Skip to Content

This cache has been archived.

Coruja: The End!!!

More
<

Sidereus Nuncius: A Cache

A cache by Coruja Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 09/05/2009
Difficulty:
3.5 out of 5
Terrain:
3 out of 5

Size: Size: regular (regular)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Sidereus Nuncius

 

No seguimento no evento GC1V0VK, deixo aqui uma marca, criando esta mistério para vos fazer pesquisar um pouco.

 

O mensageiro das estrelas
A nossa forma de ver o Céu mudou com as observações feitas por Galileu há 400 anos.


Galileu Galilei (1564-1642), o cientista italiano que nos ensinou a olhar para o céu de maneira diferente, pintado por Domenico Robusti. Em comemoração às suas observações pioneiras feitas ao telescópio há 400 anos, 2009 é o Ano Internacional da Astronomia.

Observar o céu talvez seja uma das mais antigas actividades humanas. Desde o florescer da consciência, o homem primitivo admirava as estrelas e outros fenómenos astronómicos, como estrelas cadentes (que não passam de meteoros cruzando a atmosfera terrestre), as fases da Lua e eclipses solares e lunares. Muitos desses eventos foram registados na forma de pinturas rupestres nos interiores de cavernas.

Como esses fenómenos não eram compreendidos, as suas causas eram atribuídas a intervenções divinas. Por esse motivo, vários povos imaginavam que as configurações de estrelas representassem mitos e divindades. Essas disposições de estrelas são chamadas de constelações. Praticamente todas as civilizações representaram, em determinada época, as suas crenças, deuses, e mitos nas estrelas. A humanidade aprendeu a contar as suas histórias com estrelas.


A maioria das actuais constelações vem desde a Grécia Antiga. Os gregos perceberam também que alguns dos pontos brilhantes no céu não permaneciam no mesmo lugar, mas ‘caminhavam’ entre as estrelas. A estes corpos eles deram o nome de “planetas”, que significa “corpos errantes”. As formas das constelações e o nome dos planetas foram dados em função das suas lendas e mitos. Por exemplo, o maior planeta do Sistema Solar recebe o nome da divindade romana Júpiter (o equivalente do grego Zeus), que era considerado o rei dos deuses.

Ampliando o alcance da visão
Há cerca de 400 anos a única forma de se observar o céu era a olho nu. Entretanto, uma pessoa com extraordinário talento descobriu que poderia utilizar uma combinação de lentes para ampliar o alcance da sua visão. Ele recebera a notícia que, em Outubro de 1608, o fabricante de lente holandês Hans Lippershey (1570-1619) havia patenteado um aparelho que permitia fazer que objectos distantes parecessem mais próximos. Em pouco tempo ele construiu o seu próprio instrumento que aumentava nove vezes. Em menos de um ano construiu um outro que aumentava cerca de 30 vezes. Ao apontar para o firmamento esse equipamento, o céu nunca mais foi o mesmo. O responsável por essa revolução: o italiano Galileu Galilei (1564-1642).

As primeiras observações de Galileu foram feitas no ano de 1609. Utilizando a luneta que construíra, ele descobriu um novo universo inimaginável totalmente desconhecido na época. Em particular, ele descobriu que existiam montanhas e crateras na Lua e que a forma desta não era perfeita, como imaginavam os filósofos gregos. (Estudos recentes indicam que o britânico Thomas Harriot (1560-1621) pode ter usado o telescópio para observações da Lua alguns meses antes de Galileu.)

A foto mostra Io, um dos quatro satélites observados por Galileu em torno de Júpiter, hoje chamados de satélites galileanos. A descoberta de que há corpos na órbita de outros planetas foi um dos argumentos de Galileu em favor do modelo heliocêntrico do Sistema Solar.

A partir das sombras projectadas pelas montanhas, Galileu pôde estimar até sua altura. Na época, ele estimou que as montanhas lunares fossem maiores que as terrestres. Contudo, no início do século 17 ainda não se conheciam direito os Himalaias e os Andes e Galileu comparou a altura em relação aos planaltos vizinhos às montanhas, e não ao nível do mar. A maior montanha da Lua conhecida hoje, com 5,5 km de altura, é o monte Huygens, nome dado em homenagem ao astrónomo holandês Christiaan Huygens (1629-1695).

As descobertas de Galileu foram muito além das observações lunares. Ao apontar sua luneta para as constelações, ele pôde observar que existiam muito mais estrelas do que os olhos podiam ver. Ele também constatou que a nebulosidade leitosa da Via Láctea consistia em milhares de estrelas. Em alguns meses, o universo conhecido se expandiu de uma forma nunca antes feita.

Entretanto, o maior feito de Galileu naquela época foi, segundo a ele próprio, a descoberta de “novos planetas” ao redor de Júpiter. Galileu descobriu quarto satélites na órbita desse planeta em Janeiro de 1610. Eles receberam a denominação de Io, Europa, Ganimedes e Calisto.

Marco importante
Hoje, o feito de Galileu pode ser repetido por qualquer câmara digital de baixo custo. No entanto, há 400 anos, este foi um dos marcos mais importantes da ciência. Na época existia a discussão entre o sistema geocêntrico e o heliocêntrico. O primeiro advogava que a Terra estava no centro do universo e que todos os corpos celestes giravam ao seu redor. O segundo defendia que o Sol era o centro e não a Terra: todos os planetas giravam em torno dele – com excepção da Lua, que orbitava a Terra.

A descoberta de Galileu mostrou que existiam outros corpos circulando outros planetas. Além disso, em observações posteriores, ele mostrou que os planetas Mercúrio e Vénus apresentavam fases semelhantes às da Lua. Isso somente poderia acontecer se estes planetas orbitassem o Sol.

O quadro acima, pintado por Cristiano Banti em 1857, mostra Galileu Galilei diante da Santa Inquisição. Galileu foi obrigado pela Igreja Católica a renegar tudo o que dissera em favor da teoria heliocêntrica. Reza a lenda, porém, que ele teria dito a meia-voz, referindo-se à Terra: "E no entanto ela se move".

Galileu foi o grande defensor do sistema heliocêntrico. A sua tenacidade em defender suas ideias levou-o a ser perseguido pela Igreja, sendo condenado a abjurar publicamente tudo o que defendera fervorosamente. Por isso, em 22 de Junho de 1633, há 375 anos, aos 70 anos de idade, Galileu teve que ler uma confissão perante o Santo Ofício da Inquisição.•
Uma lenda diz que, ainda postado de joelhos após ler a negação de tudo que tinha defendido durante a vida, ao levantar-se, Galileu murmurou: “E pur, si muove!” – “e, no entanto, ela se move!”. Ele passou o resto da sua vida em prisão domiciliar e morreu cego no dia 8 de Janeiro de 1642, na cidade de Florença, Itália, aos 78 anos.

A condenação de Galileu somente foi reconhecida formalmente como um erro pelo Vaticano em 31 de Outubro de 1992, no final do século 20. Nessa época, já fazia 23 anos que o homem tinha ido à Lua e as espaço naves Voyager 1 e 2 já tinham explorado Júpiter e enviando fotos espectaculares das Luas descobertas por Galileu.

2009 foi declarado o Ano Internacional da Astronomia para comemorar os 400 anos das primeiras observações de Galileu. As descobertas astronómicas aqui apresentadas foram reunidas num pequeno livro publicado em Março de 1610 chamado Sidereus Nuncius – “O mensageiro das estrelas”.

O recado que o mensageiro trouxe foi sem dúvida um dos mais importantes da ciência. A ousadia de Galileu de observar mais longe levou-nos para mais próximo das estrelas e ainda hoje inspira muitos amantes da astronomia.

 

Ursa Major (Ursa Maior)
Maior constelação boreal, mais visível na primavera, que se situa do lado oposto a Polaris. Ela é o norte circumpolar das latitudes médias. Suas sete estrelas mais brilhantes formam um asterismo chamado de Grande Caçarola. As estrelas Alfa e Beta, Dubhe e Merak, formam uma linha que leva a Polaris. Dubhe é uma estrela binária, com seus membros brilhando às magnitudes 2,0 e 4,8 e orbitando uma a outra a cada 44 anos. Alioth, a estrela Epsilon, é uma binária espectroscópica que completa um ciclo a cada 5 dias. As outras estrelas múltiplas são Gama (Phekda) , Eta (Benetnash) e Zeta (Mizar). Cinco das estrelas na caçarola formam uma associação que viaja em conjunto pelo espaço. Muitas galáxias, como a espiral M81 e M101, fazem parte da constelação da Ursa Maior. A nebulosa planetária M97, também chamada de Nebulosa da Coruja se encontra nesta constelação. Finalmente, a Ursa Maior contém Lalande 21185, um estrela vermelha com magnitude 7,48 que é a quarta estrela mais próxima ao Sol.

 

 

 

 

Para  a Cache terão de descobrir quem sou, depois basta saber em que ano fui descoberta? Esse será o valor de X...

Quantos tipos de constelações existem? Valor de Y
Quantas constelações são conhecidas? Valor de Z
Quantas divisões hemisféricas existem para as constelações? Valor de K

Formula:

N 41° K+1.(x/2)-z-k+0,5 <--> W 008° 28.(x/10)-40+k+2,9

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Additional Hints (Decrypt)

Vavtzn: Rfgbh whagb á irefãb orgn qbf Qrhfrf Threervebf.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

45 Logged Visits

Found it 34     Didn't find it 3     Write note 2     Archive 1     Temporarily Disable Listing 2     Enable Listing 2     Publish Listing 1     

View Logbook | View the Image Gallery of 3 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated:
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.