Skip to content

Torre Velha [Margem Sul] Traditional Geocache

This cache has been archived.

almeidara: Com muita pena minha, utilizo este log pela primeira vez, e ainda por cima, numa das minhas caches que tive mais gozo a colocar.

Obrigado aos que a puderam visitar e espero que um dia, este património nacional volte a ser visitável.

More
Hidden : 05/27/2007
Difficulty:
2.5 out of 5
Terrain:
3.5 out of 5

Size: Size:   regular (regular)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


 

 

Há muito, muito tempo, o meu avô contou-me a história de uma torre, em tudo igual à torre de Belém, mas do outro lado do rio. Pelo menos foi assim que ficou registrado na memória. 

Muitos anos depois, já com a internet, foi possível investigar mais o assunto. Em muitos mapas lá aparecia a "torre velha", ou "tour vielle" noutros.

Data desconhecida. Visível Torre de Belém (com nome) e Velha 1704. Tour Vielle, Tour de Belem, Fort St Julien, etc. 1673. Fortaleza em frente à Torre de Belém
Profundidade da barra do Tejo marcada

Mas nenhum desses dava a localização exacta do Forte. Mais pesquisas, muitos mapas passados, quando já procurava outras histórias surge um mapa suficientemente preciso para revelar a localização da Torre Velha. Tratava-se de um mapa da cidade de Lisboa e subúrbios por altura das invasões francesas, feito certamente por Ingleses. 

Sobreposto à carta militar, entretanto adquirida, mostrava o sítio à muito procurado. Porto Brandão era o nome da terra, Lazareto o local mais próximo.

E daqui tudo se mostrou mais fácil. A história apareceu mais facilmente. A Torre Velha afinal também era conhecida como Forte de São Sebastião da Caparica. 

Remonta a uma bateria erguida por determinação de D. João I (1385-1433). Essa defesa foi complementada por uma nova estrutura erguida sob o reinado de D. João II (1481-95). No século XIX serviu como local de quarentena para os passageiros dos navios que chegavam ao porto de Lisboa com suspeita de moléstias contagiosas. Também serviu de prisão e foi remodelado em 1931 para instalar o Asilo 28 de Maio, um albergue de raparigas dirigido por freiras. Após o 25 de Abril de 1974 alojou famílias oriundas das ex-colónias.

Cronologia (retirado da DGEMN)

1488 - concluída a fortaleza que D. João II mandara edificar no lugar da bateria ao lume de água, chamado o Forte da Caparica, que D. João I mandara levantar; as gravuras de Garcia de Resende revelam que era formada por uma torre e um baluarte, sendo possível que se assemelhasse à Torre de Outão, sua contemporânea e à torre de Belém mais tardia;
séc. 15 - época provável da porta que comunica para o terraço e janelão, e dos suportes de pau de bandeira;
1570 - D. Sebastião manda reedificar ou transformar a torre (1) (não se sabe qual teria sido a intervenção) passando a chamar-se Torre ou Fortaleza de São Sebastião da Caparica;
1580 / 1640 - fica na posse dos espanhóis e teve alterações durante a dinastia filipina, sendo conhecida, nesta altura, por Torre dos Castelhanos;
1640 - séc. 18 - Os Távoras da Caparica tiveram em Almada um importante morgadio sendo governadores perpétuos da Torre Velha;
séc. 17 - sofre obras de melhoramento, transformando a torre;
1692 - as partes fundamentais traçadas na planta desta época subsistem nos nossos dias: a torre do séc. 15, as cortinas E. e S. e os três baluartes, o fosso a E. a casa do governador, a capela, consagrada a São Brás e São Sebastião, adossada à cortina da porta de armas e uma construção abrigando uma escada no ângulo SE. da praça de armas;
séc. 18, 2ª metade - há indicação de preocupação quanto à consolidação do terreno anexo às edificações junto à riba;
1767 - informação de a Torre Velha ou de São Sebastião, sobre uma montanha, oposta à torre de Belém pelo lado N. e de as suas baterias altas e baixas cruzarem a de Belém;
séc. 18 - a Torre teve obras;
1794, 9 de Setembro - relatório de Guilherme Luís António de Valleré, dirigido ao ministro da guerra, o duque de Lafões, onde se fala das obras na Torre;
1794 / 1796 - obras na Torre sob a direcção do coronel Francisco D'Alincourt;
1801 - desactivação das fortalezas da margem S., terminado o conflito da Guerra das Laranjas;
1811 - é sugerido que o depósito onde era armazenado o material acessório de artilharia fosse destinado à instalação de prisioneiros;
1814, 13 de Agosto - parecer favorável à ocupação dos edificações para lazareto provisório, destinado às quarentenas de passageiros e tripulantes suspeitos de serem portadores de epidemia a bordo;
1815, 29 de Maio - o forte foi dissolvido por ordem do governo, conservando uma parte das edificações para alojar a guarnição que fazia guarda aos quarentenários;
1832 - a torre é remodelada e de novo reactivada; pensa-se que o muro que divide a praça alta que dá para a porta de armas está relacionado com a coexistência do lazareto;
séc. 19, meados - a Torre Velha é declarada sem interesse como fortificação e passa a ser considerada praça de guerra de 2ª classe;
1894 - deixou de integrar a lista das praças, tendo permanecido como depósito e alojamento, anexo ao depósito de munições do Porto Brandão;
1859 - extinção do lazareto, mas continua a alojar uma guarnição militar de guarda

E o melhor estava para vir. Chegar até ao forte, mostrou-se uma tarefa pior que imaginava. O Acesso que todos os documentos indicavam e a própria carta militar apresentava encontrava-se sempre fechado. Outros acessos que pareciam promissores acabavam numa cerca impenetrável, ou de arbustos ou de arames farpados. Destas incursões surge a cache Ø.

Finalmente, um caminho abriu-se e a torre foi tomada. Um tesouro foi deixado, cabe te a ti, acha-lo também!

Disponibilizo ficheiros Ozi com o caminho e os waypoints.

ATENÇÃO: pode ser necessário passar uma pequena cerca. Se achas que não és capaz disso não tentes esta cache. O site da Direcção de Monumentos indica o acesso a este forte como público. O acesso que encontrei é por uma quinta, o seu portão encontra-se sempre aberto, mas por favor sejam discretos. Caso encontres outro acesso, indica-o.

ACTUALIZAÇÃO (2007/07/26):  Obrigado ao Lamelas por indicar o contacto do Sargento responsável pelo local: Sargento Xarepe.

ACTUALIZAÇÃO (2007/10/22): Como indicado  pelo Charruas, BTR e Mamchanegra (obrigado) o Srgento Xarepe só deixará entrar pelos portões mais geocacheres até Dezembro. Depois disso estarão por vossa conta. Repito que o forte se encontra classificado como público e pelo que sei não foi vendido (?).
Aproveito para agradecer ao Sargento e pedir desculpa pelos incomodos. Nunca falamos mas, possivelmente já soltou os cães atrás de mim.

ACTUALIZAÇÃO (2007/12/03): Conforme referido nos logs, o acesso mais fácil foi vendido. Caso queiram aceder à cache devem faze-lo pelo acesso referido no texto da cache. Retirado o contacto do Sargento.

 

 

Additional Hints (Decrypt)

ab pbeerqbe

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)