Skip to content

<

Catar em Redor [Lousã]

A cache by exmágalos Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 10/31/2009
Difficulty:
2.5 out of 5
Terrain:
2.5 out of 5

Size: Size:   regular (regular)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Esta é a primeira cache colocada pelos Exmágalos, numa zona da Serra da Lousã já muito por nós percorrida, mas ainda desconhecida de muita gente. Assim, para além de lhe darmos as coordenadas de uma cache, situada na aldeia de Catarredor, nesta página encontrará as indicações para a realização de um percurso pedestre de cerca de 8 km que lhe irá permitir conhecer alguns dos recantos mais encantadores da Serra da Lousã.

The first cache owned by the Exmágalos is at the Serra da Lousã a wild mountain area still unknown for many. Besides the cache coordinates you can find here the route of a trail track (8 km) that will take you for some of the most charming places of the Serra da Lousã.

SERRA DA LOUSÃ E SUA POPULAÇÃO /

THE SERRA DA LOUSÃ AND ITS INHABITANTS

A serra da Lousã, à qual alguém batizou de “Princesa do Centro de Portugal”, ronda no seu cume os 1204 metros e situa-se na transição do distrito de Coimbra para o de Leiria, abrangendo ainda os concelhos de Miranda do Corvo, Góis, Castanheira de Pêra e de Figueiró dos Vinhos e integra o sistema montanhoso luso-espanhol da Meseta.

Nem sempre esta serra foi o que hoje podemos apreciar, quer a nível populacional, quer a nível estrutural. Em tempos muito idos, as relações nestas povoações serranas eram entre as várias “casas” e, por questões comerciais, com as vilas mais próximas, sobretudo a da Lousã. Até chegarmos ao que hoje vemos, a serra passou por vários períodos de desertificação sendo o primeiro deles sazonal e essencialmente para as zonas da Beira Baixa e Alentejo tomando, nesta época, os serranos o nome de “ratinhos”.  No século XIX, a migração era sobretudo para Lisboa passando a ser aguadeiros ou trabalhadores no porto. Devido ao programa de reflorestação do Estado Novo, que levou a que muitos habitantes da serra vissem os seus terrenos de agricultura e pastoreio transformados em área florestal, surgiu um novo surto de emigração, desta vez para o Brasil e a América e, já na fase final, os restantes sentiram-se obrigados a descer até ao vale. Estava criado o cenário ideal para que, a partir de 1982-1984, novos ocupantes, em busca de um estilo de vida alternativo àquele que tinham por essa Europa fora, se instalassem. Hoje, as pessoas que dão vida a estas aldeias são de origens e situações socioeconómicas completamente diferentes das que as precederam.

The Serra da Lousã is also named as the “Princess of Center Portugal”. The highest peak is at 1204 m above sea level. The mountain area spreads by the city councils of Lousã, Miranda do Corvo, Góis, Castanheira de Pêra and Figueiró dos Vinhos.

The Serra da Lousã has suffered with the immigrations of the local inhabitants in the last two centuries. But in the 1980’s new people coming from city centers and northern Europe looking for an alternative way of life have been settling in this rural area. Today the people that give life to this area have roots completely different from the original inhabitants.

ALDEIA DE CATARREDOR /

THE CATARREDOR VILLAGE

Das várias aldeias da serra da Lousã escolhemos a de Catarredor como base de referência para a nossa geocache. Pensa-se que o nome Catarredor, ou seja, "olha em redor” se atribui ao facto de esta aldeia se situar num ponto alto, 670 metros, de defesa, e por proporcionar uma vista abrangente e de grande beleza.


Vista do Catarredor envolvido pela serra da Lousã e pormenor de casa típica

We use the name of the Catarredor village to reference our cache. Catarredor means “looking at the surroundings”. The village is at a high point (670 meters) ideal for defending in foreign times and for enjoying the beautiful landscape of this mountain area.

No quadro seguinte podemos ver a evolução dos habitantes da aldeia de Catarredor.

The next table presents the evolution of the local inhabitants of the Catarredor village.

 

  1911 1940 1960 1970 1981 2007
Catarredor 109 120 67 23 2

16

Recenseamento da população entre 1911 e 1984, INE

A CACHE /

THE CACHE

Para aceder ao Catarredor, tomando como ponto de partida a Lousã, pode optar pelo alcatrão seguindo a EN236 no sentido de Castanheira de Pêra (ver mapa do percurso pedestre abaixo). Após o Candal, deve estar atento a uma cortada à direita com a indicação de Catarredor. Se optar pela estrada florestal, neste momento em terra, deve seguir as indicações de “Aldeias serranas” à saída da Lousã. Um mapa de estradas completo pode ser encontrado no sítio de Internet da Câmara Municipal da Lousã.

Ao chegar ao Catarredor, deixe a viatura, e se tiver sorte deixe-se levar pela selvagem cavatina, que é como quem diz os sons locais predominantes na época das chuvas, e boa “cachada”! A cache é uma caixa plástico vulgar, média, e que está envolvida por um saco preto para a proteger da humidade. Tem o tradicional livro de registos, material para escrita e objectos para a troca.

To reach the Catarredor village from the Lousã urban area take the route EN236 in the direction of Castanheira de Pêra. After the Candal village, you should be aware to turn right at the plate pointing to the Catarredor village. If you chose the forest trail you should follow the plates indicating “Aldeias Serranas” when you leave the Lousã urban area. You can find here a detailed route map.

When you arrive at the Catarredor village leave the car and if you are lucky, you will feel the wild cavatina, this is the local sounds prevaling in the rainy season. Nice "cachada"! The cache is a normal plastic box inside a black plastic bag. It has the traditional log book, pen/pencil for writing and a variety of small objects.

PASSEIO DO KM 23 /

KM 23 TRAIL TRACK

Marco do km 23 no início do percurso

Para também fazer a cache apresentamos-lhe a alternativa de passar o dia na serra da Lousã, desfrutando do magnífico percurso pedestre por nós intitulado de “km 23” e cuja época mais espectacular será no Outono devido à proliferação de castanheiros (e castanhas prontas a ser recolhidas ao longo do caminho, não se esqueça da saca para as transportar!). Vindo da Lousã pela EN236, após a povoação do Candal, e antes da referida cortada para Catarredor, esteja atento à marca do km 23. Estacione os carros numa curva que tem uma berma larga ainda antes da marca do km 23. Pegue no mapa do percurso, calce as botas de caminhada, ponha a mochila às costas, e uns 200 metros já adiante da marca, depois de terminado o pequeno muro na berma da estrada, tem uma pequena reentrância que assinala o início do passeio (coordenada aproximada: N 40° 04.150’ W 8° 12.900’). Actualmente, a entrada para o percurso pedestre tem um sinal distintivo do percurso de BTT Lousã-Candal-Cerdeira (12) marcado pelas Aldeias de Xisto. O caminho é inicialmente descendente, escassos metros abaixo, cruza-se com um ribeiro, inflete-se sobre a direita e é só seguir o carreiro até à povoação de Catarredor durante aproximadamente ½ hora. No Catarredor poderá encontrar a cache e voltar para trás.

Largo central de VaqueirinhoMas o nosso passeio não termina aqui, e nesta altura já deve ter pensado na logística do passeio, uma vez que o percurso completo que nós propomos não é circular. Ele termina bem cá em baixo, no complexo da Senhora da Piedade/Castelo de Arouce.

Assim para fazer o nosso passeio por completo deverá ter deixado um veículo na já tão falada EN236, perto do km 13, junto ao miradouro da Senhora da Piedade (N 40° 06.132’ W 8° 14.090’) e ser transportado para o km 23. No final do passeio, terá de fazer a operação inversa. Resolvida previamente a questão e, depois de encontrar a nossa cache no Catarredor, é só continuar o percurso por nós sugerido, e que passa ainda pelas aldeias de Vaqueirinho (a saída de Vaqueirinho faz-se descendo, depois de passar pelo centro da aldeia onde tem um tanque, virando à esquerda no meio das casas, e abandonando a aldeia por um caminho que ainda desce entre carvalhos e castanheiros) e Talasnal, antes de chegar ao complexo da senhora da Piedade. Na aldeia do Talasnal terá hipótese de neutralizar o seu passeio por umas horas ou até ao dia seguinte pois para comer tem o sempre acolhedor Restaurante “Ti Lena” onde poderá perguntar por alojamento.

km 23 no OutonoDo Talasnal ao complexo da senhora da Piedade, junto à ribeira de São João, é cerca de mais uma hora a descer para ver até onde são capazes os seus joelhos. Já no complexo da Senhora da Piedade, e se tiver tempo e/ou interesse pela gastronomia local, poderá usufruir do restaurante “O Burgo” enquanto contempla, não só as ermidas semeadas nos arrabaldes, como o castelo de Arouce que nas palavras de José Saramago, em Viagem a Portugal, não é mais do que “um castelinho,… Ocupa, e apenas em parte, o espinhaço de um monte que é, insolitamente, o mais baixo da vizinhança, [está] no centro duma roda de montes que o excedem em porte [mas] o viajante acredita que nenhum lugar existe no mundo com mais adequado cenário para uma representação shakespeariana, das que metem castigos, vaticínios funestos e grandeza. É uma cenografia natural que não precisa de retoques, e em tenebrismo dramático nada poderia ser mais interessante.”

Vista do miradouro no final do percursoSe ainda se lembra, deixou o seu meio de transporte no miradouro que vislumbra lá no alto e falta-lhe a “subidinha” que vai pôr os seus restantes músculos no auge da sua plenitude. Ao subir do complexo e ao chegar ao castelo tem uma pequena capela à direita. Siga pelo carreiro que ali nasce e que indica o caminho para a Central da Ermida. Uns 200 metros adiante, esteja atento a um caminho sobre a sua esquerda e, após serpentear durante 5-10 minutos por entre acácias, estará no miradouro onde começou a sua jornada. Antes de partir descanse os seus olhos por onde todo o seu corpo andou. Esperamos que tenha gostado tanto quanto nós gostamos de repetir sempre este passeio!

Below you find the map for the trail track named by us the “km 23”. Please send us an email if you have the idea of doing the trail track.

Pormenores do percurso:

Mapa / Map

Distância aproximada - 8 km

Tempo total previsto (incluíndo paragens para descoberta da cache, fotos e almoço) - 6 horas

Tempos parciais (sem muitas paragens): Início do percurso-Catarredor - ½ hora; Catarredor-Vaqueirinho - ½ hora; Vaqueirinho-Talasnal - 1½ hora; Talasnal-Complexo da Senhora da Piedade - 1 hora.

Desníveis do percurso - Início (km 23): cota 750 m; Catarredor: cota 670 m; Complexo da Senhora da Piedade: cota 250 m; Miradouro da Senhora da Piedade: cota 350 m.

Outros pormenores - Com excepção do Talasnal e no final do percurso, no complexo da Senhora da Piedade, não existe a possibilidade de comprar comida ou água. Leve calçado adequado de caminhada.

Additional Hints (Decrypt)

[PT]: fvagn n yídhvqn pningvan.

[EN]: srry gur yvdhvq pningvan.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)