Skip to content

Minas Romanas da Tinta e do Pó Traditional Geocache

Hidden : 06/01/2013
Difficulty:
3 out of 5
Terrain:
3.5 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Bem vindo/a a esta cache que o leva a conhecer as Minas Romanas da Tinta e do Pó, em Monforte da Beira, em Castelo Branco.

Em pleno Geopark Naturtejo e às portas do Parque Natural do Tejo Internacional estas minas romanas são ponto de visita obrigatório em terras da raia.

[EN] Welcome to this cache that leads to meet the Minas Romanas da Tinta e do Pó, Monforte da Beira, Castelo Branco.

Geopark Naturtejo in full to the doors of the Tagus International Natural Park these Roman mines are must see on land Streak.

.

 

[PT] O local

O Complexo Mineiro de Monforte da Beira é composto por estas duas minas e são um dos 16 Geomonumentos do Geopark Naturtejo.

Datadas entre os sec. IV e II a.C, são um surpreendente legado histórico da 2ª Idade do Ferro, e onde podemos ainda encontrar vestígios da utilização da técnica do desmonte a fogo (fragmentação do quartzito duro  por arrefecimento brusco) muito praticada pelos romanos.

A Mina da Tinta é um grande recinto subterrâneo cujas paredes se encontram cobertas por minerais de ferro. As grandes concavidades junto à entrada na primeira sala são sinal da técnica do desmonte. Aqui foi explorado, devido à sua coloração, o ferro para aplicar como um pigmento, o almagre, que era usado para fazer a tinta para as canetas de aparo, que certamente os nossos avós usaram na escola, quando ainda não haviam esferográficas...A mina é composta por duas grandes salas, a inicial que dá acesso ao exterior e uma outra logo a seguir separadas por um estreito arco. Dessa sala interior, onde já se podem encontrar morcegos, seguem vários caminhos que se densenvolvem por muitos metros. Não é aconselhável a visita ou exploração desta Mina para além da sala de entrada! É possível que haja  morcegos e não se arrisque sem equipamentos e formação adequada, devido à instabilidade das minas!

Poucos metros abaixo da Mina da Tinta encontramos a Mina do Pó, com uma ampla entrada em arco, e no seu interior uma enorme abóboda, com as paredes cobertas de cimento ferruginoso. Daqui era extraída uma areia muito fina, cor amarelada, usada para arear os utensílios de latão e cobre. Esta mina de menores dimensões, é composta por uma grande sala e por uma mais pequena que não tem continuação, na parte superior, e uma galeria aterrada, na parte inferior, que provavelmente terá continuação, e provavelmente haverá ligação entre esta e a vizinha Mina da Tinta.

Mas em Monforte da Beira não existem apenas estas minas. Umas centenas de metros a Oeste existem também duas pequenas minas que se pensa serem da mesma época destas e que de igual forma têm vestígios da mineração do ferro. Uma delas, a que chamam a Casa Subterrânea, é usada hoje como abrigo pastoril. Já acima das Minas da Tinta e do Pó, a caminho do Castelo (antigo povoado ou castro fortificado, e que hoje tem o posto de vigia) encontramos um algar, a que os locais chamam o Poço das Vacas Preadas. Este infeliz nome vem do facto de durante muitos anos ter sido usado como vazadouro de carcaças de animais. Ainda hoje lá se podem encontrar ossadas desses animais. Aliás, toda esta serrania e elevação quartzítica é rica em locais onde se praticou a mineração do ferro, pois em vários locais encontramos grandes escombreiras.

Monforte da Beira merece uma visita demorada. Não só pelo património arqueológico mas também pelos seus monumentos, a sua história, a sua gente. A caminho desta cache terá oportunidade de visitar a Igreja Matriz, a capela de Sto António, e no fim do caminho, lá no alto do Castelo, aprecia a vista magnífica por todo este território desde Castelo Branco até Espanha, vendo para Norte até às terras de Idanha, e em dias claros até Monsanto, ou a Serra da Gardunha.

 

[EN] The local

The Mining Complex Monforte da Beira is composed of these two mines and is one of 16 geomonuments Geopark Geopark.

Dated between sec. IV and II BC, are an amazing historical legacy of the 2nd Iron Age, and where we can still find traces of the use of the technique of dismantling the fire (fragmentation of hard quartzite by quenching) widely practiced by the Romans.

Paint Mine is a large underground room whose walls are covered with iron minerals. Large hollows near the entrance in the first room are a sign of the technique of dismantling. Here was explored due to its color, the iron to apply as a pigment, ocher, which was used to make ink for pens nib, certainly our grandparents used at school, when as yet there were pens ... the mine consists of two large rooms, the home that gives access to the outside and another soon after separated by a narrow arch. This inner room, where we already can find bats, follow various paths that densenvolvem by many meters. It is advisable to visit this mine or exploration beyond the entrance room! There may be bats and do not take risks without adequate equipment and training because of the instability of mine!

Few meters below the Mine Paint Mine found the powder with a large arched entrance, and inside a huge dome with the walls covered with ferruginous cement. It was extracted from a very fine sand, yellowish color, used for scouring utensils of brass and copper. This mine smaller, consists of a large room and a smaller one that has continued at the top, and a grounded gallery at the bottom, you probably have continued, and probably there will be contact between them and neighboring Mine ink.

But in Monforte da Beira there are not only these mines. A few hundred meters to the west there are also two small mines believed to be from the same era and that these equally have traces of iron mining. One of them, who call House Underground, is now used as pasture shelter. Already above the Paint and Powder Mines on the way to Castle (somewhat or fortified castro, and today has the lookout post) found a grotto, which the locals call the Well of Cows Preadas. This unfortunate name comes from the fact that for many years have been used as a dumping of animal carcasses. Even today there can be found the bones of these animals. Incidentally, all this and quartzite ridge elevation is rich in places where they practiced the mining of iron, as found in several places large.

Monforte da Beira deserves a long visit. Not only by archaeological monuments but also for its heritage, its history, its people. The path of this cache will have the opportunity to visit the Mother Church, the chapel of St. Anthony, and at the end of the path, high above the castle, enjoying the magnificent view across this territory from Castelo Branco to Spain, looking north to the land Idanha, and on clear days by Monsanto, or Sierra Gardunha.


     

 

[PT] A Cache

Apesar de esta ser uma cache tradicional, a melhor maneira de a fazer é integrada num Percurso Pedestre (PR) circular assinalado pelo Geopark. Chamado de Caminhos do Ferro de Monforte, começa no centro da localidade, passando pelas Minas Grande e Pequena, pelas Minas da Tinta e do Pó, pelo Miradouro do Castelo, pela capela de Sto António, descobrindo cultura, arqueologia, avifauna, floresta, paisagens, biodiversidade, durante cerca de 9km. É um PR de dificuldade baixa, por caminhos agrícolas e florestais, que pode ser feito todo o ano. Faça o download do flyer do PR aqui.

Caso queira ir directamente à cache, siga pelo caminho de acesso ao Miradouro do Castelo, as Minas estão bem assinaladas ao longo do caminho. Estacione no caminho e depois de uma centena de metros está no local. Comece pela visita à sala de entrada da Mina da Tinta, aprecie as suas paredes, e POR FAVOR NÃO PASSE PARA A SALA SEGUINTE! Depois da visita a esta mina, siga mais uns 50m até chegar à Mina do Pó, esta de menores dimensões e entrada muito mais fácil, e aqui também podem observar os pormenores das paredes e do tecto onde se podem ainda ver os minérios que antes aqui eram explorados. O Pó e a Tinta ainda aqui existem, por isso tenha cuidado para não se sujar! :) Por fim, procure a cache, para chegar à mesma é necessário algum trabalho e provavelmente terá que se sujar...de pó! ;)

A cache tem logbook, stashnote, um pequeno lápis e algumas prendas. O material de escrita não é para levar, e deixe algo de valor semelhante ao que levar. Partilhe depois a história da caçada no seu log.

Espero que gostem!:)


Esta cache é um tupperware de tamanho Small de medidas +/- 10x10x8cm.

Deixe-a exactamente como a encontrou, colocando-a também da mesma maneira, no mesmo local e bem tapada. Verifique que não está a ser observado enquanto retira e coloca a cache no sítio. Do seu cuidado depende a boa saúde desta cache. Obrigado.

 

[EN] The Cache

Although this is a traditional cache, the best way to do is part of a Pedestrian Route (PR) marked by circular Geopark. Called Paths of Iron Monforte, begins in the city center, past the Great and Small Mines, the Paint and Powder Mining at Belvedere Castle, the chapel of St. Anthony, discovering culture, archeology, birds, forest, landscapes , biodiversity, for about 9km. PR is a low difficulty, for agricultural and forest paths, which can be done all year. Download the flyer here in PR.

If you want to go directly to the cache, follow the driveway to the Belvedere Castle, the Mines are well marked along the way. Park on the road and after a hundred meters is in place. Start by visiting the entrance of Mina Paint room, enjoy the walls, and PLEASE PASS NOT FOR NEXT ROOM! After visiting this mine, do some more until you reach 50m Mine Dust, this smaller and entry much easier, and here you can also see the details of the walls and ceiling where you can still see the ores here before were exploited. Powder and Paint still exist here, so be careful not to get dirty! :) Finally, look for the cache to reach the same some work is necessary and will probably have to get dirty ... dust! ;)

The cache has logbook, stashnote, a small pencil and some gifts. The material is not written to take, and leave something of similar value to that lead. Then share the story of the hunt in your log.

Hope you enjoy:))



This cache is a tupperware size Small measures + / - 10x10x8cm.

Leave it exactly as you found it, also placing it in the same way in the same place and tightly capped. Verify that there is to be observed while removing the cache and puts in place. Care of your good health depends on this cache. thank you.


 


Ah, e não se esqueça nunca//Oh, and never forget: Cache In Trash Out!

 

Boas Práticas para um Geocaching melhor. Colabore!

- Ao decidir procurar uma cache faça-o de acordo com o que é pedido pelo owner. Respeite a sua vontade e as suas recomendações, pois delas dependem a sua integridade e a da cache. Não destrua, não parta, não deixe mais que pegadas e não traga mais que fotografias.

- Leia bem o página da cache antes de começar a busca. Pondere bem os riscos, e se o nível de Dificuldade e Terreno está de acordo com os seus limites e objectivos. Não ponha em risco a sua vida e a a da cache, e se acha que não é para si não arrisque e passa à próxima. Nem todas as caches são para todos.

- Lembre-se que o Geocaching proporciona-nos aventuras e leva-nos a locais que de outra forma não iríamos conhecer e visitar, por isso quando for procurar uma cache vá com tempo, quer para conhecer bem o local, mas também para estar preparado para algum imprvisto que possa ocorrer.

- Tenha especial cuidado ao procurar o esconderijo da cache, certifique-se que não há ninguém por perto ou ninguém a ver. Caso haja seja o mais discreto possível. Não arrique caso tenha consciência que está a ser observado, e desista. Certamente terá uma nova oportunidade para lá voltar, e assim evita que a cache seja objecto de buscas indesejadas.

- Ao encontrar a cache faça sempre um registo escrito no logbook. Se necessário use frente e costas das folhas do mesmo, poupe papel.

- O material de escrita que está na cache não é para retirar.

- Sempre que possível faça troca de objectos, mas coloque um de igual valor ao que retirou.

- Tire fotos, muitas fotos, e não esqueça de as colocar no seu log online na página da cache.

- Quando fizer o log online faça-o de uma forma detalhada possível de modo a dar a conhecer a aventura que a visita ao local proporcionou. Se houver alguma sugestão ou recomendação a fazer ao owner aproveite e faça-o no log. Precisa de manutenção? O acesso foi dificultado? Mudaram a cache de sítio? Qualquer situação que lhe pareça anormal comunique, informe o owner, seja por log ou através de mensagem privada.


 

Additional Hints (Decrypt)

CG: Ab shaqb, qb ynqb rfdhreqb, gncnqn pbz crqenf. Fó cnen zntebf!
RA: Ng gur raq, yrsg, pbirerq jvgu fgbarf.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)