Skip to content

<

Torvore Aka "Vapor das 19"

A cache by Team Ribeiro & Mar Ilimitado Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 09/18/2013
Difficulty:
3.5 out of 5
Terrain:
5 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Related Web Page

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


https://www.rtp.pt/play/p6437/mar-a-ultima-fronteira Pouco passava das 8 horas da manhã quando o cargueiro norueguês Torvore passou o Cabo de São Vicente e a Ponta de Sagres em direcção a Este. Subitamente ouve-se uma detonação à ré e um tiro de canhão cruza a proa do navio. Está um submarino a perseguir o cargueiro.

O comandante Andreas Andreassenordena ao chefe de máquinas que aumente a velocidade a fim de escaparem, e manda rumar a terra. Como o Torvore não para, o submarino inimigo dispara mais três tiros de aviso e aproxima-se perigosamente. O comandante Andreassen percebe que não tem hipóteses de fuga pois o submarino é mais rápido, e só lhe resta mandar parar as máquinas, a fim de evitar que a sua tripulação seja afundada juntamente com o navio.

De bordo do submarino é ordenado que a tripulação abandone imediatamente o cargueiro, o que esta faz rapidamente, levando consigo pouco mais do que a roupa que tem no corpo. O comandante do submarino pergunta, em inglês, porque não pararam ao primeiro tiro. Ninguém responde e este pede toda a documentação do cargueiro. Entretanto já os botes salva-vidas estão encostados ao casco do submarino. O submarino parece não ter qualquer insígnia ou emblema, mas percebe-se agora que falam alemão a bordo. O comandante Andreassen reclama a sua neutralidade, mas os documentos da carga não deixam dúvidas.

AQUI COLOCA O NOME DA FOTO

O Torvore embarcou 1800 toneladas de carvão no porto de Swansea, no Reino Unido, e dirige-se a Nápoles, ambos portos inimigos. Como tal o seu destino está traçado. Marinheiros alemães deslocam-se a bordo do Torvore e colocam explosivos no porão. Ao comandante Andreassen é ordenado que se dirija para terra. O mar está calmo e rapidamente lá chegará.

TorvoreOs marinheiros alemães são rápidos nos seus procedimentos, pois ainda mal a tripulação do Torvore começa a remar para terra já um outro cargueiro é detido, desta vez, de bandeira dinamarquesa: o Nordsoen, de 1055 toneladas, carregado com conservas. O seu destino é idêntico ao do Torvore e a sua tripulação também não tem outra possibilidade senão remar para a praia nos botes sala-vidas.

Entretanto de Este aproximam-se três outros navios. Toda esta agitação tão perto da costa não passa despercebida e de Sagres é chamado o rebocador a vapor Galgo, que anda em patrulha na zona. Dissimulando-se junto à linha da costa, a fim de não se recortar no horizonte, o Galgo chega à zona cerca das 8h30m da manhã, para encontrar todos os botes salva-vidas a dirigirem-se para terra.

O Torvore afunda-se perto do local onde se lança a armação de sardinha denominada "Maria Josefina" e o Nordsoen está à deriva. Eis senão quando, o submarino navega a passar entre a dita armação de sardinha e terra. É nesta altura que o Galgo faz fogo, mas com um canhão de apenas 37mm, tem poucas possibilidades de atingir o submarino. No entanto o 1º Artilheiro Olegário Pereira Martins, um algarvio de Aljezur de 22 anos e já veterano da campanha de África da Cacimba da Mongua, sabe o que faz e não fora a distância, todos os cinco tiros, bem apontados, teriam acertado no alvo.

O submarino responde ao fogo do Galgo, e o 1º Tenente Alberto Carlos dos Santos sabe que não tem hipóteses contra o canhão de 105mm do submarino. Faz meia volta e dirige-se para os cargueiros que se aproximam a fim de os avisar e evitar que se cruzem com o submarino inimigo.

O cargueiro norueguês Wilhelm Krag navegava para o Reino Unido via Gibraltar, sem carga, só com balastro. Antes de o dia nascer passou o Cabo Santa Maria, em Faro, e perto das 9 horas da manhã estava entre Lagos e o Burgau. O Galgo cruzou-se com ele e tentou avisá-lo do que se passava, mas o comandante Karl Poderson não entendeu. Terá eventualmente visto o fumo do Nordsoen a arder ou reconhecido a silhueta do submarino. Desviou-se para Sudoeste mas pouco depois voltou ao rumo inicial, conseguindo o Galgo aperceber-se que viria a ser interceptado pelo submarino.

É nesta altura que o comandante Poderson manda dar toda a velocidade às máquinas mas imediatamente cai um projéctil muito perto do Wilhelm Krag. As máquinas são mandadas parar e toda a tripulação se prepara para abandonar o cargueiro. De bordo do submarino é chamado o comandante Poderson a apresentar-se com o diário do navio e restante documentação.

O Wilhelm Krag está fretado por uma companhia inglesa e como tal será afundado. Do submarino gritam para que os últimos tripulantes abandonem o navio rapidamente. Nesta altura aproximam-se mais dois vapores que captam as atenções dos alemães, e um deles chega mesmo a abrir fogo sobre o submarino, que se vê na contingência de ter de afundar o Wilhelm Krag a tiro de canhão, de modo a não perder mais tempo, mandando homens a bordo colocar cargas explosivas.

TorvoreO Wilhelm Krag é afundado em frente à praia da Luz com cinco ou seis tiros abaixo da linha de água e o submarino afasta-se em perseguição do cargueiro armado, que é o francês Caravellas, para desistir pouco depois. O comandante Poderson apercebe-se que falam alemão e inglês no submarino e vê um pequeno pavilhão da marinha alemã hasteado. Ainda assim não o identifica como sendo o U-35 do Kapitanleutnant Lothar von Arnauld de La Perière.

Enquanto o U-35 persegue o Caravellas, o rebocador Galgo volta atrás para recolher a tripulação do Wilhelm Krag, que vai desembarcar em Lagos. Nesta altura, e desistindo de perseguir o Caravellas, o U-35 volta ao encontro do Nordsoen, que encalhara junto à Ponta dos Caminhos. La Perière manda então alguns marinheiros alemães a bordo do barco encalhado colocar explosivos, que acabam por o afundar de vez.

Por esta altura já havia muita gente no cimo da falésia, pois toda a acção era visível de terra e suscitou a curiosidade dos populares, que se foram juntando. Os marinheiros alemães chegaram mesmo a subir às rochas e foram trocados insultos e ameaças entre estes e a população civil. O Galgo, depois de desembarcar a tripulação do Wilhelm Krag, volta a Sagres onde recolhe a tripulação do Torvore, composta por 19 homens, e a do Nordsoen, com 16, tornando a regressar a Lagos ao anoitecer. Contudo o dia ainda não tinha acabado, pois ao atracar em Lagos já estava a ser chamado novamente para Sagres.

O U-35 tinha afundado um lugre italiano ao final da tarde, o Bienaimé Prof.Luigi, de 265 toneladas e com um carregamento de caulim, após ter tirado 900 litros de água potável de bordo deste. Ainda no mesmo dia o Kapitanleutnant Lothar von Arnauld de La Perière ruma a Gibraltar sem mais demoras. Excerto do Texto de Paulo Costa publicado na Planeta d’Água.

Características do local

Profundidade média 27 m / 88.6 ft Profundidade máxima 32 m / 105 ft Correnteza Fraco ( < 1 nó) Visibilidade Média ( 5 - 10 m) Qualidade Qualidade do sitio Bom Experiência CMAS ** / AOW Interesse bio Interessante Mais detalhes Cheio durante a semana Cheio no fim de semana

Tipo de mergulho - Escombros de naufrágio

Actividades de mergulho - Biologia Marinha - Fotografia Perigos - Profundidade

Additional Hints (Decrypt)

N pnpur rfgá n rfgvobeqb, rager nf pnyqrvenf r n "onaurven" nagrf qr iáevnf crçnf rz zrgny an iregvpny qb pnireanzr

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.