Skip to content

Santo Antão Traditional Cache

This cache has been archived.

btreviewer: Esta geocache foi arquivada por falta de uma resposta atempada e/ou adequada perante uma situação de falta de manutenção.
Relembro a secção das Linhas de Orientação que regulam a manutenção das geocaches:

O dono da geocache é responsável por visitas à localização física.

Você é responsável por visitas ocasionais à sua geocache para assegurar que está tudo em ordem para funcionar, especialmente quando alguém reporta um problema com a geocache (desaparecimento, estrago, humidade/infiltrações, etc.), ou faz um registo "Precisa de Manutenção". Desactive temporariamente a sua geocache para que os outros saibam que não devem procurar a geocache até que tenha resolvido o problema. É-lhe concedido um período razoável de tempo - geralmente até 4 semanas - dentro do qual deverá verificar o estado da sua geocache. Se a geocache não estiver a receber a manutenção necessária ou estiver temporariamente desactivada por um longo período de tempo, poderemos arquivar a página da geocache.

Se no local existe algum recipiente por favor recolha-o a fim de evitar que se torne lixo (geolitter).

Uma vez que se trata de um caso de falta de manutenção a sua geocache não poderá ser desarquivada. Caso submeta uma nova será tido em conta este arquivamento por falta de manutenção.

btreviewer
Geocaching.com Volunteer Cache Reviewer
Work with the reviewer, not against him

More
Hidden : 08/08/2008
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
3.5 out of 5

Size: Size:   regular (regular)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Santo Antão
N:39º22,179 W:009º09,600
Na época da crise dinástica de 1383/1385, o reino de Portugal esteve ocupado pelos castelhanos, tendo sido o Mestre de Avis, futuro D. João I, o líder da revolta lusitana. Com a Batalha de Aljubarrota, as praças portuguesas em poder de Castela começaram a cair. Assim, depois de o porto de Atouguia ter sido abandonado pelos castelhanos, os obidenses entregaram-se ao Mestre de Avis, que organizou militarmente o território, com o intuito de defender melhor o reino.
Um dos combatentes da Ala dos Namorados, designação dada, de acordo com o professor Carlos Orlando Rodrigues, “ao lado direito do quadrante, mais exactamente à vanguarda virada para Leiria, que os portugueses formaram como táctica de combate na Batalha de Aljubarrota” foi D. Antão Vaz Moniz, fidalgo de Óbidos e cavaleiro a pé. Depois da vitória na referida batalha, D. Antão, em 1386, mandou edificar uma capelinha em honra do santo do mesmo nome. Essa ermida foi construída no cimo de um monte, a norte da vila, de onde se obtém uma vista panorâmica deslumbrante. D. Antão passou aí os últimos anos da sua vida, enquanto asceta, tendo pedido para ser sepultado no interior da capela, sem qualquer tipo de inscrição.
Estes acontecimentos históricos originaram a famosa romaria de Santo Antão, que se realiza nesta freguesia, a 17 de Janeiro. A ermida situada num local de difícil acesso, mas de grande importância agro-pecuária, tendo o porco um papel relevante.
Santo Antão é invocado em caso de doença de algum animal ou no caso de se ambicionar uma boa ninhada. Antigamente as promessas cumpriam-se com a oferta de linguiças ao Santo, mas, actualmente, os chouriços são pesados e os crentes oferecem o valor monetário correspondente, reservando os enchidos para a merenda.
Outra das características desta romaria está relacionada com a distribuição pelos devotos de fitas cor-de-rosa e de velas que, depois de benzidas, são colocadas ao pescoço dos animais (as fitas) e guardadas para serem acesas nos estábulos (velas), no caso de a doença visitar os moradores. A romaria de Santo Antão, nos dias de hoje, continua a ser alegre e saudável convívio entre pessoas, mantendo-se, por isso, bem vivo o espírito de reencontro anual. Para acompanhar a confraternização, é típico o saboroso chouriço assado e o bom vinho da região.
Esta romaria é uma das mais importantes do concelho e do distrito, uma vez que atrai, pela fé e pelo delicioso manjar, uma grande quantidade de romeiros.
A difícil subida de 150 degraus até esta ermida, que se situa a cerca de 80 metros de altura, não demove os romeiros que, num misto de religião e profano, se juntam a esta festa em busca de bênção para os seus animais.
-Center left entrance
Santo Antão
N:39º22,179 W:009º09,600
At the time of the crisis dynastic of 1383/1385, the kingdom of Portugal was occupied by Spanish and was the Master of Avis, future D. John I, the leader of the revolt Lusitanian. With the Battle of Aljubarrota, the squares in Portuguese power of Castile began to fall. Thus, after the port of Atouguia has been abandoned by the Spanish, the obidenses handed to the Master of Avis, which organized the territory militarily in order to better defend the kingdom.
One of the combatants of the Ala Valentine, name given, according to Professor Carlos Orlando Rodrigues, "the right-hand quadrant, more precisely to the forefront facing Leiria, which the Portuguese formed as a tactic of fighting in the Battle of Aljubarrota" was D . António Vaz Moniz, nobleman and knight of Óbidos on foot. After the victory in that battle, D. Antonio, in 1386, he built a chapel in honor of the saint of the same name. The chapel was built on a hilltop, north of the town, from which it obtains a stunning panoramic view. D. António went there the last years of his life, while and claimed to be buried inside the chapel, without any kind of membership.
These historic events led to the famous festival of St. Antão, to be held in this parish, January 17. The chapel situated in an area of difficult access, but of great importance agro-livestock, and the pig an important role.
St. Antão is invoked in case of illness of any animal or if it should seek a good offspring. Previously the promises fulfilled with the provision of the Holy “linguiças”, but today, the “chouriços” are heavy and the believers offer the corresponding monetary value, reserving the sausages for lunch.
Other characteristics of this festival is related to the distribution among devotees of tapes pink and candles that, are put to the neck of the animals (the tapes) and saved to be lit in housing (candles) in case of the disease visit the residents. The festival of St. Antão, nowadays, is still happy and healthy coexistence between people, while maintaining hence, very much alive the spirit of annual reunion. To monitor the confraternizations, is the typical tasty roast sausage and good wine of the region.
This festival is one of the most important of the county and the district since attracted by the faith and the delicious “linguiças and chouriços”, a large number of pilgrims.
The difficult ascent of 150 steps up to this chapel, which is situated about 80 meters high, not demove the pilgrims that in a mixture of religion and profane, joining the party in search of blessing for their animals.
free counters

Additional Hints (Decrypt)

(Cbe.)-An ebpun. (Vat.)-Va gur fgbar.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)