Skip to content

Abrigo da raposa Traditional Cache

Hidden : 09/04/2021
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
2.5 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


O abrigo da raposa

 

 

Morfologia:      
Peso: 3.1-7.8 Kg (fêmeas), 4.6-8.6 kg (machos)
Comprimento: Cabeça-corpo: 52.0-72.0 cm (fêmeas), 65-90cm (machos); Cauda: 32 - 44 cm (fêmeas), 33 - 48cm (machos)
Dimorfismo sexual: ligeiro

A raposa é uma das duas espécies de canídeos silvestres que ocorre em Portugal, juntamente com o Lobo-Ibérico Canis lupus signatus. A espécie é facilmente reconhecida pelo seu focinho pontiagudo e orelhas proeminentes. Apresenta uma pelagem castanho-avermelhada no dorso que contrasta com a coloração branca do ventre, contudo a cor da pelagem pode ser bastante variável. As extremidades do corpo, nomeadamente as orelhas e os membros apresentam coloração negra. A cauda é longa e tufada, apresentando usualmente uma mancha de cor branca na ponta.
       

Ecologia
Distribuição: A espécie está amplamente distribuída no hemisfério Norte, estando ausente em determinadas ilhas (ex. Islândia) e zonas de climas extremos (ex. algumas regiões da Sibéria). Em Portugal a espécie está presente em todo o território de forma generalizada e uniforme não ocorrendo no arquipélago dos Açores e da Madeira.
Habitat: A raposa utiliza um grande espectro de habitats. Habita preferencialmente zonas de matagal, floresta e campos agrícolas, mas pode ser encontrada em ambientes subárticos e desérticos. Ocorre desde o nível do mar até alta montanha e pode frequentar zonas urbanas.
Guilde Trófica: Carnívoro
Estatuto de proteção: Pouco Preocupante (LC) em Portugal e a nível global
Ameaças: Perseguição directa, nomeadamente caça ilegal e envenenamento; Atropelamentos; Destruição e fragmentação do habitat.

Descrição Geral
A sua longevidade em estado selvagem oscila entre os 9 e 13 anos de idade, embora seja frequente não atingirem estas idades devido a mortalidade não-natural (ex. atropelamentos, envenenamentos e pressão cinegética).

Reprodução
A maturidade sexual ocorre habitualmente no primeiro ano de vida, porém em zonas com elevada densidade populacional pode ocorrer mais tarde. O período de acasalamento decorre de Dezembro a Fevereiro, nascendo as crias entre Março e Maio, após 52 dias de gestação. As crias nascem cegas e abrem os olhos nas primeiras semanas de vida. Ambos os progenitores participam nos cuidados parentais. Até aos 6 meses apresentam uma pelagem parda e escura, sendo que após este período adquirem a coloração típica da pelagem dos adultos. As crias ficam independentes entre Setembro e Dezembro.

Ecologia alimentar
A grande capacidade adaptativa da espécie está intimamente ligada à flexibilidade da sua dieta. É uma espécie omnívora e oportunista que tende a alimentar-se dos recursos mais abundantes no seu território. Os roedores são presas típicas, nomeadamente os do género Microtus ou outros como o ratinho-do-campo Apodemus sylvaticus. O coelho Oryctolagus cuniculus pode ser também uma presa frequente, principalmente durante a época de criação e na região Sul da Península-Ibérica onde é mais abundante, uma vez que permite ter grandes ganhos energéticos. O consumo de coelho nas regiões de Espanha onde o lince-ibérico Lynx pardinus está presente leva por vezes a competição das duas espécies pelo mesmo alimento, sendo a raposa por vezes morta pelo lince. A raposa consome também frequentemente frutos diversos e insectos (ex. escaravelhos) bem como outros vertebrados (insectívoros, aves, répteis e anfíbios). A espécie pode ainda recorrer à necrofagia, nomeadamente de animais domésticos como a cabra e a ovelha. Nos ambientes urbanos em que está presente, podem frequentar lixeiras.

Organização social
A espécie é territorial e organiza-se em núcleos familiares. Estes grupos são usualmente constituídos por um macho que lidera uma a quatro fêmeas. A marcação territorial é feita habitualmente através da deposição de excrementos em locais proeminentes bem como marcações de urina. O tamanho do território de cada núcleo familiar é variável e habitualmente está condicionado à disponibilidade de alimento. Em Portugal existem registos de territórios que variam entre 1.8 e 2.5km2.

Comportamento
Embora maioritariamente nocturna, a espécie pode estar activa durante o dia, nomeadamente no Sul da Europa e em áreas que apresentam reduzida perturbação humana bem como no período do ano em que as noites são mais curtas. A actividade diária da espécie é maioritariamente dedicada à caça de presas e à defesa do território, podendo diariamente percorrer 10km. Ao contrário do que acontece com o lobo-ibérico, que tende a caçar em grupo, o comportamento de caça é tipicamente solitário. A aproximação às presas é feita de forma silenciosa e discreta, quando suficientemente perto tende a saltar por cima da presa para a capturar. A raposa tende a utilizar tocas, por si escavadas ou escavadas por outros (ex. coelho ou texugo Meles meles) que utiliza para se abrigar e esconder de predadores.

Medidas de Conservação
Em Portugal a espécie está incluída no Anexo D da Convenção de CITES, contudo pode ser legalmente caçada em Portugal segundo a lei da caça (in Decreto-Lei nº227-B/2000 de 15 de setembro). Podem ser aplicadas à espécie, práticas de controlo de predadores em zonas de regime especial e sob autorização.

Curiosidades
A raposa é o carnívoro com maior distribuição mundial. A par disto é também a espécie mais criada em cativeiro em todo o mundo para a produção de peles, juntamente com o visão-americano Neovison vison. Contudo em 1992-93 a raposa, apanhada em estado selvagem, era ainda o terceiro tipo de pele comercialmente mais importante na América do Norte.

Fonte: naturdata.com

************

A cache inicial é um contentor simples, que permite trocas de TB e GC.

Levem material de escrita.

Por favor, não publiquem fotos do GZ.

Se possível, façam CITO.

Additional Hints (Decrypt)

Ab noevtb.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)