Skip to content

This cache has been archived.

Gouldians-Team: Fui

More
<

A Ostra

A cache by Gouldians-Team Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 04/15/2013
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   other (other)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


A Ostra

A ostra gigante

Oriunda do Japão, a ostra gigante foi introduzida na Europa na década de 1970, depois do desaparecimento da ostra portuguesa (Crassostrea angulata), dizimada por várias doenças sucessivas. Graças ao seu crescimento rápido e à sua grande capacidade de adaptação a diferentes meios, a ostra gigante é actualmente a ostra mais cultivada a nível mundial, nomeadamente na Europa. A outra espécie de ostra criada na Europa ostra plana (Ostrea edulis) ainda está longe de ter recuperado o seu anterior nível de produção depois de ter sido vítima de duas epizootias nas décadas de 1920 e de 1980.


Nome científico – Crassostrea gigas 
Produção (UE-27) – 142 000 t (2007), 4ª posição na produção mundial.
Valor (UE-27) – –295 milhões de euros (2007).
Principais países produtores da UE – França (1º produtor europeu e 4º a nível mundial), Irlanda, Espanha, Portugal.
Principais países produtores a nível mundial (fora da Europa) – China, Coreia do Sul, Japão.

Reprodução

Grande parte do abastecimento mundial provém da captação de sementes (larvas de ostra) no meio natural.

 

Captação

No Verão, a ostra põe larvas em grande quantidade. Essas larvas erram ao sabor das correntes em busca de uma local para se fixarem.

 

Criação

A cultura de ostras processa-se de acordo com quatro métodos principais, em função do ambiente (amplitude das marés, profundidade da água...) e das tradições.

• A cultura em sobreelevação: as ostras são colocadas no mar dentro de bolsas fixadas em placas assentes na zona de maré, no solo.

• A cultura horizontal: as ostras são colocadas directamente no solo, na zona de maré.

• A cultura em águas profundas ou a criação em receptáculos: as ostras são semeadas em parques que podem atingir os 10 m de profundidade.

• A cultura em estruturas flutuantes: as ostras são criadas em cordas, à semelhança do mexilhão, o que permite uma criação ao largo. O facto de estarem permanentemente submersas contribui para que cresçam de forma mais rápida. Este método é mais apropriado para culturas em zonas sem marés ou ao largo.

 

Afinação

Em algumas bacias de produção, as ostras podem ser afinadas com vista a conferir qualidades específicas à sua carne.

As ostras são introduzidas em bancos, bacias argilosas de pouca profundidade e alimentadas naturalmente com água do mar, onde desenvolvem uma carne esverdeada devido à presença de uma alga específica, a navícula azul. Podem ainda ser colocadas em parques de afinação em zonas de maré, onde adquirirão uma carne consistente e branca. No caso das culturas criadas em águas profundas, é utilizada uma técnica adicional que consiste em colocar as ostras em parques que ficam regularmente fora de água, de forma a obrigar as ostras a manter a sua concha fechada.

A cache contem logbokk, levar material de escrita.



This page was generated by GeoPT Listing Generator

Additional Hints (Decrypt)

Áeiber

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)