Skip to content

Espindo #5 (circuito) Traditional Cache

Hidden : 02/07/2020
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
2.5 out of 5

Size: Size:   micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Cache Espindo #5. Leve material para escrever. A cache não se encontra nos muros/paredes. Não remova nenhuma pedra.

Circuito de Espindo. Trata-se de um belo passeio a pé (cerca de 6 km) com 13 caches. Começa na estrada que liga Vieira a Ruivães pela Serradela. O início corresponde à antiga estrada que ligava Ruivães a Vieira pela serra. O percurso passa depois por antigos caminhos empedrados utilizados pelos habitantes de Espindo para se deslocarem entre campos agrícolas, para acesso a levadas ou a antigos moinhos de água ou simplesmente para levarem o gado para pastagens. O caminho encontra-se em bom estado mas em período prolongado de chuva pode estar alagado nalgumas zonas. O caminho tem vistas para a serra do Gerês e, entre outras, para as povoações de Ruivães, Vale e Espindo. Vai passar pela aldeia de Espindo que é uma típica aldeia de montanha pouco conhecida. O percurso é em circuito circular com início e final no mesmo ponto. Os desníveis podem ser acentuados. Aproveite este passeio e divirta-se.

Nota: duas das caches já existiam anteriormente e incluí-as agora no circuito dando-lhes o nome do circuito além da antiga designação ("Mini maxi" e "Moinhos de Espindo").

Espindo Cache # 5.  Take writing material with you. The cache is not in the walls, please don't remove any stone(s).

Espindo Loop. It is a beautiful walk (about 6 km) with 13 caches. It starts on the road that connects Vieira to Ruivães through Serradela. The beginning corresponds to the old road that connected Ruivães to Vieira through the mountains. The trail then passes through old cobbled paths used by the inhabitants of Espindo to acess agricultural fields, water courses ("levadas"), old water mills or simply to take cattle to pastures. The path is in good condition but during prolonged periods of rain it may be flooded in some areas. The path has views to the Gerês mountains and, among others, to the villages of Ruivães, Vale and Espindo. You will pass through the village of Espindo, which is a typical little-known mountain village. The trail is a loop with beginning and end at the same point. The trail is a bit hilly. Enjoy this tour and have fun.

Note: two of the caches already existed and I have now included them into the circuit giving them the name of the circuit in addition to the old designations ("Mini maxi" and "Moinhos de Espindo").

Aldeia de Espindo

A aldeia de Espindo, já referenciada na documentação do século XIII, implanta-se a meio da vertente Norte da Serra da Cabreira, dominando uma ampla veiga agrícola formada por leiras em socalco, que armam a encosta desde o povoado até às ribeiras. Conserva as suas características de aldeia de montanha, com o aglomerado concentrado, onde são também visíveis bons exemplos de arquitectura vernácula. Destaca-se um grande número de espigueiros e de moinhos, marca arquitectónica vinculada à economia agrícola da população e algumas casas de habitação, sendo grande parte delas datadas do século XIX. Não tem igreja, apenas uma capela dedicada a Santa Isabel.

[...]

No que respeita especificamente à arquitectura vernácula em Vieira do Minho, as soluções construtivas e mesmo estéticas que a caracterizam manifestam-se no mais variado tipo de construções, desde as alminhas às cabanas de pastor e das casas aos pontões. Distinguem-se entre todos os núcleos bem conservados de algumas aldeias, onde se congregam múltiplas expressões construídas vernaculares, destacando-se o conjunto dos espigueiros e moinhos, quase sempre espacialmente muito distantes mas umbilicalmente ligados pelo mais importante sustento, o pão, neste caso o milho grosso ou maiz, cujas espigas se guardam nos espigueiros, até serem levadas para os moinhos a moer. Em praticamente todas as cerca de 150 aldeias do município de Vieira do Minho se identificam edificações de arquitectura tradicional, mas frequentemente já desenquadradas da antiga malha urbana, que se apresenta alterada. Contudo, alguns núcleos populacionais rurais serranos ainda conservam a sua estrutura urbana antiga, não se tendo alterado a íntima relação com os espaços agrário s envolventes - as veigas profusamente irrigadas, onde se cultiva tudo o que é necessário ao sustento das famílias (hortícolas, milho, batata); mais afastados, pequenos bosques e zonas de matos continuam a fornecer material para a cama dos gados; na serra alta, pastam os rebanhos e manadas (cabras, bovinos e equinos), em algumas localidades ainda em regime de vezeira. Estão neste caso as aldeias de Lamalonga, Campos, Espindo e Agra e com menos expressão as de Zebral, Vilar Chão e Anjos. Aí, podem encontrar-se bons exemplares de arquitectura vernácula, desde as habitações (casas de lavoura simples, com duas divisões, ou casas de lavoura grandes, com pátio interior, para onde abrem as cortes, adegas e a habitação, esta frequentemente alpendrada) aos espigueiros, pode ainda fruir-se paisagens equilibradas, bem como tomar contacto com práticas de trabalho tradicionais e perceber o notável esforço das populações na construção e manutenção da paisagem.

("Património Arqueológico e Arquitectónico de Vieira do Minho", Luis Fontes e Ana Roriz)

Additional Hints (Decrypt)

Phvqnqb pbz nf nenaunf! N pnpur aãb fr rapbagen abf zhebf/cnerqrf. Aãb erzbin arauhzn crqen. / Orjner bs fcvqref! Gur pnpur vf abg va gur jnyyf, cyrnfr qba'g erzbir nal fgbar(f).

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)