Skip to Content

<

Ponte Rio Lima Paradamonte - Soajo

A cache by FerAmBar Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 08/27/2015
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size: regular (regular)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


O Rio Lima

O Lima (em galego Limia) é um rio internacional que nasce a uma altitude de 975 m no monte Talariño, na província de Ourense, na GalizaEspanha. No seu percurso galego de 41 quilómetros, o rio é muitas vezes designado por nomes locais, como TalariñoFreixo ou Mourenzo, apesar da designação oficial galega ser Limia; aí passa, entre outras povoações da província de Ourense, por Xinzo de Limia, à qual dá o nome.

Entra em Portugal, próximo do Lindoso e passa por Ponte da Barca e Ponte de Lima, até desaguar no Oceano Atlântico junto a Viana do Castelo, após percorrer um total de 135 quilómetros.

Este rio foi apelidado de "Lethes" (Lete) por Estrabão, e fabulado profusamente na mitologia Greco-Romanacomo o rio do esquecimento, da dissimulação. Também era chamado de Belion. Mitologia e geografia cruzaram-se num momento histórico, em 138 a.C., quando o general Romano Decimus Junius Brutus dispõe-se a derrubar o mito, já que o rio impedia a progressão da sua campanha militar na região. Atravessou o Lima só e, da outra margem, chamou os seus soldados, um por um, pelos seus nomes. Os seus soldados, espantados pelo facto do seu general manter a memória, atravessaram então o rio, sem medo, claudicando o mito do Lethes.

Pertencente à bacia hidrográfica do rio Lima e à região hidrográfica do Minho e Lima.

Em Portugal, tem um comprimento aproximado 66,9 km e uma área de bacia de aproximadamente 2 370,0 km².

Neste preciso local o rio Lima tem um encontro com um afluente que é rio Adrão que é um pequeno curso de água do concelho de Arcos de Valdevez que nasce na localidade de Adrão e percorre cerca de 8 qulómetros até à sua confluência com o rio Lima passando por Soajo.

Neste mesmo local está implementada a antiga central hidrolétrica de Paradamonte....
 

Central hidroeléctrica de Paradamonte- Britelo 

 
No dia 14 de Fevereiro de 1907 o Rei de Portugal Dom Carlos I concede a Justino Antunes Guimarães e a Jesus Palácios Ramilo o aproveitamento da água do rio Lima para a criação de força motriz.

Por escritura pública no dia 19 de Maio de 1908 é constituída a Sociedade Anónima Electra del Lima, para utilizar a concessão das águas do rio Lima. Os seus mais destacados fundadores, Don Eugénio Grasset e Don Manuel Taramona, lutaram com grande dificuldade financeira e por isso as obras que se iniciaram no ano em que a sociedade foi fundada, desenvolveram-se com grande lentidão. No ano de 1916 toma a direcção da Electra del Lima o engenheiro de minas Don Juan de Urrutia, atacando a obra com grande energia, transformando rapidamente o ritmo dos acontecimentos A guerra de 1914-1918, na qual Portugal participou, trouxe grandes dificuldades à execução do projecto, em especial no que respeita a fornecimento de maquinaria; mas com tenacidade e perseverança todas as dificuldades foram vencidas. As obras do aproveitamento prosseguiam ao mesmo tempo que se abriam estradas e caminhos e se construíam pontes, como a antiga estrada desde Touvedo a Cidadelhe neste troço foram construídas a ponte sobre o rio Tamente e sobre o rio de Froufe, travessias sobre o denominado ribeiro das Bestas e ainda sobre a ribeiro de Cabaninhas na Freguesia de Britelo. Em 1921 termina a construção do canal de derivação com o comprimento total de 6100 metros, sendo 1800 a céu aberto e 4300 em túnel, de secção rectangular, de 3,20 x 3,10 metros e sempre que o terreno era fraco havia uma abóbada de revestimento com 1 metro de flecha. O caudal máximo era de 20 metros cúbicos por segundo. Nesse mesmo ano chega a Viana do Castelo a primeira maquinaria, realizando-se o seu transporte para Paradamonte num pitoresco conjunto de tracção mista, bovino e automóvel. Entre 1918 e 1922 construíram-se as centrais receptoras de Braga e Freixo e conclui-se a montagem da linha de transporte Paradamonte-Braga-Porto, a uma tensão nominal de 75 Kv, sobre postes de madeira e com condutores de cobre de 8 milímetros de diâmetro e 50 milímetros de secção.

 

Additional Hints (Decrypt)

inzbf à crfpn?? ab "Evb Yvzn" invf rapbagene-zr, znf nagrf, cryn yvaun greáf qr CHKNE

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.