Skip to Content

<

Santo Amaro

A cache by Team AlphaMike Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 03/30/2013
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size: micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


A cache não se encontra nas coordenadas indicadas.
Esta multi-cache tem como objectivo o de dar a conhecer alguns pontos mais importantes de uma pequena localidade, Santo Amaro, pertencente à freguesia de Beduido, concelho de Estarreja 

Feira de Santo Amaro

Cumpriu-se no presente ano, 350 anos da fundação da feira de Santo Amaro, na freguesia de Beduído, concelho de Estarreja. Criada por despacho da mesa do Desembargo do Paço, datado de 23-12-1662, e consequente alvará de D. Afonso VI, de 20-1-1663, na sequência de uma petição dos moradores da freguesia de Santiago de Beduído e suas anexas. Desde início realizou-se junto da capela que lhe deu o nome, junto da antiga Estrada Real que, antes de existir a nossa actual E.N.109, ligava Aveiro ao Porto.
 
A feira tornou-se importante, a maior do concelho e uma das primeiras na sua região, nas transacções de gado (em particular o bovino) e mercadorias. Era considerada o principal destino dos vendedores de Aveiro em 1724, e o Recenseamento Geral dos Gados de 1870 apontava-a como uma das preferidas no distrito, para a transacção do gado bovino de raça marinhoa.
 
Para aqueles que vinham à feira, muitas vezes desembarcados no esteiro de Estarreja e daí seguindo por estrada até aquela, a visita implicava almoçar numa das barracas ali existentes. O prato mais apetecido era a posta de vaca assada (marinhoa), à moda de Santo Amaro. E os que não tinham posses para a vaca assada contentavam-se com comprar o molho da carne metido no pão.
 
Em alguns momentos do ano a feira de Santo Amaro ganhava maior dimensão. É o que se passava com a chamada feira de ano, que nos séculos XVIII e XIX seria talvez a 25 de Julho, e pelo menos desde o início do século XX fixou-se no 15 de Janeiro. A feira de 15 de Janeiro de 1963 teve alguns momentos de transmissão na RTP, ainda a televisão era coisa recente e rara. Mas a feira mais concorrida do ano era a de 15 de Novembro, a chamada feira dos cevados, pois nessa data vendiam-se muitos porcos para abastecer as salgadeiras durante o inverno.
As tentativas anos mais tarde para a sua reactivação não tiveram sucesso, persistindo apenas como recordação de tempos idos a feira de ano, que ainda se faz a 15 de Janeiro.
 
(http://www.ribeirinhas.pt/2013/01/16/feira-santo-amaro/)
 
 
Onde antes havia um largo de terra batida e onde se realizava a antiga feira de gado, existe agora uma nova estrutura verde  com novas ligações viárias, circuitos pedonais, espaços para estacionamento, Parque Infantil, Parque de Merendas, mobiliário urbano e iluminação pública.
A capela de Santo Amaro encontra-se junto de uma estrada regional que ligava na Idade Média Aveiro ao Porto, passando próxima da actual e anterior igrejas de Beduido. Além disto, a capela de situava-se nos limites do couto de Antuã com as terras de Bemposta, como se pode verificar de uma demarcação do concelho de Estarreja em 1695 
A capela mencionada nesta demarcação era a antecessora da actual. Dela existe documentação que nos elucida sobre algumas das suas características. Com efeito, um grupo de paroquianos de S. Tiago de Beduido fez em 1679 uma petição ao Bispo do Porto, no sentido de ser autorizada a construção de uma capela dedicada da S. Marcos Evangelista. A situar na Devesa, destinava-se a servir os habitantes dos lugares de Santiais, Barreiros, Devesa e Souto. O novo templo tinha a particularidade de imitar o de Santo Amaro, como foi notado por um autor local 
Pode admitir-se que a substituição da antiga capela de Santo Amaro pela actual tenha respeitado as normas vigentes ao tempo, isto é, as Constituições Sinodaes do Porto, aprovadas em 1687 e editadas em 1735. 
Em 2000 encontraram-se gravuras antigas na capela, ocultas por baixo do revestimento das paredes, mais tarde consideradas de menor valor. A descoberta de ossadas e particularmente de uma lâmina de sílex atribuída à Idade do Cobre (com 4000 anos), em 2002, suscitaram o interesse numa intervenção arqueológica, que aprofundasse os conhecimentos sobre o local. Essa intervenção fez-se em 2004, tendo constado que se encontrara objectos do Neolítico, com pelo menos 7000 anos, e romanos, com cerca de 2000.

(http://historia-estarreja-murtosa.blogspot.pt/2010/03/novos-subsidios-para-historia-da-capela.html)

Capela de Santo AmaroEscavações no interior da capela


Toda a zona envolvente nos pontos inicial e final, toda a sua extensão incluíndo as ruas em redor, eram usados na realização das ditas feiras.

Nota:
Existe estacionamento junto ao ponto inicial.
Levar material de escrita.
Para chegar à cache, é necessário observar a placa informativa presente no ponto inicial:
Idade mínima permitida: A
Idade máxima permitida: B
Lotação: C
Coord. finais:
N 40º 46.(254 + A + B + C - 1)
W 8º 33.(268-(C x 4)

Additional Hints (Decrypt)

2 zrgebf nonvkb qb pnzvãb

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

247 Logged Visits

Found it 229     Didn't find it 9     Write note 1     Temporarily Disable Listing 1     Enable Listing 1     Publish Listing 1     Needs Maintenance 5     

View Logbook | View the Image Gallery of 18 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated:
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.