Skip to content

Tejo (a)Dentro Traditional Cache

This cache has been archived.

garri: Cache arquivada e a espera de um aviso para voltar a activar

More
Hidden : 02/12/2008
Difficulty:
1 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Tejo (a)Dentro





A origem de Porto Brandão

Sobre a origem do nome "Porto Brandão" pouco se sabe, a não ser as histórias que se contam de geração para geração.
Segundo essas histórias, até à tomada de Almada pelos Mouros, Porto Brandão chamava-se "Equabona", e a designação que actualmente tem deverá ter surgido entre 1472 e 1519. Por essa altura existia no local a Quinta da Azenha Cabeça de Morgado, cujo último proprietário, por herança, foi Francisco de Sá Menezes, que morreu sem deixar descendência. Francisco de Sá Menezes era bisneto de Diogo Brandão, responsável pelas Obras Públicas de Lisboa.
Por sua vez, Diogo Brandão era filho de Pedro Brandão, cujo apelido deu origem ao nome Porto Brandão, que na altura era conhecido por Porto do Brandão.


A Lenda

Porto Brandão também tem a sua lenda. Num local em se construíam barcos de todos os tipos, muitos dos que partiram para terras do Brasil e Índia foram aqui feitos, era natural que a população fosse composta, na sua maioria, por carpinteiros de naus e calafates. Entre eles encontrava-se um rapaz forte, jovem e bonito chamado Brandão, que às escondidas namorava a filha do dono do estaleiro, a jovem Paulina.O pai da jovem só pensava em ser rico e poderoso. Longe de saber que a sua filha namorava com um simples operário, prometeu-a em casamento a um negociante que se encontrava na Índia. Ao descobrir que sua filha namorava com Brandão o pai de Paulina ficou furioso. Para tentar acabar com o namoro entre os dois, e realizar o sonho de enriquecer o mais depressa possível, combinou com o comandante de um navio, que ia seguir viagem para a Índia, embarcar, clandestinamente, a sua filha. Na noite da partida do navio, preparou-lhe uma cilada e embarcou-a ,à força, no navio. As lágrimas de Paulina e da esposa não o comoveram.
Mas o jovem Brandão estava alerta. Quando o navio se preparava para partir, aproximou-se num pequeno barco a remos e, sem fazer barulho, o jovem subiu a bordo para tentar raptar a sua amada. Brandão foi descoberto. Sem perdão o comandante mandou-o matar e ordenou que o seu corpo fosse lançado às águas do Tejo.
Toda a cena foi observada por Paulina. Ao ver o corpo do seu noivo desaparecer no rio a jovem ,desesperada, não pensou duas vezes e atirou-se também ao Tejo.
Conta a lenda que, dias depois, os dois corpos deram à costa. O de Paulina foi encontrado numa pequena praia ali perto. Nessa altura passou a chamar-se Praia da Paulina, hoje conhecida por Praia do Lazareto. O corpo de Brandão foi encontrado na praia que hoje se chama Porto Brandão. Termina a lenda dizendo que aqueles que não conseguiram unir-se em vida, por causa da ganância de um pai, uniram-se na morte acabando sepultados no mesmo cemitério.


"Porto Brandão" e "Caparica", primeiros barcos com caldeira a vapor a fazerem a travessia do Tejo.


Breve história dos Transportes Fluviais no Tejo

"Para se falar dos transportes fluviais de Caparica, temos que destacar Porto Brandão, porque a Trafaria, se limitava nessa época a barcos alugados ou canoas à vela, e era mais um grande porto de pesca que propriamente um grande porto de embarque para Lisboa.
Tanto assim que, Porto Brandão chegou a possuir 64 "catraios" para transporte de passageiros, entre os quais "cabazeiros" - vendedores de peixe da Costa de Caparica e vendedores de fruta e legumes da Charneca e outros pontos da freguesia, para o Mercado Agrícola de Belém. Isto depois da transferencia do Lazareto para Lisboa, em que a miséria bateu à porta de mais de centena e meia de famílias de "catraeiros".
Foi então quando surgiu, uma alma boa, o cidadão espanhol, Juan Pérez, que, conhecendo o que se passava, num gesto sublimes, lhes vendeu um barco com caldeira a vapor (uma traineira modificada para passageiros) com a condição de lhe pagarem o barco, conforme pudessem.
Graças à generosidade desse industrial, grande amigo dos pobres, apareceu o "Porto Brandão", que quando chegou pela primeira vez à terra que lhe deu o nome foi recebido com foguetes, alegria e lágrimas de contentamento, pois com a sua chegada o povo sabia que a fome ia acabar.
Assim foi! Com os lucros adquiridos com o barco na carreira Belém-Porto Brandão, foi comprado um barco maior, também com caldeira a vapor, o "Caparica".
Com estes dois barcos e mais alguns "catraios", em conjunto com os catraeiros de Lisboa, fundou-se em 1 de Maio de 1923 a Cooperativa dos Catraeiros do Porto de Lisboa."

Texto extraido do livro "Divagando sobre Caparica" de António Correia



A Cache

A maneira mais agradável de fazer esta cache vindos de Lisboa é apanhar um barco em Belém com destino ao Porto Brandão.
Aprecie o passeio pelo rio e as vistas para Lisboa, Ponte 25 de Abril e Trafaria.
Para os horários dos "Cacilheiros" consulte este link.
Durante o fim-de-semada ou durante uma hora de almoço mais alargada aproveite para apreciar os pratos típicos da região - carvoadas, cataplanas, arroz de marisco, para além de peixe muito fresco bem grelhado claro ;)

O container está colocado num local que consideramos fantástico pela vista para o Tejo e Lisboa. O acesso à zona da cache é livre, basta encontrar a passagem junto à bilheteira exterior do terminal fluvial.

Por favor deixem a cache perfeitamente encaixada e no local em que a encontraram. Esta é uma cache no trade, obrigado.






[EN] The Cache

This cache will take you to Porto Brandão, a fisherman village closely connected to the history of the ferry boats that cross the Tejo from the South Margin to Lisboa.

The most pleasant way to do this cache if you come from Lisboa is to get the ferry boat in Belém towards Porto Brandão. This way you will be able to enjoy the river and the wonderful views.
During the weekend or a longer lunch hour you should enjoy the local cuisine consisting mainly on fish and seafood dishes.

The container is located in a spot that we consider to be fantastic because of the view to the Tejo river and Lisboa. The access to the cache area is free, you just have to find the passage near the exterior ticket office of the boat terminal.

Please leave the cache perfectly incased and exactly as you found it. This is a no trade cache, thanks.

Additional Hints (Decrypt)

fvg qbja naq srry vg haqre lbh

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)