Traditional Geocache

Moinhos do Ave - Cascata da Candosa!

A cache by K!nder Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 8/24/2008
In Braga, Portugal
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
3.5 out of 5

Size: Size: regular (regular)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Parabéns à isioux pelo FTF!


Moinhos do Ave - Cascata da Candosa



Esta cache foi criada com o intuito de dar a conhecer um pouco mais sobre os moinhos que povoam as margens do Rio Ave. Em tempos idos existiu um trilho denominado "Percurso Pedestre dos Moinhos do Ave" que habitou desde o pequeno lugar de incursão turística de Agra até Lamedo ambos os lugares pertencentes à freguesia de Rossas, concelho de Vieira do Minho. Infelizmente grande parte do trilho encontra-se em completo estado de abandono e sem marcação homologada.

Rossas


A freguesia de Rossas situa-se a 11 Km SSE da sede do concelho. A freguesia já era mencionada em documentos de 1014 e em documentos de 1195 a cerca de um mosteiro que ali existia. As Inquirições de 1220 incluem-na na Terra de Lanhoso. Parte da sua área era couto. Teve foral manuelino concedido a 23 de Outubro de 1514. Sede de concelho, que veio a ser extinto em 1836. Do seu passado falam ainda o pelourinho, classificado como monumento nacional, e alguns restos de velhos solares. Em 1839 aparece no concelho de Guimarães e em 1852 no de Vieira do Minho. Foi abadia da apresentação dos Abreus, senhores de Regalados cabeça do antigo concelho de Rossas, cuja sede era Celeirô. Os documentos antigos relativos a esta freguesia não autorizam a grafia "Rossas".

Principais Festas e Romarias:

S. Brás - 15 de Agosto
Sagrado Coração de Jesus - último Domingo de Agosto
S. Frutuoso - Domingo mais próximo de 17 de Abril
Feira Quinzenal (Sábado)

A ALDEIA TÍPICA DE AGRA


A memória viva do antigo Minho rural está hoje à vista na aldeia de Agra. A exemplar reposição do seu velho ambiente arquitectónico espevita agora o gosto de se vivenciar as épocas áureas da ruralidade minhota, com as ricas casas de lavoura. Encravada numa das encostas da Serra da Cabreira, na Freguesia de Rossas, concelho de Vieira do Minho, com um estendal de veigas férteis que descem para o Ave, lá, onde este rio quase nasce e corre cristalino, Agra soube tirar bom partido dos dinheiros comunitários do programa "LEADER" quando há anos os donos de casas de pedra velhinha , então devolutas, aceitaram o desafio de as recuperar. Hoje, a aldeia de Agra é procurada, até demais, por gente de "todas as bandas" de Inverno ou de Verão, principalmente aos fins de semana, as casas enchem-se. Quando se pergunta aos visitantes pelo que procuram, quando só temos estas casas para lhes oferecer, a resposta é sempre a mesma: "Queremos sossego, calcorrear esses caminhos de cabras, respirar ar puro, viver este silêncio". Em Agra há muito onde descansar. Aqui o Rio Ave revela mil encantos. As águas precipitam-se por entre penedias, o seu leito embeleza-se como um presépio de árvores pelas margens, ás vezes com ovelhas ou cabras para reforçar o cenário quase Bíblico. Os visitantes podem calcorrear o chamado " Percurso pedestre Moinhos do Ave", um passeio a pé que se faz neste troço do rio, subindo-o desde a Aldeia de Lamedo , por ladeiros que ora acompanhavam o seu leito bucólico. Agra foi terra de lavradores, com algumas posses, quando ainda havia boas mãos para o amanho das veigas. As suas casas de lavoura, hoje recuperadas para o turismo, são disso testemunho. A Casa dos Martinhos, a casa do Cruzeiro ou a casa de Fundevila, por exemplo, são imóveis bem típicos de morgados. As suas gentes, recordam com saudade, os tempos das cegadas e das desfolhadas. "Mal se acabasse uma malhada, cantava-se e dançava-se ao som de uma concertina. Era bonito. Agora faltam as mãos e as forças para a lavoura. Mas com o apoio de muita gente envolvida, foi possível através do Agro-Turismo, salvar esta bonita aldeia. Uma aldeia a merecer uma visita em tempo de férias. Chegar a Agra, pode parecer uma viagem longa. De Braga ao centro da freguesia de Rossas, concelho de Vieira do Minho, são sempre cerca de 39 Km, mais 7 ou 8 Km até Agra.


Este relato foi retirado de um artigo escrito pelo jornalista Pedro Leitão no Jornal de Notícias.



A caminhada para a Cache



A aproximação à cache pode dar-se de diversas maneiras, uma delas começa em Agra(menos aconselhada) e outras duas em Lamedo. A de Agra é a menos aconselhada devido à sua ainda elevada distância até o ponto final e à falta de indicações até a mesma. Outra das condicionantes desta aproximação prende-se no facto desta não apresentar uma grande vista e sendo assim a sua caminhada torna-se mais morosa. É de salientar que ainda assim é interessante visitar sempre Agra pelo sua ruralidade e beleza.

As outras duas começam em Lamedo(GoTo). A partir do local de estacionamento procede-se à escolha.

A mais fácil faz-se subindo pelo lado direito até uma estrada de terra batida. Nesta passa-se por um monumento dedicado a uma santa e daí alguns metros à frente desce-se até a Cascata da Candosa.

A segunda opção, mais interessante, mas mais perigosa faz-se descendo pela direita no local de estacionamento. Esta faz-se companheira do leito dum ribeirozito que vem da Cascata da Candosa até os campos que povoam o pequeno lugar de Lamedo, neste percurso terão oportunidade de ver alguns dos moinhos do Ave. As coordenadas para chegar e entrar neste ribeiro estão postadas em coordenadas adicionais.

No entanto esta última opção tal como já descrito apresenta muitos mais precauções e tem de ser feito com mais cautela. As coordenadas levam-no a um muro que percorre toda a extensão do ribeiro. Este de momento devido á falta de manutenção encontra-se cheio de silvas pelo meio, que terão de ser atravessadas. Dum dos lados do muro encontra-se o ribeirozito, do outro uma altura que pode variar entre 0,5 metros e 2 metros. Apesar desta altura não servir para impressionar é importante mencionar que as silvas aparecem principalmente a partir deste lado. Quanto ao ribeiro se houver queda não haverá problema pois o mal maior prende-se por um pé molhado.



A cache



A aproximação final à cache também tem de ser de extrema precaução. Pois o local onde se encontra a cache apresenta alguns buracos no chão que nos levarão numa alucinante viagem ao longo do rio, ou seja, de evitar a todo o custo cair em qualquer destes buracos. Também poderá ser necessário uma pequena escalada para chegar ao local da cache.


Por fim é importante salientar que se assim o desejarem poderão levar sempre um fato de banho para dar um mergulho na Cascata da Candosa. Divirtam-se acima de tudo, mas com juízo. E tenham muito cuidado ao plantar novamente a cache no seu local, não vá ela cair à lagoa.


Indicações:
Para chegar a este lugar segue-se a estrada Vieira do Minho - Agra e passado a localidade de Anjos segue-se as placas para Rossas. Chegados à igreija de Rossas vira-se à esquerda e cerca de 3 Km a frente fica a entrada para Lamedo, indicada pela placa "Moinhos do Ave".



Additional Hints (Decrypt)

Cbe pvzn an sraqn.
Nobir va gur penpx!

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)

 

Find...

78 Logged Visits

Found it 40     Didn't find it 18     Write note 6     Temporarily Disable Listing 5     Enable Listing 5     Publish Listing 1     Update Coordinates 2     Post Reviewer Note 1     

View Logbook | View the Image Gallery of 66 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated: on 1/30/2017 4:12:29 PM (UTC-08:00) Pacific Time (US & Canada) (12:12 AM GMT)
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum