo a ser o mais discreto possível pois tem prédios em frente e é um local de passagem regular de pessoas e veículos (atenção à estrada, especialmente na companhia de crianças) para que esta cache tenha uma vida duradoura.

Relativamente à pequena fonte atrás do Pelourinho, se tiver água corrente, a mesma não é potável. Aprecia o Pelourinho e diverte-te!


Translation


Texto: Telmo E. Julião (adaptado de conteúdo do Museu Municipal de V.F.Xira e outras fontes)




Additional Hints (Decrypt)

Qverpçãb nzneryn. Cnen nypnaçne pbafrthve, b zheb qb yvkb cbqreáf fhove.
Erpbybpn n pnpur pbz phvqnqb!

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

102 Logged Visits

Found it 76     Didn't find it 5     Write note 3     Archive 1     Temporarily Disable Listing 5     Enable Listing 4     Publish Listing 1     Needs Maintenance 1     Owner Maintenance 2     Update Coordinates 2     Post Reviewer Note 2     

View Logbook | View the Image Gallery of 8 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated: on 11/15/2017 3:48:03 PM (UTC-08:00) Pacific Time (US & Canada) (11:48 PM GMT)
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page