Skip to Content

Traditional Geocache

Farol do Malmerendo

A cache by Kunga112 Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 1/7/2013
In Arquipélago dos Açores, Portugal
Difficulty:
3 out of 5
Terrain:
3 out of 5

Size: Size: micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Farol do Malmerendo, Vila do Porto





 

O porquê do nome Malmerendo

A ponta do Malmerendo

  Em tempos remotos, havia em Vila do Porto uma família constituída pelo casal e três filhos. Eram pobres, viviam numa casa coberta de palha perto da igreja da matriz, na rua António Coelho, conhecida por rua dos Pescadores, hoje rua José Inácio de Andrade. 
  Era uma família retraída, que pouco convivia com os demais, mas que não incomodava a vizinhança. O seu único modo de vida e sustento era a pesca, pelo que tinha de trabalhar de sol a sol, quer apanhando peixe no mar, quer na venda do pescado. Nunca tinham uma hora de descanso, a não ser quando recolhiam a casa e se metiam na cama pelo toque das Trindades, para se poderem levantar no dia seguinte, ainda de madrugada, para irem para o mar. Os vizinhos, religiosos convictos, tinham o domingo como dia sagrado e estranhavam não haver naquela família nem domingo nem dia santo. 
  Um dia, no tempo da Quaresma, alguém lembrou-se de perguntar se não iam assistir às solenidades da Páscoa, que iriam ser abrilhantadas, naquele ano, por um frade franciscano, vindo de fora. A família de pescadores ficou aborrecida com a tentativa de estranhos se intrometerem na sua vida privada. Um dos filhos respondeu: 
 — Não temos tempo a perder. Acha vocemecê que as missas engordam? Os que estão constantemente com o rabo sentado nos bancos da igreja são melhores que os outros? 
 A pessoa que tinha tentado despertar aquela família de pobres pescadores para a necessidade de uma vida espiritual ouviu e calou. Lá continuaram a fazer a sua vida costumeira e a dedicar os dias de descanso à apanha de lapas para uma melhor merenda. 
 Numa manhã de Quinta-feira Santa, dia em que os pescadores açorianos, por fé ou superstição, não vão à costa, quando a maré já baixava, a dita família de pescadores pôs-se a caminho da rocha, com cestos enfiados no braço, levando lá dentro as lapeiras. 
  O mar estava calmo, mas ao longe notaram uns vagalhões com sinais de aumentar. Os garajaus e as cagarras faziam uma gritaria doida, refugiavam-se nas furnas da costa, onde tinham, os seus ninhos, pressentindo sinais de mau tempo. 
  O pai, mais experiente e sensato, mostrava desagrado com os sinais do mar, mas mesmo assim desceram para as baixas onde havia mais lapas.
 Subitamente uma grande onda avançou com fúria sem que o vento a impelisse, pois o tempo estava calmo. Submergiu as rochas costeiras e arrebatou as cinco pessoas, levando-as para o alto mar, sem que pudessem voltar a terra. 
 Como era Quinta-feira Santa, não havia outros pescadores por perto que pudessem dar alguma ajuda. 
 Horas mais tarde os vizinhos, saindo da igreja, ficaram alarmados ao ver a casa dos pescadores deserta e pressentiram que tivesse acontecido algum mal à pobre gente. Correram para cima da rocha a fim de confirmarem se lá em baixo havia alguém, mas nada viram. Dirigiram o olhar para o alto mar e, lá ao longe, viram cinco objectos informes que se afastavam cada vez mais, até que desapareceram. 
  Compreenderam que eram os corpos dos cinco membros daquela família de pescadores que nunca tinha sentido o apelo de Deus, lançado pelos sinos da igreja matriz, ali tão perto da sua casa. 
 Passaram a chamar a essa parte da costa da ilha de Santa Maria aPonta da Malmerenda porque a boa merenda que aquela família de pescadores desejou acabou por trazer-lhes o mal.


Curiosidades

O que é? E para que é que serve um farol?

Os faróis são estruturas encimadas por uma fonte luminosa, destinadas à orientar a navegação.
Eles integram o grupo de dispositivos visuais de auxílio ao navegante, juntamente com bóias, balisas e faroletes (faróis com alcance inferior à 15 milhas náuticas).
Servem para marcar pontos importantes (cabos, ilhas, acesso aos portos), alertar sobre perigos (recifes, bancos de areia, rochedos submersos) e indicar caminhos (alinhamentos).
São referência para que o navegante possa determinar sua posição no mar e conduzir a embarcação com segurança.
Atualmente e cada vez mais, a navegação se baseia em sistemas eletrônicos, mas os faróis ainda são extremamente úteis:
  • na aproximação de portos;
  • na confirmação de posição e aferição de instrumentos;
  • como referência visual em caso de pane elétrica;
  • como referência para embarcações desprovidas de meios eletrônicos de navegação.
 

Additional Hints (Decrypt)

Va Ebpx! Aãb iá zhvgb cnen onvkb qb sneby cbvf cbqr-fr gbeane crevtbfb... N pnpur rfgá n 4/5 zrgebf qb sneby!

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

125 Logged Visits

Found it 122     Didn't find it 1     Write note 1     Publish Listing 1     

View Logbook | View the Image Gallery of 27 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated: on 11/15/2017 3:55:24 PM (UTC-08:00) Pacific Time (US & Canada) (11:55 PM GMT)
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page