Skip to content

This cache is temporarily unavailable.

Bitaro: Olá Joao130,

Pelo teor dos últimos registos, parece necessária a intervenção do owner para verificar o estado da geocache.
Até lá, ficará temporariamente inactiva.

Por favor leia atentamente as Linhas de Orientação que regulam a manutenção das geocaches:

O dono da geocache é responsável por visitas à localização física.

Você é responsável por visitas ocasionais à sua geocache para assegurar que está tudo em ordem para funcionar, especialmente quando alguém reporta um problema com a geocache (desaparecimento, estrago, humidade/infiltrações, etc.), ou faz um registo "Precisa de Manutenção". Desactive temporariamente a sua geocache para que os outros saibam que não devem procurar a geocache até que tenha resolvido o problema. É-lhe concedido um período razoável de tempo - geralmente até 4 semanas - dentro do qual deverá verificar o estado da sua geocache. Se a geocache não estiver a receber a manutenção necessária ou estiver temporariamente desactivada por um longo período de tempo, poderemos arquivar a página da geocache.

Esta designação serve para geocaches que estão com alguma questão pendente ou um problema temporário por resolver.
Como owner, tem ao dispor, pelo menos, quatro soluções possíveis:

  1. Efectuar a manutenção necessária e reactivar a geocache, dentro do prazo estabelecido pelas Linhas de Orientação
  2. Colocar uma nota na geocache com o plano de manutenção, caso esta não possa ocorrer num curto espaço de tempo. Nessa nota deve constar:
    • o prazo em que pretende efectuar a manutenção,
    • o argumento pelo qual o prazo indicado abaixo terá de ser ultrapassado para que fique novamente activa;
  3. Caso não consiga assegurar a manutenção da mesma, pode considerar o processo de adopção por um geocacher local;
  4. Arquivar a geocache se não tiver disponibilidade para assegurar o estado pleno da mesma. Por favor, tenha em consideração que nesta opção é necessário remover a geocache ou os conteúdos da mesma para evitar que se tornem lixo (*geolitter*).

Assim, caso não seja feita manutenção ou indicado um motivo válido pelo qual a geocache deva estar desactivada além do tempo previsto pelas Linhas de Orientação, a mesma será arquivada num prazo de 60 dias (este prazo não é rigoroso enquanto a pandemia COVID-19 se mantiver - a manutenção deverá ser feita sempre em segurança, pois a sua saúde está primeiro que a saúde da cache!).

Relembro que não é possível desarquivar uma geocache que seja arquivada por falta de manutenção.

Obrigado pela colaboração
Bitaro
Community Volunteer Reviewer

Centro de Ajuda
Linhas Orientação

More
<

Baleação

A cache by Joao130 Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 01/25/2014
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
4 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:

Baleação (também conhecida como pesca ou caça às baleias) é o nome genérico dado à caça à baleia e ao cachalote, incluindo as tecnologias, tradições e formas sociais de organização dos baleeiros. A baleação é por vezes incorretamente referida como pesca da baleia, o que implicaria que a baleia seria um peixe e não um mamífero.


BALEAÇÃO

A história da atividade baleeira no Arquipélago da Madeira ocorre praticamente no século XX apesar de nos séculos anteriores se caçar nas águas do arquipélago, recorrendo a mão-de-obra madeirense.

A instalação da primeira armação baleeira na Madeira deu-se em 1940, com a chegada à Madeira dos primeiros baleeiros e das primeiras baleeiras vindas dos Açores e com construção de um “traiol” (Designação dada a estações de processamento rudimentares, que permitiam a extração do óleo pelo meio de panelas de grande dimensão, assentes sobre fogo direto. Estas estações eram frequentemente desprovidas de rampas para varagem dos animais) localizado a Este da foz da Ribeira da Janela, no concelho do Porto Moniz.

Só no início de 1941 é que se deram os primeiros abates que ocorreram na zona Norte, esses animais forram transformados em óleo no referido “traiol”.

Em 1942 foi construída mais um “traiol”, desta vez no Caniço, mais concretamente no calhau do Garajau, esta construção visava aumentar a capacidade produtiva da armação baleeira e em poucos anos levou ao abandono do primeiro.

No fim da década de 40 foi iniciada a construção da fábrica do Caniçal, que substituiu o “traiol” do Garajau. Esta construção veio aumentar a capacidade produtiva da Empresa Baleeira da Madeira, por se tratar de uma unidade fabril muito mais moderna e melhor equipada.

O sucesso desta atividade baseou-se na construção de uma rede de vigias que, posicionadas em zonas costeiras altas, permitiam uma cobertura integral da costa da Ilha da Madeira, bem como uma cobertura parcial dos mares das Desertas e Porto Santo. Desta forma a ilha da Madeira possuía 8 vigias, sendo uma delas no Pico da Cruz (No complexo militar do RG3, em S. Martinho) e outra na Ponta do Garajau (Abaixo da estatua do Cristo Rei, no Caniço). Esta rede completava-se com 2 vigias na Deserta Grande. 1 no Bugio e 2 no Porto Santo. Estes edifícios davam abrigo aos homens que sondavam o mar em busca dos “espartos” (Termo importado dos Açores, para designar o sopro característico dos grandes cetáceos).

A caça atingiu o seu auge neste arquipélago na década de 50 e 60, com o pleno funcionamento das já referidas instalações fabris.

Nos anos setenta, com o crescimento do movimento internacional para a defesa das baleias, houve uma interdição de comercialização dos produtos extraídos destes animais por alguns países, que até então eram os principais compradores da produção madeirense, nomeadamente os Estados Unidos da América, a Inglaterra e a França. Essa interdição conduziu ao fim voluntário da baleação no arquipélago, que cessou em 1981.

A partir de 1986, o Decreto Legislativo Regional Nº 6/99/M tornou as águas em redor do Arquipélago da Madeira, até às 200 milhas, numa espécie de santuário para baleias, golfinhos e outros mamíferos marinhos, nomeadamente para o raro lobo-marinho.

Atualmente o Museu da Baleia, sob a tutela do Município de Machico, desenvolve um conjunto de estudos dos cetáceos no arquipélago da Madeira, no sentido de melhorar o conhecimento sobre essas espécies e sensibilizar para a sua conservação.

The history of whaling activity in the Archipelago of Madeira occurs virtually in the twentieth century in spite of previous centuries if you hunt in the waters of the archipelago, using labor-intensive madeiran.

The installation of the first shakedown lifeboat in Madeira gave in 1940, with the arrival of the first Wooden whaling ships and the first lifeboat welcome the Azores and with construction of a 'trypot' (the Name given to the rudimentary processing stations, which allowed the extraction of oil by means of pans of large dimension, based on direct fire. These stations were often devoid of ramps to gridiron of animals) located to the East of the mouth of the Ribeira da Window, in the municipality of Porto Moniz.

Only at the start of 1941 is that if you gave the first slaughters that occurred in Northern area, these animals reactions were transformed into oil in that 'trypot'.

In 1942 was built over a 'trypot', this time in Canico, more specifically in the Garajau calhau, this construction was aimed at increasing the productive capacity of the shakedown lifeboat and in a few years ago led to the abandonment of the first.

At the end of the decade of 40 was initiated the construction of the factory of Reed Beds, which replaced the 'trypot' do Garajau. This construction has increased the productive capacity of the Company's Whaling Wood, as it is a manufacturing unit much more modern and better equipped.

The success of this activity was based on the construction of a network of security guards who, positioned in coastal areas high, allowed a full coverage of the coast of the Island of Madeira, as well as a partial coverage of the seas of Deserted and Porto Santo. In This way the Madeira island had 8 guards, one of them being the Peak of the Cross (In military complex of RG3, in S. Martinho) and another in Ponta do Garajau (Below the statue of Christ the King, in Canico). This network complemented with 2 sidescuttles in Deserta Grande. 1 In Howler Monkey and 2 in Porto Santo. These buildings gave shelter to men that multihued the seas in search of 'espartos' (Term imported from the Azores, to designate the breath characteristic of large cetaceans).

Hunting reached its climax on the islands in the 1990s 50 and 60, with the full functioning of already mentioned plants.

In the 1970s, with the growth of the international movement for the defense of whales, there has been a ban on marketing of products derived from these animals by some countries, which until then were the main purchasers of madeiran production, in particular the United States of America, England and France. This ban led to voluntary end of whaling in the islands, which ceased in 1981.

Since 1986, the Regional Legislative Decree No. 6 /99/M became the waters around the Archipelago of Madeira, up to 200 miles, a kind of sanctuary for whales, dolphins and other marine mammals, in particular for the rare wolf-san marino.

Currently the Whale Museum, under the tutelage of the municipality of Machico, develops a set of studies of cetaceans in the archipelago of Madeira, in order to improve the knowledge about these species and raise awareness for their conservation.

Sobreexplorar, enganar, esgotar. O ciclo da ganância que apoia a indústria mundial da caça à baleia fez com que as populações de baleias, uma atrás da outra, desaparecessem. Ainda não se sabe se algumas das espécies poderão alguma vez recuperar, mesmo após décadas de proteção.

As expectativas de recuperação das populações de baleias têm sido baseadas na suposição de que, à excepção da caça comercial à baleia, o seu habitat nos oceanos é tão seguro quanto era há uma centena de anos atrás. Infelizmente, esse pressuposto já não é válido. É por isso que acreditamos que todas as formas de caça comercial à baleia devem ser definitivamente abandonadas.

Exploit, cheat, exhausted. The cycle of greed that supports the worldwide industry of whale hunting has done with that the populations of whales, one behind the other, fade away. Still don't know if some of the species could ever recover, even after decades of protection.

The expectations of recovery of whale populations have been based on the assumption that, with the exception of commercial whaling, its habitat in the oceans is as secure as it was a hundred years ago. Unfortunately, this assumption is no longer valid. It is for this reason that we believe that all forms of commercial whaling should definitely be abandoned.

This page was generated by GeoPT Listing Generator

Additional Hints (Decrypt)

Ire Fcbvyre...Pbagbear b ebpurqb r iá à fhn onfr.
Ivrj Fcbvyre ... tb gb gur yrsg bs gur ebpx gb vgf onfr.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)