Skip to content

Quebra côcos Traditional Geocache

This cache has been archived.

RoZeCa: Depois de alguma controvérsia ao inicio...

Depois de alguma manutenção (bastante) durante a sua existência...

Mas neste momento com o primeiro ponto desaparecido e o ponto final de suporte partido, desisto!!!

Sim é verdade, desisto!!!

Quero pedir desculpas ao amigo Carecovzki pois quando te adoptei esta cache não era minha intenção este desfecho, apesar de já na altura ser tua intenção fazê-lo nunca pensei que chegasse a este ponto, mas vendo a parte positiva ainda esteve no activo durante mais quase um ano... por isso ainda teve mais umas quantas visitas a um engenho bem engraçado realizado por ti ;-)

E quero agradecer a todos quantos a visitaram, espero que se tenham divertido pois a intenção sempre foi essa ;-)

Continuação de boas cachadas ;-) e até sempre...

More
Hidden : 04/28/2014
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:

O termo "côco" foi desenvolvido pelos portugueses no território asiático de Malabar, na viagem de Vasco da Gama à Índia (1497-1498) a partir da associação da aparência do fruto, assemelhando-se à face de um "coco" (monstro imaginário com que se assusta as crianças).


A coca é um ser mítico, uma espécie de fantasma, bruxa ou bicho-papão com que se assustam meninos.
Embora não tenha uma aparência definida, este ser assustador tinha uma representação figurada: a sua cabeça era uma espécie de abóbora ou cabaça da qual saía luz (ou fogo). A representação da coca era feita com uma panela ou abóbora oca em que se faziam três ou quatro buracos, imitando olhos, nariz e boca, e em que se colocava uma luz dentro e deixava-se, durante a noite, num lugar bem escuro para assustar crianças e pessoas que passavam.

A coca é um ser feminino. O equivalente masculino é o coco embora ambos acabem por ser dois aspectos do mesmo ser, e confundem-se um com o outro na sua representação e no seu papel de assustar meninos. Como nenhum destes seres tem uma forma definida toma-se um pelo outro.

Todas as partes do coco, salvo talvez as raizes, são úteis e as árvores têm um alto rendimento (até 75 cocos por ano) possuindo um significativo valor económico. Em sânscrito o nome para o coqueiro é "kalpa vriksha", o qual se traduz como "a árvore que fornece todas as necessidades da vida".

Em algumas partes do mundo, macacos treinados são usados na colheita do côco. Escolas de treino para macacos ainda existem no sul da Tailândia. Todos os anos são realizadas competições para identificar o colhedor mais rápido.

A CACHE:

Não é preciso treinar macacos ou fazer macacadas para colher este geocôco. No entanto é preciso ter cuidado para não levar com o côco na carola! (De noite é necessária lanterna.)

Additional Hints (Decrypt)

Ngraçãb: b TM rfgá pregb pbz nf pbbeqranqnf.
Qrirz ncranf ve ohfpne b zngrevny arprffáevb qronvkb qn cbagr qr znqrven cbvf anf cebkvzvqnqrf ren b úavpb ybpny cbffíiry cnen b thneqne qr sbezn frthen. Ergvene n gnzcn, erzbire b pbagrúqb r yrine ngé nb TM. Cnen zbagne b pbagrúqb hgvyvmrz nf yrgenf teninqnf, b N freir cnen ergvene n pnpur r b Q freir cnen n pbybpne ab fvgvb dhr grz vzna! Phvqnqb pbz n pnorçn!

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)