Skip to Content

<

Baía de Guanabara

A cache by almaran Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 08/06/2016
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
2.5 out of 5

Size: Size: other (other)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


English


A Baía de Guanabara é considerada por muitos a mais bela baía do mundo. Ao longo de seu contorno, estendendem-se belezas naturais de formações únicas, asssim como construções feitas pelo homem também se destacam neste cenário que merece ser conhecido.





GEOLOGIA, SEDIMENTAÇÃO E ASSOREAMENTO DA BAÍA DE GUANABARA



A Baía de Guanabara tem uma área de aproximadamente 400 km2 e contém cerca de 3 bilhões de m3 de água. É um exemplo de ambiente costeiro misto, interfacie marinho-continental, em acelerado processo de degradação, motivado pela combinação de fatores naturais e antrópicos.
A tendência geológica da baía, dadas as condições de equilíbrio instável do sistema, seria, a longo prazo, a de um completo entulhamento sedimentar, com a sobrevivência apenas de canais fluviais, que teriam sua desembocadura em um ponto próximo à atual entrada. A atuação antrópica vem acelerando o processo de assoreamento, introduzindo mais um componente de desequilíbrio ao sistema.


ORIGEM E EVOLUÇÃO DA BAÍA DE GUANABARA


A baía de Guanabara, incluindo a maior parte de sua bacia hidrográfica contribuinte, corresponde a um compartimento estrutural tectonicamente rebaixado, de idade Cenozóica (zona fisiográfica denominada Baixada Fluminense).
Segundo Ruellan (1944), a baía se originou de uma depressão de ângulo de falha entre dois grupos de blocos falhados: o da Serra dos Órgãos e dos pequenos maciços costeiros. As linhas estruturais que condicionaram a existência da Baixada seriam reativações Cenozóicas de linhas estruturais Pré-Cambrianas (Almeida, 1976). A baía deve sua formas mais originais a invasão e acumulação marinhas, sendo denominada por Ruellan de “Ria da Guanabara”.
Evidencias geológicas encontradas na Formação Macacu (Grupo Barreiras) sugerem, durante parte do Cenozóico (Terciário Superior, Plioceno e Peistoceno Médio), uma drenagem dirigida basicamente para a atual Baixada de Sepetiba. Evidências: embora a bacia contribuinte para a baía tenha remanescentes sedimentares desde o Terciário Superior (Formação Macacu e Pré-Macacu) , as seqüências observadas no assoalho da baía, a partir de sondagens, revelam depósitos somente a partir do Pleistoceno Superior (Wisconsin) da Formação Caceribu.
O sistema de drenagem da Guanabara só começa a se instalar no último período interglacial (Sangamon), há cerca de 200.000 anos A. P.
Os depósitos fluviais da Formação Caceribu indicam posição de nível de mar abaixo do atual, até cerca de 100 metros, clima seco, e um sistema de drenagem anastomosante, com canais rasos e largos. A linha de costa, nesta época se situaria a dezenas de quilometros da atual, constituindo parte do que é denominado Plataforma Continental.
De forma gradual, mas contínua, há 16.000 anos A P. , iniciou-se o processo de afogamento da bacia fluvial pleistocênica, por águas marinhas, marcando o início do Holoceno Inferior. Esta fase transgressiva é denominada por Amador (1980) de Transgressão Guanabarina, relacionável a Transgressão Santista (Suguio e Martin, 1975) e a Transgressão Flandriana (Fairbridge, 1961, 1962 e 1976).



APRESENTAÇÃO


A paisagem de uma área é resultado da interação do seu clima, geologia, vegetação (flora) e vida animal (fauna), incluindo o homem.
Quando nos referimos à geologia de uma área, estamos nos referenciando ao conjunto de suas rochas, à forma como estas rochas estão arranjadas no espaço e articuladas entre si, formando os corpos rochosos, sua gênese, sua composição mineralógica e suas características estruturais, herdadas do processo de sua formação ou produzidas em épocas posteriores à sua formação.
Este conjunto de características chamadas de geológicas, refletem ambientes pretéritos. Esta base geológica, hoje exposta à ação do intemperismo e da erosão locais, constitui uma das bases físicas do meio ambiente na área.
Compreender o essencial desta geologia se faz necessário, pois é sobre ela que os outros fatores ambientais têm agido no processo de modelagem da paisagem. Apesar dos mais de 2000 de minerais existentes na natureza, poucos tem relevância neste processo, por serem os mais abundantes na crosta terrestre. São os minerais do grupo dos feldspatos; o quartzo e os minerais do grupo das micas. Em linhas gerais os feldspatos, em que pesem serem um variado grupo, possuem características físicas e químicas que fazem com que respondam de forma muito semelhante aos processos intempéricos e erosivos. O mesmo podemos dizer das micas. Diferenças de respostas existem, mas são pequenas. De qualquer forma, para fins de análise destes fatores na modelagem da paisagem podemos nos abstrair das diferenças e trabalhar com estes grupos como se fossem homogêneos. Como são, quantitativamente, os mais importantes minerais formadores das rochas, podemos dizer que eles constituem o conhecimento básico para se compreender os processos ambientais atuantes na bacia hidrográfica da Baía da Guanabara. Em algumas poucas regiões, o exposto acima não se aplica, porque suas rochas têm composições mineralógicas diferentes das rochas existentes aqui no Rio de Janeiro.


A bacia hidrográfica da Baía de Guanabara é, em linhas gerais, compartimentada em áreas bem características quanto ao seu relevo. A norte, limitando o fundo da baía, aparece a Serra do Mar, que localmente recebe o nome de Serra dos Órgãos. Entre esta e o Oceano Atlântico aparece a baixada litorânea, ampla área plana, fruto da sedimentação ocorrida nos últimos milhões de anos. A passagem desta área para a Serra do Mar é brusca e bem delimitada. Espalhados ao longo desta planície aparecem morrotes arredondados (meia laranja), com altitudes compreendidas entre 30 e 100 metros. A região serrana se caracteriza pelo relevo acentuado, escarpado, com cotas médias acima dos 700 metros, podendo atingir 2 263 metros na Pedra do Sino, ponto culminante da Serra dos Órgãos. Limitando a planície para o lado do oceano temos um relevo de maciços costeiros menos acentuado do que o serrano, onde situam-se pontões arredondados desnudos bem característicos como o Pão de Açúcar. Na área que une a Baía de Guanabara ao Oceano estes maciços se projetam diretamente em direção ao mar, ás vezes orlados tão somente por estreitas faixas de areia depositadas pelas correntes marinhas.



As mesmas condições de clima, geologia, relevo e vegetação, que fizeram da bacia hidrográfica da Baía da Guanabara um ecossistema extremamente rico e diversificado, têm gerado inúmeros problemas ambientais decorrentes de uma ocupação que não tem respeitado o delicado equilíbrio ai existente.
O clima quente e úmido, agindo sobre rochas feldspáticas, deu origem a espesso manto de decomposição. Na região frontal da Serra do Mar, herança de um arcabouço tectônico, o relevo íngreme não permitiu que este material decomposto se acumulasse em espessuras relevantes. No entanto, em função do mesmo clima úmido, permitiu o estabelecimento de uma vegetação exuberante, que por sua vez tem atuado como retentora do solo, num instável desequilíbrio.
A grande quantidade de material fornecido pela erosão permitiu o surgimento da baixada e dos ambientes de transição entre o continente e o mar, onde se fixou e se desenvolveu uma formidável formação de manguezais, fertilizando a Baía com a fauna para quem serve de berçário ou habitat.


DINÂMICAS NATURAIS DAS ENCOSTAS


Uma encosta pode ser entendida como uma superfície natural inclinada. Nos estudos geotécnicos a encosta recebe também o nome de talude natural e os declives de aterros construídos pelo homem recebem o nome de talude artificial. Em linhas gerais uma encosta é constituída por um manto de material decomposto (manto de intemperismo) sobre uma superfície rochosa. Em certas condições geológicas entre o manto de intemperismo e o substrato rochoso não há um limite nítido e sim gradativo.
A erosão e os movimentos gravitacionais de massa são os principais processos modeladores das encostas. Erosão é o processo de transporte de massa onde a energia de transporte é transmitida pelo meio transportador, que pode ser água, ar ou gelo. No nosso clima predomina o processo controlado pela água. O transporte pelo ar ocorre somente nas regiões litorâneas de mar aberto, dando origem às dunas. O transporte pelo gelo não existe em nosso clima.
Movimentos gravitacionais são aqueles em que a força da gravidade atua diretamente no material que está se movimentando.

PROCESSOS EROSIVOS



As principais formas de erosão predominantes na bacia hidrográfica da Baía de Guanabara são:
a) Erosão laminar: quando a água corre uniformemente pela superfície como um todo, transportando as partículas sem formar canais definidos.
b) Erosão em sulcos ou ravinas: quando a água se concentra em filetes que transportam as partículas formando ravinas na superfície. Estas ravinas podem chegar rapidamente a alguns metros de profundidade.
Num caso extremo, as ravinas podem atingir o lençol freático. Quando isto acontece o fluxo natural da água subterrânea passa a atuar como transportador das partículas do fundo da ravina, solapando sua base e provocando o desmoronamento da cabeceira. A feição daí resultante é conhecida como boçorocas.

MOVIMENTOS GRAVITACIONAIS DE MASSA


Genericamente os movimentos gravitacionais podem ser enquadrados nas seguintes categorias:
a) Rastejo
É um movimento extremamente lento de poucos centímetros ao ano. Basicamente se dá pela movimentação como um todo, do manto de alteração de uma encosta; deslocando e abrindo fendas nas partes inferiores (solo residual e rocha). Este movimento afeta grandes áreas e não apresenta uma superfície de ruptura muito bem definida. Com o aumento da velocidade pode se transformar em um escorregamento.
A existência de rastejo numa área pode ser notada pela inclinação de árvores, cercas ou postes. Normalmente, este é um dos movimentos mais lento que existe mas, com o aumento da saturação de água no solo, ele pode assumir uma maior velocidade, tornando-se um perigo para as construções que existem nesta vertente ou neste vale.
b) Escorregamento
Contrariamente ao rastejo o escorregamento afeta parcialmente o manto de alteração de uma encosta, possui limites (superfície de ruptura) bem definidos tanto em profundidade como lateralmente e são rápidos. Ocorrem em frações de segundos a minutos. O escorregamento tem sido o tipo de movimento de massa mais comum na região e pela intensidade e velocidade com que ocorre tem causado muitas mortes e perdas materiais.
c) Quedas de Blocos
São movimentos extremamente rápidos onde há o desprendimento de lascas e pedaços de rochas aflorantes em encostas.
d) Corridas de Massa
Caracteriza-se pela afluência de grande quantidade de material para a drenagem. A parte argilosa deste material se mistura com a água formando um líquido viscoso (lama), com alta plasticidade que flui para as partes baixas. Pela sua velocidade e densidade elevadas possuí alto poder destrutivo e extenso raio de ação. Normalmente a fonte do material que aflui para a drenagem são escorregamentos que ocorrem a montante. Estão associados a índices pluviométricos elevados. São movimentos que se assemelham a avalanches.
No verão de 1996, em Jacarepaguá, ocorreu uma típica corrida de massa (avalanche) que provocou grande destruição. Foi ocasionada por uma intensa precipitação pluviométrica, concentrada num curto espaço de tempo. Este fato teve grande repercussão na imprensa nacional por ter atingido uma zona urbana da cidade do Rio de Janeiro notadamente de classe média alta.



ASSOREAMENTO


O processo de assoreamento numa bacia hidrográfica encontra-se intimamente, relacionado aos processos erosivos, uma vez que é este que fornece os materiais que ao serem transportados e depositados darão origem ao assoreamento. Assoreamento e erosão são dois processos diretamente proporcionais na dinâmica da bacia hidrográfica.
O assoreamento ocorre em regiões rebaixadas como o fundo de vales, rios, mares ou qualquer outro lugar em que o nível de base da drenagem permita um processo deposicional.
Na bacia hidrográfica da Baía de Guanabara, o processo de assoreamento foi acelerado pela retirada da cobertura vegetal, inicialmente para a extração de madeiras nobres da Mata Atlântica e, posteriormente, para a implantação de lavouras e núcleos urbanos. Isto provocou a exposição do solo acelerando os processos de erosão e deposição.
O assoreamento é uma conseqüência direta da erosão. Para se observar se uma região está sofrendo uma erosão muito pronunciada basta que se observe a água das enxurradas e dos rios após as chuvas. Se for barrenta é porque a região a montante está sendo muito erodida. Ao erodir um terreno a água da chuva leva a argila em suspensão, dando a cor amarelo ocre às águas.
Problemas causados pela elevada taxa de assoreamento a que está sendo submetida a Baía de Guanabara:
a) Elevação do fundo prejudicando a navegação e diminuindo a lâmina d'água, o que provoca seu maior aquecimento e menor capacidade de dissolver oxigênio.
b) Alteração da circulação e dos fluxos das correntes internas, comprometendo a vegetação da orla (manguezais) e as zonas pesqueiras.
c) Assoreamento da área de manguezais que altera a flutuação das marés pelo avanço da linha de orla, podendo muito rapidamente comprometer este importante ecossistema.
d) O material fino em suspensão na coluna d’água (turbidez), é uma barreira à penetração dos raios solares, prejudicando a biota que realiza fotossíntese e consequentemente diminuindo a taxa de oxigênio dissolvido na água.
Na região da baixada o carreamento intenso de sedimentos provoca o assoreamento dos córregos, rios e canais, originando inundações muitas das quais, por acontecerem todo ano, já são crônicas na história da região. Combater as enchentes só será possível portanto, através de uma ação global no conjunto da bacia da Baía. A simples dragagem é uma medida paliativa, pois o material tirado hoje voltará amanhã através da erosão.


A fim de registrar essas Earthcache, você deve enviá-los por e-mail, respostas para as seguintes perguntas:
1-Quais são as principais formas de erosão na bacia hidrográfica da Baía de Guanabara?
2-Quais são os diferentes tipos de movimentos gravitacionais?
3- Quais são os principais problemas causados pela alta taxa de assoreamento?
4-No gz vai encontrar um painel de informações. Que é o que está escrito sobre este painel?
5- Opcional: Tirar uma foto no GZ com você ou seu GPS, sem revelar qualquer resposta das perguntas de acima.








The Guanabara Bay is considered by many the most beautiful bay in the world. Along its contour, estendendem is natural beauty of unique formations, asssim as man-made constructions also stand out in this scenario that deserves to be known.





GEOLOGY, SEDIMENTATION AND SEDIMENTATION OF GUANABARA BAY



The Guanabara Bay has an area of approximately 400 km2 and contains about 3 billion m3 of water. It is an example of mixed coastal environment, marine-continental interfacie in accelerated degradation process, driven by the combination of natural and anthropogenic factors.
The geological trend of the bay, given the unstable equilibrium conditions of the system, would be in the long term, a complete sedimentary rubble, with only the survival of river channels, which would have its opening at a point near the present entrance. The anthropic activity has accelerated the silting process, introducing more an imbalance component to the system.


ORIGIN AND EVOLUTION OF THE BAY GUANABARA


The Guanabara Bay, including most of its watershed taxpayer corresponds to a structural compartment tectonically lowered, old Cenozoic (physiographic region known as Baixada Fluminense).
According Ruellan (1944), the bay originated from a fault angle depression between two groups of faulted blocks: the Organ Mountains and the small coastal massifs. The structural lines that conditioned the existence of Baixada would reactivations Cenozoic structural lines Precambrian (Almeida, 1976). The bay is its most unique ways the invasion and marine accumulation, being called by Ruellan of "Ria Guanabara".
Geological evidence found in Macacu Formation (Barreiras Group) suggest, for part of the Cenozoic (Upper Tertiary, Pliocene and Peistoceno Average), a drain basically directed to the current Baixada Sepetiba. Evidence: Although the taxpayer basin of the bay has sedimentary remnants from the Upper Tertiary (Macacu Formation and Pre-Macacu), the sequences observed on the bay floor, from surveys reveal deposits only from the Late Pleistocene (Wisconsin) of training Caceribu.
The drainage system of Guanabara only begins to install the last interglacial period (Sangamon), about 200,000 years A. P.
The fluvial deposits of Caceribu Formation indicate level position sea below the current, up to about 100 meters, dry climate, and anastomosante drainage system, with shallow and wide channels. The coastline at this time would stand to dozens of current km, forming part of what is called Continental Shelf.
Gradually but continuously, there are 16,000 years P., began the process of drowning Pleistocene river basin, in marine waters, marking the beginning of the Lower Holocene. This transgressive phase is called for Amateur (1980) of Transgression Guanabarina, relatable to Transgression Santista (Suguio and Martin, 1975) and Transgression Flandrian (Fairbridge, 1961, 1962 and 1976).




PRESENTATION


The landscape of an area is the result of its climate interaction, geology, vegetation (flora) and animal life (fauna), including man.
When referring to the geology of an area, we are referring to the set of its rocks, the way these rocks are arranged in space and hinged together to form rocky bodies, its genesis, its mineralogical composition and structural characteristics inherited from the process of its formation or produced in later periods to their training.
This set of geologic characteristics of calls reflect preterits environments. This geological base, now exposed to weathering and erosion sites, is one of the physical basis of the environment in the area.
Understanding the essentials of geology is necessary, it is about her that other environmental factors have acted in landscape modeling process. Despite the more than 2000 existing mineral in nature, few have relevance in this process, being the most abundant in the earth's crust. Are minerals of the group of feldspars; quartz and minerals of the mica group. In general feldspar, in spite of being a diverse group, they have physical and chemical characteristics that make them respond very similarly to weathering and erosion form. The same can be said of mica. answers differences exist but are small. Anyway, for analysis of these factors in landscape modeling we can abstract the differences and work with these groups as if they were homogeneous. How are quantitatively the most important minerals forming the rocks, we can say that they constitute the basic knowledge to understand environmental processes active in the basin of Guanabara Bay. In a few regions, the above does not apply, because its rocks have different mineralogical compositions of existing rocks here in Rio de Janeiro.


The basin of Guanabara Bay is, in general, compartmentalized in good characteristics as to its relief areas. To the north, bordering the Bay of background, it appears the Serra do Mar, which locally is called the Organ Mountains. Between this and the Atlantic Ocean appears to coastal lowlands, wide flat area, sedimentation fruit within the last million years. The passage of this area to the Serra do Mar is sharp and well defined. Scattered throughout this plain appear rounded morrotes (half orange), with altitudes between 30 and 100 meters. The mountainous region is characterized by sharp, steep relief, with average dimensions above 700 meters, reaching 2263 meters in Bell Stone, culmination of the Organ Mountains. Limiting the plain to the ocean side have a massive coastal relief less pronounced than serrano, which are situated rounded pontoons naked and characteristic as the Sugar Loaf. In the area that connects the Guanabara Bay to Ocean these massive jut directly into the sea, sometimes rimmed so only by narrow strips of sand deposited by sea currents.



The same weather, geology, topography and vegetation, which made the basin of Guanabara Bay an extremely rich and diverse ecosystem, have generated numerous environmental problems related to an occupation that does not respect the delicate balance existing there.
The hot and humid climate, acting on feldspathic rocks, gave rise to thick blanket of decomposition. In the front region of the Serra do Mar, inheritance of a tectonic framework, the steep relief did not allow this decomposed material to accumulate in significant thicknesses. However, due to the same wet weather, allowed the establishment of lush vegetation, which in turn has acted as a soil retainer, an unstable imbalance.
The large amount of material provided by erosion allowed the emergence of the lowland and transitional environments between the mainland and the sea, where he settled and developed a formidable formation of mangroves, fertilizing Bay with wildlife for those who serve as nursery or habitat.


DYNAMICS OF NATURAL SLOPES


A slope can be understood as a natural inclined surface. In geotechnical studies the slope is also called natural slope and landfill slopes built by man are called artificial slope. In general a hillside consists of a mantle of decomposed materials (weathering mantle) on a rocky surface. In certain geological conditions of the weathering mantle and bedrock there is a clear but gradual limit.
Erosion and mass gravitational movements are the main shapers processes the slopes. Erosion is the mass transport process where the transmission power is transmitted by carrier medium, which may be water, air or ice. In our climate prevails the process controlled by water. Transportation by air only occurs in coastal areas of open water, leading to the dunes. Transport by ice does not exist in our climate.
Gravitational movements are those in which the gravitational force acts directly on the material that is moving.

EROSION



The main forms of erosion prevailing in the basin of Guanabara Bay are:
a) laminating Erosion: when water flows evenly on the surface as a whole, carrying the particles without forming defined channels.
b) erosion in gullies or grooves, when the water is concentrated filleted carrying the particles forming the surface gullies. These gullies can quickly reach several meters deep.
In an extreme case, the ravines can reach the water table. When this happens the natural flow of groundwater begins to act as a carrier of the bottom of the ravine particles, undermining its base and causing the collapse of the headboard. The resulting feature is known as boçorocas.

MOVEMENTS MASS GRAVITATIONAL


Generically gravitational movements can be classified into the following categories:
a) Crawl
It is an extremely slow movement of a few centimeters a year. Basically it gives the movement as a whole, the mantle of change of a slope; shifting and opening cracks in the lower parts (residual soil and rock). This movement affects large areas and does not exhibit a rupture surface very well defined. With the increase in speed can become a slip.
The existence of a creep area can be noticed by the slope of trees, fences or poles. Typically, this is a slower movements which exist but with increasing water saturation in the soil, it can take a higher velocity, becoming a hazard for buildings that exist in this component or this valley.
b) Slipping
Contrary to crawl slipping partially affects the change mantle of a hillside, has limits (failure surface) well defined both in depth and laterally and are fast. Occur in fractions of seconds to minutes. The slip has been the most common type of mass movement in the region and the intensity and speed with which this occurs has caused many deaths and material losses.
c) Blocks Falls
They are extremely fast movements where there is detachment of splinters and pieces of outcropping rocks on hillsides.
d) Mass Racing
It is characterized by the influx of large amount of material for drainage. The clay of this material is mixed with water to form a viscous liquid (slurry) with high moldability flowing into the lower parts. For its speed and high density possessing high destructive power and extensive range of action. Normally the source of the material that flows into the drain is slip occurring upstream. They are associated with high rainfall. They are movements that resemble avalanches.
In the summer of 1996 in Jacarepagua, a typical mass rush occurred (avalanche) which caused great destruction. It was caused by intense precipitation, concentrated in a short time. This fact had great repercussion in the national press for having achieved an urban area of the city of Rio de Janeiro notably middle class.

SILTATION

The silting process in a river basin is closely related to erosion, since it is this that provides the materials to be transported and deposited will lead to silting. Sedimentation and erosion are two directly proportional processes in the dynamics of the river basin.
Siltation occurs in recessed areas such as the bottom of valleys, rivers, seas or any other place where the basic level of drainage allows for a depositional process.
In the basin of Guanabara Bay, the silting process was accelerated by the removal of vegetation cover, initially for the extraction of precious woods of the Atlantic Forest, and later to the establishment of plantations and urban areas. This caused soil exposure accelerating erosion and deposition processes.
Siltation is a direct consequence of erosion. To see if a region is undergoing a very pronounced erosion just to observe the water runoff and river after the rains. If it is muddy because the upstream region is being very eroded. By eroding land rainwater takes the clay in suspension, giving the color yellow ocher to water.
Problems caused by high silting rate of being subjected to Guanabara Bay:
a) Background Elevation damaging navigation and decreasing the water depth, which causes its greatest warming and lower ability to dissolve oxygen.
b) Change of movement and the internal current flows, affecting the vegetation edge (mangroves) and fishing areas.
c) Sedimentation area of mangroves amending the fluctuation of tides at the shore line feed and can very quickly undermine this important ecosystem.
d) The fine material suspended in the water column (turbidity), is a barrier to the penetration of sunlight, damaging the biota that performs photosynthesis and thereby decreasing the rate of oxygen dissolved in the water.
In the region of marshland intense entrainment of sediment causes siltation of streams, rivers and canals, causing floods many of which, by happen every year, are already chronic in the history of the region. Combat floods can only be so through a global action throughout the basin of the Bay. The simple dredging is a stopgap measure, because the material taken today will return tomorrow through erosion.


In order to log this EarthCache, you must send by mail, answers to the following questions:
1-What are the main forms of erosion in the catchment area of the Bay of Guanabara?
2-What are the different types of gravitational movements?
3- What are the main problems caused by the high rate of silting?
4-In the gz will find an information panel. What is written on this panel.
5- Optional: Take a photo in the GZ you or your GPS, without revealing any of the above



Additional Hints (No hints available.)



Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.