Skip to content

Barragem da Aguieira Traditional Geocache

This cache has been archived.

MightyREV: Esta cache foi arquivada por falta de uma resposta atempada e/ou adequada perante as situações relatadas.
Relembro a secção das Guidelines sobre a manutenção http://support.groundspeak.com/index.php?pg=kb.page&id=307#maint :

[quote]Você é responsável por visitas ocasionais à sua geocache para assegurar que está tudo em ordem para funcionar, especialmente quando alguém reporta um problema com a geocache (desaparecimento, estrago, humidade/infiltrações, etc.), ou faz um registo "Precisa de Manutenção". Desactive temporariamente a sua geocache para que os outros saibam que não devem procurar a geocache até que tenha resolvido o problema. É-lhe concedido um período razoável de tempo - geralmente até 4 semanas - dentro do qual deverá verificar o estado da sua geocache. Se a geocache não estiver a receber a manutenção necessária ou estiver temporariamente desactivada por um longo período de tempo, poderemos arquivar a página da geocache.

A região onde um geocacher é considerado capaz de manter geocaches responsavelmente irá variar de pessoa para pessoa. Um geocacher que anteriormente fez registo de geocaches numa área alargada a partir da sua residência pode ser considerado habilitado a manter uma geocache a 200 milhas (322 Km) de distância. Contudo, alguém cujas actividades de geocaches têm sobretudo estado dentro da distância de 25 milhas (40km) de sua casa não deverá estar preparado para manter uma geocache tão distante de casa. O critério usado nesta situação fica a cargo do revisor da geocache ou pela Groundspeak.

Por causa do esforço requerido para manter uma geocache, por favor coloque geocaches físicas no seu espaço habitual de geocaching e não em sítios para onde costuma viajar. Geocaches colocadas durante viagens não serão muito provavelmente publicadas a menos que possa fornecer um plano de manutenção adequado. Este plano deve permitir uma resposta rápida a problemas reportados, e deverá incluir o Nome de Utilizador de um geocacher local que irá tomar conta dos problemas de manutenção na sua ausência. Alternativamente poderá treinar uma pessoa local para fazer manutenção à geocache. Documente o seu plano de manutenção numa Nota ao Revisor ou na sua página de geocache. Isto deverá incluir a informação contacto da pessoa que irá efectuar a manutenção. A nota irá ser apagada automaticamente aquando da publicação.[/quote]

Se no local existe algum recipiente por favor recolha-o a fim de evitar que se torne lixo (geolitter).

Como owner, se tiver planos para recolocar a cache, por favor, contacte-me através do mail indicado no meu perfil e refira o GC Code da cache.
Lembro que a eventual reactivação desta cache passará pelo mesmo processo de análise como se de uma nova cache se tratasse, com todas as implicações das Guidelines actuais.

Obrigado

[b] MightyREV [/b]
Geocaching.com Volunteer Geocache Reviewer
Revisor Voluntário em Geocaching.com

[url=http://support.groundspeak.com/index.php]Centro de Ajuda Groundspeak[/url]
[url=http://support.groundspeak.com/index.php?pg=kb.page&id=340]Trabalhar com o Revisor[/url]
[url=http://support.groundspeak.com/index.php?pg=kb.page&id=77]Como ter uma cache publicada (mais) rapidamente[/url]
[url=http://www.geocaching.com/about/guidelines.aspx]As Guidelines são regras[/url]

More
Difficulty:
1 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:



Barragem da Aguieira



Atenção! Please Notice!
Esta cache era para ser chamada de "Lusitani: Dão-Lafões". Tal já não acontece. Para informações sobre essa cache, dirija-se aqui!
This cache was to be named "Lusitani: Dão-Lafões". Such is no longer the case. For information on that cache, please go here!


[PT]


A Barragem

A barragem da Aguieira situa-se no leito do Rio Mondego, a cerca de 2 quilómetros a jusante da foz do Rio Dão, situando-se nos limites do concelho de Penacova, no Distrito de Coimbra, e do concelho de Mortágua, no Distrito de Viseu. Concluída no ano de 1979, entrou em funcionamento no ano de 1981.

Barragem do tipo "Arcos Múltiplos", é formada por três arcos e dois contrafortes centrais, nos quais se situam dois descarregadores de cheia. Tem 89 metros de altura e o comprimento do coroamento é de 400 metros. Os seus principais objectivos são a produção e fornecimento de energia hidroeléctrica, a irrigação agrícola e o controle de cheias, sobretudo na chamada região do Baixo-Mondego.

A albufeira estende-se pelos concelhos de Penacova, Carregal do Sal, Mortágua, Santa Comba Dão, Tábua e Tondela, correspondendo a uma área inundada de 2.000 hectares e a uma capacidade total de 423.000×10³ m³.

Através da albufeira, estabelece-se o fornecimento de água aos municípios vizinhos, nomeadamente à cidade de Coimbra..

Ainda que com algumas restrições, nas suas águas desenvolvem-se várias actividades de recreio e lazer, tais como a pesca, banhos e natação, navegação à vela e a remos, pelo que não é de admirar a alta afluência de pessoas que a ela se dirigem.


História


O rio Mondego nasce nas encostas da Serra da Estrela, no concelho de Gouveia, no sítio de Corgo das Mós, a uma altitude de cerca de 1450 metros.

Do conjunto de dezenas de cursos de água que alimentam o seu caudal, considerando desde pequenas ribeiras a extensos rios, merecem especial destaque os seus três principais afluentes: o rio Dão, o rio Ceira e o rio Alva.

O conjunto formado pelo rio Mondego e os seus três principais afluentes constitui a maior bacia hidrográfica exclusivamente nacional capaz de ser objecto de aproveitamento integral pelos interesses económicos do país, uma vez que nos outros grandes rios nacionais – Minho, Lima, Douro, Tejo e Guadiana – parte significativa das suas bacias hidrográficas são território espanhol.

Atravessando o rio Mondego praticamente todo o centro do país, da fronteira até ao litoral, e banhando a cidade porventura mais importante desta região – Coimbra -, bem como os importantes terrenos agrícolas a jusante desta cidade, na zona de Montemor-o-Velho até à Figueira da Foz, cedo se tornou objecto de atenção por parte do poder no sentido de dele tirar o melhor aproveitamento, ou no de minimizar os seus, muitas vezes, efeitos nefastos.

A par dos grandes declives e das fortes chuvadas, a cultura cerealífera e o descontrolada pastorícia nas zonas a montante do rio Mondego, em solos por vezes facilmente degradáveis, provocou intensa erosão, que trouxe aos troços mais baixos do rio, a jusante de Coimbra os visíveis efeitos de assoreamento.

O projecto para a construção da barragem da Aguieira, cujos estudos datam desde os anos 40, foi revisto e actualizado em 1971, e em meados do ano seguinte foram iniciados os trabalhos de construção. A área da bacia dominada pela Aguieira seria da ordem dos 3 100 Km2, sendo de 410 milhões de metros cúbicos a capacidade total da albufeira.


Obras de construção da barragem da Aguieira
Janeiro 1978

Obras de construção da barragem da Aguieira

A jusante da Agueira decorreram igualmente obras de regularização e complementaridade do Plano Geral do Aproveitamento do Mondego, como a construção da Ponte-Açude, em Coimbra. O concurso para a sua construção decorreu no início de 1976, tendo sido apresentadas 33 propostas, por oito firmas concorrentes.

Ainda em meados de 1976 foram aprovados os projectos de várias pontes e viadutos a construir na rede rodoviária nacional afectada pela albufeira da Aguieira.

As obras de construção civil e de instalação e montagem de equipamento na barragem da Aguieira, que permitiam o início da produção de energia, estavam prontas em 1981, o que permitiu a sua entrada ao serviço em 1 de Outubro.

Bibliografia:
- Wikipedia
- A Companhia Eléctrica das Beiras e o aproveitamento hidroeléctrico do rio Mondego


A Cache

A cache trata-se de um recipiente cilindrico de 500ml com stashnote, logbook, caneta (não é para troca) e alguns items para troca. Aconselho o estacionamento da viatura no parque situado a este da barragem, e depois a deslocação a pé até ao ponto zero. Aproveite esta oportunidade para pousar os seus olhos nas magnificas paisagens de ambos os lados da barragem. Se possivel, partilhe fotos do local connosco!


[EN]



The Dam


The Aguieira Dam lies in the Mondego river bed, at about 2 kilometers downstream from the Dão river mouth. It is right in the border between the Penacova county, in the Coimbra district, and the Mortagua county, in the Viseu district. COmpleted in the year 1979, came into operation in 1981.

It is a "Multiple Arches" dam, formed by three arches and two central buttresses, where two dischargers lie. It is 89 meters high and the crest is 400 meters long. Its main objectives are the production and supply of hidroelectric energy, irrigation farming and flood control, mainly in the lower Mondego region.

The lake extends trough the counties of Penacova, Carregal do Sal, Mortágua, Santa Comba Dão, Tábua and Tondela, correponding to a flooded area of 2.000 hectares and a total capacity of 423.000×10³ m³.

The lake also allows the water supply to the nearby cities, in and out of the Dão-Lafões region.

Although with some restrictions, several activities develop in its waters, such as fishing, bathing, swimming and boating, so it's not surprising the high turnout of people looking for it.


History


The Mondego river's source is located in the Serra da Estrela slopes, on the Gouveia county, in Corgo das Mós, at an altitude of around 1450 meters.

From the dozens of water courses that feed its stream, we should note the three main tributaries: the Dão river, the Ceira river and the Alva river.

The Mondego river along with its three mian tributaries constitute the biggest  drainage basin exclusively in portuguese territory able to be used for the national economic interests, since in the other big national rivers - the Minho, Lima, Douro, Tagus and Guadiana rivers - a big part of their drainage basins is spanish territory.

Because the Mondego river practically crosses all the central area of the country, from the spanish border to the seaside, crossing the probably most important city of the area - Coimbra -, as well as all the agricultural land downriver from this city, in the area between Montemor-o-Velho and Figueira da Foz, it soon became subject of attention from the government to make the best use out of it, or to minimize its often negative effects.

Alongside the steep slopes and heavy rains, the cereal crop and the uncontrolled grazing in the areas upstream of the Mondego river, in soils sometimes easily degradable, it caused an intense erosion, which caused visible effects of silting in the lower stretches of the river, downstream from Coimbra.

The project for the construction of the Aguieira dam, whose first studies date from the forties, was revised and updated in 1971, and in the middle of next year work began on construction. The area of the basin afected by Aguieira would be in the order of 3100 km2, being of 410 million cubic meters the total capacity of the dam.


Construction of the Aguieira Dam
January 1978

Construction of the Aguieira Dam
Downstream from the Agueira dam, work was also undertaken for settlement and complementarity of the General Plan for the Harnessing of the Mondego, such as the construction of the Dam-Bridge (known as Ponte-Açude) in Coimbra. The tender for its construction took place early in 1976, and had 33 proposals submited, by eight competing firms.

Also in mid-1976 several projects were approved to build bridges and viaducts in the national road network affected by the Aguieira dam.

The construction works, as well as the installation and assembly of the dam's equipment, needed for the start of the energy production, were finished in 1981, allowing its entry into service on the 1st of October.

Bibliography
- Wikipedia
- A Companhia Eléctrica das Beiras e o aproveitamento hidroeléctrico do rio Mondego


The Cache


The cache is a cilydrical container of 500ml with a stashnote, logbook, pen (not for trade) and a few trade items. You're advised to leave your car in the parking located east of the dam and then to walk on foot to the ground zero. Take this oportunity to spread your eyes over the magnificent views on either side of the dam.
If you can, please share some pictures with us!

Additional Hints (Decrypt)

CG: Zrgr n zãb cbe onvkb!
RA: Fgvpx lbhe unaq haqrearngu!

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)