Skip to content

<

Núcleo Museológico do Azinhal

A cache by Zinhus Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 10/03/2013
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Está cache pretende levar-vos a conhecer um pouco da aldeia do Azinhal. Uma aldeia situada a 9 km de Castro Marim sendo a maior povoação da freguesia do Azinhal.

O espaço nuclear tradicional da aldeia é composto por casas brancas de um piso, quase sempre com quintal nas traseiras, onde se destacavam até há 4 décadas elementos acessórios como uma horta, um forno, uma capoeira e uma pocilga.

O Centro Cultural do Azinhal foi inaugurado em 15 de setembro de 2001. Construído por iniciativa da Associação dos Amigos e Naturais do Azinhal, numa antiga casa em grauvaque, recuperada e adaptada (no núcleo ocidental da aldeia). O Centro Cultural do Azinhal inclui um pequeno museu (Núcleo Museológico do Azinhal), é um espaço destinado ao conhecimento da aldeia, onde pode ser apreciada a tradição artesanal da produção das rendas de bilros, com grande tradição no Azinhal.Por motivos financeiros, não se encontra presentemente aberto ao público.

A renda de bilros é um ex-libris do Azinhal. Esta arte feminina que poucas mulheres conseguem realizar vem de tempos antigos. E das mãos hábeis, em outros tempos, saiam habilidosos trabalhos que sustentavam a economia do lar.

Em torno do nascimento da renda de bilros existem algumas lendas. Diz a lenda que antigamente, no local que hoje se chama Azinhal, vivia uma linda moura quesombra de uma azinheira espetou a espada no peito.
Ao ver o seu amado a esvair-se em sangue, a moura tentou limpar a ferida e estancar a hemorragia com as rendas de bilros que havia feito. Em vão.
Desiludida e triste, a moura passou então a fazer compulsivamente rendas de bilros.
E é assim que de tempos a tempos ainda aparece pelo Azinhal… um dia, apaixonou-se por um formoso cavaleiro que passou pela aldeia e a paixão foi correspondida. O cavaleiro, contudo, tinha como principal lema de vida a liberdade. E, ao perceber que, por causa daquela paixão, perdia o que ele considerava ser a coisa mais valiosa da vida (a liberdade), entristeceu-se e à sombra de uma azinheira espetou a espada no peito. Ao ver o seu amado a esvair-se em sangue, a moura tentou limpar a ferida e estancar a hemorragia com as rendas de bilros que havia feito. Em vão. Desiludida e triste, a moura passou então a fazer compulsivamente rendas de bilros. E é assim que de tempos a tempos ainda aparece pelo Azinhal…

Levem material de escrita.

Additional Hints (Decrypt)

fragn-gr r qrfpnafn...

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.