Skip to Content

This cache has been archived.

ramiles: Fim! Obrigado aos amigos que conheci por aqui pelos bons momentos que vivi nesta brincadeira que deveria promover o são convívio entre todos.

More
<

Convento Areias de Vilar

A cache by ramiles Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 06/25/2008
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
1 out of 5

Size: Size: micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Convento de Areias de Vilar

(Mosteiro dos Lóios de Vilar de Frades)

O. H. S. João de Deus

O convento e as sua origens


Edifício beneditino desde a sua fundação no séc. XI, até 1425, altura em que passaria para a Congregação dos Cónegos Seculares de S. João Baptista, a Igreja e o Convento de Vilar de Frades foram sofrendo alterações ao longo dos tempos que lhe deram o aspecto que hoje apresenta.
Actualmente, continuam ali a decorrer obras de recuperação e restauro que injustificada e excessivamente se têm vindo a prolongar. O atraso verificado na reabilitação de elementos decorativos e de restauro, nas intervenções “no telhado da nave central e no interior da igreja”, na Torre e escadas de acesso”, no “claustro e ala remanescente do convento” ou os tardios “arranjos exteriores no adro da igreja” têm contribuído para a perda progressiva de elementos importantes do edifício. O projecto de recuperação do Mosteiro de Vilar de Frades é co-financiado pelo FEDER e pela União Europeia, no âmbito do programa Operacional de Cultura, do Ministério da Cultura e Instituto Português do Património Arquitectónico, mas, ainda assim, as obras seguem a passo de caracol. O valor orçado, apesar de se situar acima dos quatro milhões de euros (mais de três milhões de comparticipação comunitária), parece, contudo, insuficiente para a envergadura da obra
De excelente arquitectura, no interior da igreja podem encontrar-se exemplares únicos em talha dourada, azulejaria ou estuque. O retrato mais exaustivo que conhecemos sobre as origens do Convento e a sua história até aos nossos dias é da autoria de Joaquim Alves Vinhas, e está publicada na sua obra “A Igreja e o Convento de Vilar de Frades – das origens da Congregação dos Cónegos Seculares de S. João Evangelista (Lóios) à extinção do Convento. 1425-1834”. O projecto de investigação, iniciado “no Outono de 1992, durante o primeiro curso de mestrado em História e Arte, na Faculdade de Letras da Universidade do Porto” pretendia e contribuiu “para um melhor conhecimento da dimensão arquitectónica e artística da igreja e do antigo convento de Vilar de Frades. A primeira casa-mãe da Congregação dos Cónegos Seculares de S. João Evangelista-Lóios” que “não se cansaram de proclamar a casa de Vilar de Frades como uma das mais célebres e famosas, quer da região de Entre-Douro-e-Minho quer de Portugal, realçando as monumentalidade arquitectónica e artística da igreja, mas também a beleza natural do sítio especial onde os primeiros padres lóios (sobre as ruínas da memória dos antigos frades bentos) exprimiram o seu desejo de independência frente aos arcebispos de Braga, a sua sede de grandeza e glória, o seu destino de religiosos famosos, enfim a essência ideológica dos cónegos seculares evangelistas”
A mais antiga referência sobre as origens do mosteiro beneditino de Vilar de Frades remonta a 1059, altura em que foi divulgada uma carta do beneditino frei Drumário que, “segundo frei Leão de S. Tomás, teria sido escrita em 7 de Outubro de 571, missiva que dataria a fundação do mosteiro de S. Bento, por S. Martinho de Dume, em 566”.
A grandiosidade do monumento e os estudos de que tem sido alvo não evitaram, porém, que, ao longo dos anos, a degradação e o desaparecimento de elementos importantes da sua decoração – nomeadamente de talha dourada – sofressem danos irreparáveis.
(Texto retirado de Jornal Barcelos Popular)


A Cache

A cache é uma micro apenas com log-book, devem levar com que escrever. Não se encontra no convento mas nas suas cercanias, por motivos óbvios, é que o local é muito frequentado durante todo o dia, graças ao facto de fazer parte do Hospital Psiquiátrico de S. João de Deus.
A cache é naturalmente demasiado pequena para o que pretende mostrar, o mosteiro é um tesouro que tem estado muito escondido.

Se lá forem não deixem de entrar na igreja: é memorável!


Para encontrarem a cache terão que achar os seguintes valores:

A - Número de bancos de pedra na entrada do convento (sublinho - na entrada);
B - Número de Varandas na fachada do Convento;
C - Núnmero de Colunas no Fontenário do Jardim fronteiro ao convento;
D - Número de animais em cada uma das colunas em que assenta o varandim na fachada da Igreja;
E - Mês do ano da inauguração da estátua de S. João de Deus;
F - Sinos visiveis na Torre da Igreja.
Coordenadas Finais
N - 41º 32. ABC
W - 08ª 33. DEF

Sejam cuidadosos o GZ também tem é muito concorrido, deixem tudo como encontraram.

Divirtam-se!
 
 

Additional Hints (No hints available.)



 

Find...

122 Logged Visits

Found it 102     Didn't find it 11     Write note 5     Archive 1     Temporarily Disable Listing 1     Publish Listing 1     Owner Maintenance 1     

View Logbook | View the Image Gallery of 26 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated:
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.