Skip to Content

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.

Traditional Geocache

Portas de Montemuro

A cache by almeidara Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 4/9/2007
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
2 out of 5

Size: Size: regular (regular)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


 

GEOLOGIA

A paisagem da região é reflexo da tectónica e da erosão que actuaram nos diferentes tipos de rocha ao longo de pelo menos 300 Milhões de anos. A Geologia e Geomorfologia condicionam as vias de comunicação e desempenham um papel importante na fixação humana e no aparecimento dos núcleos populacionais. O relevo actual resulta da dinâmica do planeta Terra e em último caso das actividades humanas.

No que respeita ao clima, a região apresenta um clima húmido e frio típico de regiões montanhosas.

Sob o ponto de vista geológico, predominam xistos e grauvaques (do Câmbrico e Pré-Câmbrico) e granitos, sendo também possível observar corneanas (rochas que sofreram intenso metamorfismo de contacto) e filões de quartzo.

Devido às caracteristicas geológicas, topográficas e climáticas esta região apresenta uma agricultura de minifúndio.

A região da Serra de Montemuro tem paisagens deslumbrantes observando-se importante potrimónio arquitetónico e arqueológico, marcas da utilização dos recursos naturais que o tempo não apagou, e o Homem tenta preservar.

A vertente sul da Serra de Montemuro vai até à altitude de 1200m é essencialmente constituída por xisto. Nomeadamente são xistos cinzentos - amarelados ou negros, com biotite, às vezes com clorite. As camadas têm direcção 50º e inclinam para nordeste com ângulos variáveis de 65º, podendo mesmo atingir a vertical.

ARQUEOLOGIA

Nas Portas de Montemuro observam-se os restos existentes de uma muralha de defesa - O MURO - dando assim nome a esta serra. Esta muralha localiza-se no ponto mais alto da serra, criando assim as melhores condições para defender a passagem que dá acesso a esta região, desde o rio Douro a norte e o rio Mondego a sul. Junto às portas encontramos uma pequena capela cercada - capela de nossa Senhora do Amparo.

O recinto muralhado teria sido construído por povos proto-históricos e utilizado também na época de ocupação romana. As Portas de Montemuro abrangem a divisão entre os Concelhos de Cinfães e Castro Daire.

Existem hoje vestígios dispersos de muralha de traçado presumivelmente circular na cota mais elevada da serra e de outra de maior perímetro em cota inferior, de traçado poligonal muito irregular.

TRANSUMÂNCIA

Desde tempos remotos que se verificam deslocações sazonais de gado na Europa Mediterrânea. A este movimento alternativo e periódico dos rebanhos entre duasregiões oroclimáticas distintas, é designado por transumância. 

A uma fase primitiva de nomadismo, caracterizada por deslocações que arrastavam consigo homens, animais e toda a comunidade, sucedeu uma outra, mais racional e organizada que é uma forma de assegurar a alimentação dos animais e de garantir os rendimentos numa altura do ano em que os criadores não dispunham de recursos, face à escassez de pastagens, comoconsequência dos rigores do clima.

No nosso território, dois tipos de transumância: a ascendente ou de Verão e a descendente ou de Inverno. Do primeiro tipo são exemplos as deslocações de gados de algumas aldeias dos concelhos de Seia, Manteigas e Covilhã para as zonas mais altas da Serra da Estrela; as deslocações de aldeias do planalto beirão dos concelhos de Oliveira do Hospital, Tábua, Arganil, Nelas, Seia, Gouveia e Mangualde para alguns baldios serranos dos concelhos de Seia e Gouveia; e as deslocações de vários daqueles concelhos para a Serra do Montemuro. Da transumância de Inverno, salienta-se a ida de ovelhas e cabras da Serra da Estrela para o “campo” de Idanha, para as terras baixas do Alentejo, para os “Camposde Ourique”, para o Baixo Mondego e para a região do Alto Douro.

A transumância de ovinos no nosso país, embora em decadência desde o liberalismo, persistiu até há muito pouco tempo. No ano de 1999 deu-se a derradeira ida transumante de ovinos à Serra do Montemuro. Era já então conhecida como “A Última Rota de Transumância”. Entre os dias de São João (24 de Junho) e de São Pedro (29 de Junho), em dia previamente combinado, dava-se na povoação de Barbeita, freguesia de Rio de Loba, nas imediações de Viseu, o ponto de encontro de animais provenientes de alguns concelhos do Planalto Beirão e que iam integrar o rebanho transumante. Acontecia, assim, na povoação de Barbeita, depois de um dia de confraternização amiga entre pastores, criadores de gado, familiares e amigos, que se dava a ordem de partida para uma jornada que levaria quatro longos dias até à zona da Cruz do Rossão, em pleno Montemuro. Esta rota manteve-se praticamente inalterada desde tempos imemoriais.

O percurso pelo qual transitaram os rebanhos transumantes em direcção ao Montemuro, necessita de manutenção e recuperação de caminhos, pontes e outros locais de travessia de cursos de água, vedações, muros e abrigos, mas ainda é possível ver e percurrer certos troços.

 

Additional Hints (Decrypt)

graf qr gre b oençb pbzcevqb.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

217 Logged Visits

Found it 209     Didn't find it 1     Write note 5     Publish Listing 1     Needs Maintenance 1     

View Logbook | View the Image Gallery of 67 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated: on 6/1/2018 10:44:14 AM Pacific Daylight Time (5:44 PM GMT)
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page