Skip to content

Zameiro II - Ponte D'Ave Traditional Geocache

This cache has been archived.

btreviewer: Esta geocache foi arquivada por falta de uma resposta atempada e/ou adequada perante uma situação de falta de manutenção.
Relembro a secção das Linhas de Orientação que regulam a manutenção das geocaches:

O dono da geocache é responsável por visitas à localização física.

Você é responsável por visitas ocasionais à sua geocache para assegurar que está tudo em ordem para funcionar, especialmente quando alguém reporta um problema com a geocache (desaparecimento, estrago, humidade/infiltrações, etc.), ou faz um registo "Precisa de Manutenção". Desactive temporariamente a sua geocache para que os outros saibam que não devem procurar a geocache até que tenha resolvido o problema. É-lhe concedido um período razoável de tempo - geralmente até 4 semanas - dentro do qual deverá verificar o estado da sua geocache. Se a geocache não estiver a receber a manutenção necessária ou estiver temporariamente desactivada por um longo período de tempo, poderemos arquivar a página da geocache.

Se no local existe algum recipiente por favor recolha-o a fim de evitar que se torne lixo (geolitter).

Uma vez que se trata de um caso de falta de manutenção a sua geocache não poderá ser desarquivada. Caso submeta uma nova será tido em conta este arquivamento por falta de manutenção.

btreviewer
Geocaching.com Volunteer Cache Reviewer
Work with the reviewer, not against him

More
Hidden : 07/29/2009
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:

PT: Esta cache dá a conhecer uma das grandes obras civis românicas da região do Ave
EN: This cache, presents, one of the greatest romanic civil monuments of the this region.

ZAMEIRO II - Ponte D'Ave

PT: A Ponte D'Ave ou Ponte de D. Zameiro


“Ligando a freguesia de Macieira da Maia a Bagunte, fica a chamada Ponte de D. Zameiro. Esta designação, surge num passo das ‘Inquirições’ de 1220, referentes à freguesia de Bagunte: ‘quod dominus rex Alfonsus dedit illa ad pontum de dommo Zameiro, et postea rex dommus Sancius concessil ei illa’. Ao invés deste autor, julgamos que a estrutura mantém o essencial da primitiva traça românica, apesar de ter sofrido diversas remodelações ao longo dos séculos. A ponte não se encontra classificada, mede cerca de 100 m de comprimento, 3,5 de largura, distribuídos por arcos de diferentes dimensões e formatos” (1)

A ponte, era o ponto de passagem sobre o rio Ave da Via Vetera, que vinha da Arrábida (Porto) atravessando o Leça na ponte de D. Goimil e seguia para norte, ligando à Galiza. Em S. Simão da Junqueira, a via ramificava-se em duas sendo que uma seguia para Barcelos e Ponte de Lima por Arcos atravessando o Rio Este na ponte que dá o nome a esta povoação; a outra seguia pelo litoral (Esposende, Viana do Castelo,…) atravessando o rio Este certamente na ponte D’Este. (2)
Daí que esta ponte, assuma um papel preponderante na definição do caminho que os peregrinos tomavam para Santiago de Compostela, estando, actualmente referenciada como o local de passagem do Rio Ave no Caminho Português de Santiago.
O imóvel tem sofrido bastante pelo défice de conservação tendo ocorrido por diversas vezes aluimentos parciais, mais ou menos graves, que as obras de beneficiação que têm sido operadas têm tido dificuldade em evitar, em muito, resultado do desgaste provocado pelo rio, agravado neste últimos anos devido às intempéries ocorridas. Nós últimos trabalhos, os mais exaustivos, procedeu-se a uma consolidação dos arcos, mas também de uma grande parte do leito para que o rio seja menos abrasivo nos alicerces da estrutura.


EN:Ponte D’Ave or D. Zameiro's Bridge


“The D. Zameiro's Bridge connects the parish of Macieira da Maia to Bagunte. This name appears in the Inquiries of the year 1220 of Bagunte: ‘quod dominus rex Alfonsus dedit illa ad pontum de dommo Zameiro, et postea rex dommus Sancius concessil ei illa’. In contrast to this author, we believe that the structure keeps the essentials of the primitive Romanic trace, in spite of the many renovations throughout the past centuries. The bridge is not classified. It is around 100m long, 3.5m wide, in arcs of different dimensions and shapes.” (1)

The bridge was a crossing way over Rio Ave, from Arrábida (Porto), crossing River Leça on the bridge of D. Goimil and going north until Galiza. In S. Simão da Junqueira, the track ends in a fork, where one of the ways goes to Barcelos and Ponte de Lima through Arcos, crossing the River Este. The other goes through the coast line (Esposende, Viana do Castelo…), crossing the River Este on the Este Bridge.
From there that this bridge, assumes a preponderant role in the definition of the way that the pilgrims took for Santiago de Compostela. So, it is currently referred to the place of ticket of the 'Ave' River in the Portuguese Way of Santiago.

The bridge hasn’t been properly preserved. Besides, the weather conditions and the river strength have destroyed it partially, although the renovation works haven’t been able to stop. The actual configuration is the result of the last work in order to sustain the abrasive effects of the river and the weather.


(1) Vila do Conde – espraiada entre pinhais, rio e mar, Anegia Editores
(2) Freitas, Eugénio da Cunha e, Vila do Conde – II: História e Património, Câmara Municipal de Vila do Conde – 2001

Additional Hints (Decrypt)

CG:Un frzcer n uvcbgrfr qr cebphene znvf vasbeznçbrf RA:Vg'f nyy nobhg svaqvat fbzr zber vasbezngvbaf

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)