Skip to Content

This cache has been archived.

Bitaro: Esta cache foi arquivada por falta de uma resposta atempada e/ou adequada perante as situações relatadas.
Relembro a secção das Guidelines sobre a manutenção http://support.groundspeak.com/index.php?pg=kb.page&id=307#maint :

Você é responsável por visitas ocasionais à sua geocache para assegurar que está tudo em ordem para funcionar, especialmente quando alguém reporta um problema com a geocache (desaparecimento, estrago, humidade/infiltrações, etc.), ou faz um registo "Precisa de Manutenção". Desative temporariamente a sua geocache para que os outros saibam que não devem procurar a geocache até que tenha resolvido o problema. É-lhe concedido um período razoável de tempo - geralmente até 4 semanas - dentro do qual deverá verificar o estado da sua geocache. Se a geocache não estiver a receber a manutenção necessária ou estiver temporariamente desativada por um longo período de tempo, poderemos arquivar a página da geocache.

A região onde um geocacher é considerado capaz de manter geocaches responsavelmente irá variar de pessoa para pessoa. Um geocacher que anteriormente fez registo de geocaches numa área alargada a partir da sua residência pode ser considerado habilitado a manter uma geocache a 200 milhas (322 Km) de distância. Contudo, alguém cujas actividades de geocaches têm sobretudo estado dentro da distância de 25 milhas (40km) de sua casa não deverá estar preparado para manter uma geocache tão distante de casa. O critério usado nesta situação fica a cargo do revisor da geocache ou pela Groundspeak.

Por causa do esforço requerido para manter uma geocache, por favor coloque geocaches físicas no seu espaço habitual de geocaching e não em sítios para onde costuma viajar. Geocaches colocadas durante viagens não serão muito provavelmente publicadas a menos que possa fornecer um plano de manutenção adequado. Este plano deve permitir uma resposta rápida a problemas reportados, e deverá incluir o Nome de Utilizador de um geocacher local que irá tomar conta dos problemas de manutenção na sua ausência. Alternativamente poderá treinar uma pessoa local para fazer manutenção à geocache. Documente o seu plano de manutenção numa Nota ao Revisor ou na sua página de geocache. Isto deverá incluir a informação contacto da pessoa que irá efectuar a manutenção. A nota irá ser apagada automaticamente aquando da publicação.

Se no local existe algum recipiente por favor recolha-o a fim de evitar que se torne lixo (geolitter).

Como owner, se tiver planos para recolocar a cache, por favor, contacte-me através do mail indicado no meu perfil e refira o GC Code da cache.
Lembro que a eventual reativação desta cache passará pelo mesmo processo de análise como se de uma nova cache se tratasse, com todas as implicações das Guidelines actuais.

Obrigado pela colaboração
Bitaro
Community Volunteer Reviewer

Centro de Ajuda
Trabalhar com o Revisor
Revisões mais rápidas
Linhas Orientação|Políticas Regionais - Portugal

More
<

Castelo de Arraiolos

A cache by almeidara Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 10/06/2007
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size: regular (regular)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


 

O castelo de Arraiolos foi mandado edificar pelo rei D. Dinis, no início do século XIV, existindo um documento coevo que nomeia o mestre João Simão, possível arquitecto do monumento. Mas já em 1217, quando D. Afonso II faz a doação da Herdade de Arraiolos ao primeiro bispo de Évora após a Reconquista, D. Soeiro, é referida a autorização régia para que aí se erga um castelo, no local onde existia um castro proto-histórico (confirmado por vestígios arqueológicos). No século seguinte, a escassa ocupação humana da zona foi-se densificando, até levar à formação de um núcleo de importância suficiente para justificar o investimento régio num Paço e fortificação envolvente, aparentemente levantados entre 1310 (ano da confirmação da carta de foral de Arraiolos) e 1315. Para tal, fora firmado um contrato entre o rei e o Alcaide, Juizes e Concelho locais, datado de 1305, determinando a construção de "207 braças de muro, de três braças de alto e uma braça de largo; e a fazer no dito muro dous portaes dárco com suas portas, e com dous cubellos quadrados em cada uma porta". Embora não se conheça notícia de edificações anteriores no local, à data das obras dionisinas, é perfeitamente possível que estas se tenham efectuado sobre construções existentes, com maior ou menor aproveitamento das suas estruturas. Em 1371, o rei D. Fernando determina que os moradores de fora, cada vez em maior número, fossem privados do acesso à igreja e aos santos sacramentos durante a noite, entre outras tentativas de fixar os habitantes no interior da cerca, mas tal não chegou para diminuir o progressivo despovoamento do local; a situação foi agravada pela ocupação da cerca por tropas castelhanas, em 1384. Em 1387, D. João I doou o castelo ao Condestável D. Nuno Álvares Pereira, segundo conde de Arraiolos, que aí chegou a habitar (sobretudo entre 1415 e 1423). Foram realizadas obras na fortificação em finais do século XV e inícios do XVI, integrando novas construções no Paço, e acrescentamentos como o coruchéu manuelino colocado na Torre do Relógio. O castelo era ainda habitado em finais do século XVI, mas por pouco tempo mais; em 1613, o estado de ruína do conjunto era já denunciado pela Câmara local. As Guerras da Restauração causaram ainda mais degradação, apesar de algumas obras ordenadas por D. João IV. Da barbacã, sabe-se que estava em ruína em meados do século XVII, quando o Paço e a Torre de Menagem eram já inabitáveis, tendo o terremoto de 1755 apenas acrescentado à destruição geral.

O conjunto ergue-se no topo de um monte de configuração curiosa, em cone regular e de encostas suaves, dominando toda a vizinhança, também conhecido por Monte de São Pedro, a Norte da actual vila de Arraiolos. A muralha é de forma elíptica, acompanhando as curvas de nível do terreno. Era rasgada por duas portas, uma a Sul (diante da qual se desenvolveu todo o casario extra-muros), e outra a Noroeste, voltada para a cidade de Santarém, e conhecida justamente por este nome. A primeira porta, ou Porta da Barbacã, deveu por sua vez a designação a uma destas estruturas, hoje desaparecida, erguida em murete ou anteparo, que se levantava diante da entrada, para dificultar o acesso à mesma. Cada porta tinha dois cubelos, que no caso da Barbacã seriam aparentemente o torreão do relógio e a Torre de Menagem. O Paço é constituído pela grande Torre de Menagem, de planta quadrada, e dependências anexas, dentre as quais se destaca a habitação principal. Embora a Torre ainda se apresente de forma reconhecível, com sinais dos quatro pisos de origem, da casa nobre restam apenas as paredes exteriores, rematadas nos ângulos por torres (uma das quais a de menagem), e os vãos ogivais das portas.

 

 


Não deixem de ler a descrição da cache de Arraiolos (by Mantunes), já arquivada. Com muita pena minha nunca a cheguei a conhecer, mas fiz parte do percurso aquando da colocação desta cache. Não pretende ser uma substituição, por isso não deve ser comparada. O tema é apenas o Castelo. Boas cachadas.

Additional Hints (Decrypt)

qronvkb qn zhenyun ngenf qr hzn crqen

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.