Skip to content

<

Ponte da Pedra

A cache by ninigt Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 04/17/2019
Difficulty:
2.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Ponte da Pedra

Há pouco mais de 150 anos, a zona que hoje é conhecida por Malaposta era um lugar com pequenas parcelas de terras cultivadas e alguns vinhedos. Era na altura conhecida como Ponte da Pedra, nome derivado de um pequeno aqueduto em pedra existente sobre o Rio da Serra, que desagua 200 metros mais à frente no Rio Cértima.

Antes de 1857, o lugar da Ponte da Pedra não era mais do que uma encruzilhada de 2 maus caminhos. Um no sentido Norte-Sul, e outro no sentido Este-Oeste. A Norte fica a povoação de Canha e mais à frente Avelãs de Caminho; a Sul as Vendas da Pedreira; A Oeste, depois do Rio Cértima, Mogofores; e a Este, Famalicão. Nessa encruzilhada não existiam mais do que 2 ou 3 casebres.

Uma iniciativa governamental viria a ter uma grande importância sobre este pequeno lugar, que viria a mudar o seu estilo de vida em muito.

Em 1857, era primeiro ministro do reino Fontes Pereira de Melo, iniciaram-se as carreiras de “Mala-Posta” entre Lisboa (Carregado) e Porto (Gaia), que tiveram pouco tempo de vida, visto que 5 anos depois, a 7 de junho de 1864, ficou concluída a via férrea que passou a ligar estas duas cidades, deixando de se justificar o Serviço de Mala-Posta, mais lento, mais caro e com menos capacidade de transporte.

A Malaposta (Ponte da Pedra) era uma das 23 estações de Muda, no percurso Carregado-Gaia, cerca de 300Kms que a pesada carruagem percorria em quase 34 horas. Ao longo do percurso, o serviço tinha pontos de apoio em casas de um modo geral propositadamente construídas para o efeito, onde faziam a muda dos animais e onde pernoitavam e se alimentavam os próprios passageiros. Ainda hoje, ao longo da estrada Nacional nº1/IC2 se podem identificar muitas dessas casas. Uma delas e nesta localidade e que actualmente é um restaurante muito afamado na região. A par de outros lugares, também este adoptou o nome de Malaposta.

Como qualquer meio de transporte, está sujeito a acidentes. A 27 de junho de 1860, após a muda dos animais, a Diligência partiu da Estação de Muda da Ponte da Pedra com 8 passageiros, Correio-Condutor, com o Capitão dos Serviços da Mala-Posta, Vieira de Carvalho e o Postilhão. Partiu em direcção a Norte e a 900 metros a carruagem meteu uma roda num buraco, oscilando de tal modo que os cavalos se assustaram e desiquilíbraram-se. A carruagem voltou-se com os ocupantes aos gritos. O Postilhão caiu do alto da viatura e bateu com a cabeça numa pedra tendo morte quase imediata.

Aquando do acidente, passava pelo local o Conde da Graciosa, no seu coche, com o seu cocheiro, e de imediato socorreu os feridos, conduzindo-os ao seu Palácio. A noticia rapidamente chegou à Casa da Muda e logo enviaram socorro e rápidamente colocaram a carruagem direita. O Correio-Condutor, fazendo jus à eficiência dos seus serviços, retomou a marcha para Norte com 3 passageiros que não sofreram ferimentos, mais o correio.

A localidade foi crescendo devido à instalação do serviço e após a sua extinção não parou de evoluir, graças também ao caminho de ferro, pois que era por ali que se passava entre a estação de Mogofores e Anadia.

O progresso do local nota-se bem a partir dos meados do séc.XX com o aparecimento de inúmeros serviços e estabelicimentos de comércio, muitos deles ligados à reparação automóvel. O local teve também uma agremiação desportiva, o Clube Académico da Malaposta, que se fundou em 5 de outubro de 1976 para se dedicar, em exclusivo, à prática do atletismo.

FONTE: "Anadia, Sítios & Memórias" de Carlos Alegre


This page was generated by Geocaching Portugal Listing Generator

Additional Hints (No hints available.)