Skip to Content

<

Viajar no Tempo - Catarina Eufémia

A cache by Diabzie Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 05/03/2013
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size: small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Related Web Page

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Catarina Eufémia

Ceifeira alentejana, Catarina Efigénia Sabino Eufémia, nasceu em 1928, na aldeia de Baleizão, concelho e distrito de Beja.
Era uma assalariada rural pobre e analfabeta, como tantas outras mulheres do seu Alentejo natal. Casou ainda nova, em 1946, tendo depois três filhos. A sua vida teria sido anónima e esquecida como a de tantos outros alentejanos da sua condição se não tivesse acabado em circunstâncias tenebrosas, guindando-a a símbolo da resistência e contestação ao regime salazarista.
O Alentejo, naqueles tempos árduos, era uma região de latifúndios e de emprego sazonal, onde as condições de vida dos camponeses sem terras e assalariados eram extremamente difíceis. Esta situação sócio-económica e laboral penosa e dura agitou as massas camponesas da região a partir de meados dos anos 40, vindo-se a agudizar nas duas décadas seguintes, gerando-se um permanente clima de agitação social no campesinato.

Entre outras pretensões, reivindicava-se para as mulheres um aumento no pagamento da jorna. Catarina fora escolhida pelas suas colegas para apresentar as suas reivindicações. Ela e mais outras ceifeiras e ceifeiros foram reclamar com o feitor da propriedade onde trabalhavam, o aumento de 2$00. Este temeroso, chama o proprietario e a guarda.

Catarina estava com o filho de oito meses ao colo... pedia o que julgava ser justo...


A GNR aparece, como tantas outras vezes, acaba por intervir duramente. Para além dos tiros para o ar, de intimidação para dispersar a concentração de camponeses, houve quem tivesse um destino mais cruel e sangrento.
A uma pergunta do tenente da guarda, Catarina terá respondido que só queriam "trabalho e pão". Como resposta teve uma bofetada que a enviou ao chão. Ao levantar-se, terá dito: "Já agora mate-me.

De facto, o tenente Carrajola, da GNR, no caminho do grupo de assalariados para a casa do patrão, mata Catarina Eufémia com vários tiros.

...Uma rajada de metralhadora derrubou Catarina
com o filho ao colo, tinha apenas 26 anos...




 
"O Sr. Oficial tentou persuadir as amotinadas a dispersarem e nesse momento, devido ao automatismo da arma, esta disparou-se sem qualquer interferência do dito oficial..." é o que consta do relatório da GNR.




Este assassinato a sangue-frio causou uma revolta surda e contida entre as massas rurais alentejanas.  Catarina tornou-se, depois da sua morte trágica, como um símbolo, como um modelo de mulher, mãe e trabalhadora que era.
No imaginário popular e oposicionista, o assassinato de Catarina Eufémia era a demonstração clara da crueldade e brutalidade dos métodos e formas de resposta por parte do regime às desigualdades e injustiças que apoiava e mantinha.



Additional Hints (Decrypt)

Zheb

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

310 Logged Visits

Found it 297     Didn't find it 7     Temporarily Disable Listing 1     Publish Listing 1     Needs Maintenance 1     Owner Maintenance 2     Post Reviewer Note 1     

View Logbook | View the Image Gallery of 22 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated:
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.