Skip to content

<

Cache Bónus - Rota das Aves da Albufeira do Pisão

A cache by BMRatinho (nekax_1990) Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 01/22/2016
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


BERINGEL

 É uma vila situada no extremo noroeste do concelho de Beja com 1577 habitantes. Foi sede de concelho até 1839. Segundo Túlio Espanca, teve dois forais, o de D.Afonso III (1262), este de origem duvidosa, e o de D.Manuel I (1519), data em que a vila foi elevada a concelho autónomo. Ao passear pela vila apercebemo-nos, pela arquitetura dos seus edifícios, que foi terra importante. O edifício da Câmara, a cadeia, a torre do relógio, a Igreja Matriz de Santo Estêvão, o Santuário de Nossa Senhora da Conceição, a Capela de Santa Maria Madalena e a Ermida de Santo António, são alguns exemplos. Nos trabalhos de arqueologia associados à construção da barragem destacam-se as necrópoles da 1ª Idade do Ferro (séculos VII a V a.C.) Palhais e Monte do Marquês, em cujas sepulturas foram encontradas armas e diversos objectos que apontam para contactos estreitos com as civilizações da bacia do Mediterrâneo (egípcia, fenícia, grega). Outro importante achado arqueológico é a vila romana que se estende, pelo menos, desde o largo fronteiro à matriz até ao limite da vila.

IGREJA MATRIZ DE SANTO ESTEVÃO

Não se tem a certeza sobre a sua fundação. Sabe-se, no entanto, que foi mandado ‘reconstruir, de raiz, o velho templo rústico’, cuja obra se terá iniciado nos fins da década de 1530. Arquitectura religiosa, manuelina, maneirista, barroca. No interior real- çam-se os retábulos de talha dourada e policromada nos altares faciais das naves laterais e a representação da Árvore de Jessé em talha dourada e policromada.

SANTUÁRIO DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO

Fundada no séc. XVII, com arquitetura religiosa, maneirista, barroca e neoclássica. PONTE DE LISBOA Ponte de um só arco de volta redonda construído por blocos de granito aparelhados que apoiam uma estrutura de alvenaria e tijolo argamassado, que se atribui ao período romano, embora isso não possa ser comprovado. Ficou submersa aquando da construção da barragem do Pisão.

OLARIA

 Ao longo dos tempos vários são os testemunhos da utilização do barro de Beringel, exemplo disso são os fornos de cerâmica da época romana para o fabrico de talhas (dolia). Beringel foi um importante centro oleiro com dezenas de olarias a trabalhar. Hoje em dia, a Olaria António Mestre é a única ainda em actividade. Mantém viva a arte de trabalhar um barro de características únicas no país, de forma completamente artesanal. Produz, essencialmente, potes e talhas para vinho e decoração, vasos e ânforas de variados feitios, fornos de pão e outras peças desenhadas pelos clientes.

FAUNA

Mamíferos: Lebre, coelho, raposa e ouriço-cacheiro. Peixes: achigã, carpa, perca-sol (espécies introduzidas). Anfíbios: Salamandra-de-costelas- -salientes, sapo-comum e sapo-corredor Répteis: Osga-comum, lagartixa-do- -mato-comum, cobra-cega, cobra-rateira, cobra-de-escada e o cágado- -comum. Aves: ocorrem inúmeras aves no espelho de água e em seu redor, das quais destacamos: - Garça-branca-grande encontra-se presente e constitui-se como a ave-talismã da Barragem do Pisão; -Pato-de-bico-vermelho, frisada, pato-real, galeirão-comum, negrinha e o raro mergulhão-de-pescoço- -preto; - Pardal-espanhol, cuco-rabilongo, abelharuco, felosa poliglota, pisco-de-peito-ruivo, picanço-barreteiro, papa-figos; - Narceja, perna-vermelha-bastardo, alcaravão, combatente; - Águia cobreira, águia-pesqueira; Borboletas: diurnas: Melanargia ines; nocturnas: Cymbalophora pudica, Rodhometra sacraria, Utheteisa pulcella. Existem inúmeras libélulas como a Sympetrum fonscolombii, Crocothemis eritraea ou a Anax imperator.

GEOLOGIA

Todo o percurso se desenvolve na unidade litológica dos designados Gabros de Beja. Os gabros são rochas ígneas intrusivas, de cor escura e que se apresentam com grão fino a médio. Estas rochas dão origem a solos negros e muito argilosos, de elevado potencial agrícola, conhecidos como “Barros Pretos” ou “Barros de Beja”. Estes solos são utilizados na olaria local. A zona da barragem é ainda atravessada por uma importante estrutura tectónica que é a Falha da Messejana. Este acidente tectónico, de direção NE-SW, com 530 km de extensão, prolonga-se desde a zona de Alzejur até Plasencia - Ávila, em Espanha.

 MICRO-RESERVA BIOLÓGICA DOS COLMEAIS

Propriedade da Quercus com 4ha de olival tradicional, azinhal, árvores centenárias e prados húmidos, localizada junto a uma linha de água que apresenta uma grande diversidade botânica, destacando-se algumas espécies raras e ameaçadas, como é o caso da Linaria Ricardoi, um endemismo da região de Beja, da Echium Boissieri, assim como uma grande variedade de orquídeas silvestres.

Enquadramento Beringel é uma vila situada no extremo oeste do concelho de Beja onde foi recentemente construída a barragem do Pi são, infraestrutura integrada no empreendimento de Alqueva, o maior lago artificial da Europa. Onde hoje se localiza o espelho de água da albufeira outrora foram campos agrícolas, que tiveram ocupação humana desde a 1ª Idade do Ferro. Agora, passear pelas margens do Pisão convida à observação de uma grande variedade de aves que aqui encontraram o seu novo habitat.

Albufeira e Barragem do Pisão

 Integrada no empreendimento de Alqueva, que armazena a maior reserva estratégica de água portuguesa e é o maior reserva - tório artificial da Europa, a barragem do Pisão, construída em 2008, é uma infraestrutura de armazenamento e regularização que cumpre as funções de alimentação dos blocos de rega do Pisão e Alfundão. À entrada desta albufeira está instalada uma mini hídrica com uma potência instalada de 65MW.

PERCURSO PEDESTRE DA BARRAGEM DO PISÃO (PR5)

O percurso começa no Parque da Vila, localizado junto à barragem do Pi - são. Todo o percurso decorre junto à margem da albufeira. Logo a seguir passa-se à Fonte Santa, local onde está instalada a mesa de interpretação, onde se pode ficar a conhecer um pouco mais sobre a avifauna que ocorre neste lugar, e, se levar equipamento adequado, fazer uma observação mais atenta. Segue - -se pelo canavial, um pouco mais à frente atravessar um pequeno curso de água. Continua-se entre o olival e a margem durante cerca de um quilómetro, segue-se uma zona de campos cultivados de cereais que alternam novamente com olival antigo, até uma zona de vegetação composta por zam bujeiros e azinheiras, das poucas zonas com sombra em todo o trajeto. O principal atrativo deste percurso é a variedade de avifauna que aqui ocorre, característica de zonas ripícolas e aquáticas. Por isso uns bons binóculos ou um telescópio podem ser uma excelente companhia para quem gosta de fazer birdwatching. Aqui pode observar durante todo o ano, o pato-real, o galeirão-comum, o tartaranhão-ruivo-dos - paúis, entre outras. A negrinha, o mergulhão-de-pescoço-preto, a narceja-comum, o borrelho-pequeno-de - -coleira, a felosa-das-figueiras ou a perna-vermelha-escuro, são outras espécies que também ocorrem nestas paragens nalgumas alturas do ano. Passa-se por de trás da mini hídrica da EDIA até uma zona onde se pode aproveitar para nova observação. Segue-se até ao paredão da barragem e continua-se pela margem ladeada de olival tradicional. Chega-se à Fonte Palhais que tem uma zona de merendas onde se pode fazer nova paragem e usufruir da sombra. É nesta zona que está identificada uma das importantíssimas descobertas arqueológicas do concelho, a necrópole de Palhais da 1ª Idade do Ferro. Muitos outros vestígios arqueológicos foram encontrados nesta zona. A entrada em Beringel faz-se pelo Largo da Igreja Matriz de Santo Estevão, que merece uma visita. Aproveitando a passagem por Beringel deixe-se guiar pelas ruas da vila e apreciar o património religioso e vernacular que fazem notar a importância que a vila teve ao longo dos tempos.

FICHA TÉCNICA

FREGUESIA DE BERINGEL

NOME: BARRAGEM DO PISÃO

 CÓDIGO: PR5 BJA

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA: Beringel, Beja De Beja para Beringel, seguir pelo IP8/N121 em direção a Lisboa, na rotunda do aeroporto seguir em frente até entrar em Beringel, virar na quarta rua à direita, passar ao Santuário Nossa Sra. da Conceição, a seguir virar na primeira à direita e a seguir à esquerda, chegar ao Parque da Vila, onde o percurso tem início.

TIPO DE PERCURSO: Circular

 DISTÂNCIA: 9,7 km

DURAÇÃO APROXIMADA: 3h

 TIPO DE PISO: Caminhos naturais e rurais

DESNÍVEIS: Não há

GRAU DE DIFICULDADE: Fácil

PISO: Terra batida / barro, pequeno troço de alcatrão no final

PONTO DE PARTIDA E PONTO DE CHEGADA: Parque da Vila, Beringel

ONDE ESTACIONAR: No local há estacionamento

ESTATUTO: Zona de proteção da barragem do Pisão

 

 

 

PARABÉNS ENCONTRAS-TE A CACHE EXTRA (BÓNUS) ROTA DAS AVES DA ALBUFEIRA DO PISÃO – BERINGEL

Esta cache contém um presente para FTF. Também tem espaço para troca de objetos e um logbook. Esperamos que se tenham divertido a encontrá-las. Boas Caches.

Esta cache faz parte da Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel, constituído por 30 caches + 1 cache mistério.

  

#1 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC69XV9)
#2 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC69XVN)
#3 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC69XW9)
#4 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC69XWX)
#5 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC69XXY)
#6 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC69XYG)
#7 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC69XZV)
#8 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC69Y0K)
#9 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC69Y1C)
#10 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC69Y37)
#11 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC69Y7M)
#12 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC6A6Y5)
#13 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC6A6Z2)
#14 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC6A706)
#15 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC69Y8P)
#16 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC69Y9D)
#17 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC69Y9Z)
#18 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC69YAM)
#19 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC6A3YV)
#20 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC6A3Y6)
#21 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC6A3XF)
#22 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC6A3WC)
#23 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC6A3V7)
#24 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC6A3R9)
#25 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC6A3PZ)
#26 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC6A3PG)
#27 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC6A3P1)
#28 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC6A3MZ)
#29 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC6A3M9)
#30 Rota das Aves da Albufeira do Pisão - Beringel (GC6A3KV)

 

 

As geocaches foram colocadas com conhecimento e permissão da Junta de Freguesia de Beringel.

  

No interior de cada cache encontra se um algarismo que devem anotar para completar as coordenadas finais da cache extra (Bónus), algarismos identificados com as letras (A,B,C,D,E,F,G,H,I,J,L,M,N,O,P).

N: ABº CD.EFG

W: HIJº LM.NOP

 A+B+C+D+E+F+G+H+I+J+L+M+N+O+P = 63

center>

Additional Hints (Decrypt)

Pbzb dhnydhre nir, rfgá ab avaub.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.