Skip to content

This cache has been archived.

Bitaro: Esta geocache foi arquivada por falta de uma resposta atempada e/ou adequada perante uma situação de falta de manutenção.
Relembro a secção das Linhas de Orientação que regulam a manutenção das geocaches:

O dono da geocache é responsável por visitas à localização física.

Você é responsável por visitas ocasionais à sua geocache para assegurar que está tudo em ordem para funcionar, especialmente quando alguém reporta um problema com a geocache (desaparecimento, estrago, humidade/infiltrações, etc.), ou faz um registo "Precisa de Manutenção". Desactive temporariamente a sua geocache para que os outros saibam que não devem procurar a geocache até que tenha resolvido o problema. É-lhe concedido um período razoável de tempo - geralmente até 4 semanas - dentro do qual deverá verificar o estado da sua geocache. Se a geocache não estiver a receber a manutenção necessária ou estiver temporariamente desactivada por um longo período de tempo, poderemos arquivar a página da geocache.

Se no local existe algum recipiente por favor recolha-o a fim de evitar que se torne lixo (geolitter).

Uma vez que se trata de um caso de falta de manutenção a sua geocache não poderá ser desarquivada. Caso submeta uma nova será tido em conta este arquivamento por falta de manutenção.

Obrigado pela compreensão,
Bitaro
Community Volunteer Reviewer

Centro de Ajuda
Linhas Orientação

More
<

Museu do Fuzileiro

A cache by RavenMaster & Uindinha Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 11/17/2009
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:

Com esta cache, queremos dar a conhecer a Escola de Fuzileiros Navais e o Museu do Fuzileiro.

Escola de Fuzileiros

 





À Escola de Fuzileiros (EF) compete, em especial:

Assegurar a execução das acções de formação específicas da classe de Fuzileiros.

Apoiar com os seus serviços, no âmbito logístico, a Unidade de Meios de Desembarque (UMD), bem como outras Unidades de Fuzileiros (UF), quando tal seja determinado.

Garantir a segurança das instalações situadas na sua área, com meios próprios ou que lhe sejam atribuídos para o efeito.

Assegurar outras acções de formação que lhe sejam cometidas.

 





A EF compreende:

O Conselho Técnico-Pedagógico

A Direcção Técnico-Pedagógica

O Departamento de Pessoal

O Departamento de Material

O Departamento de Apoio

 





Museu do Fuzileiro

 

Quando em 1963, a Escola de Fuzileiros (EF) é instalada em Vale do Zebro, são feitas adaptações e acomodações, para as necessidades do momento, mormente no edifício principal do complexo que aloja o museu.

A ideia, e a obra, do Museu dos Fuzileiros, como é conhecido, foi-se colocando no início da década de oitenta, quando após o fecho do ciclo ultramarino, uma quantidade significativa de peças-memória foi oferecida à EF, por personalidades militares e civis, sobretudo, antigos e actuais Fuzileiros, e para a preservação e apreciação das quais não havia espaço adequado.

Após um notável e raro trabalho de restauro de parte do piso térreo do edifício principal, que pôs «a descoberto os apontamentos [de alguns] dos antigos fornos de biscoito e as respectivas saídas de ar», por dedicação e conhecimento de alguns Fuzileiros e apoiado superiormente, em 1984 foi inaugurada a Sala-Museu do Fuzileiro.





Fazendo uma breve descrição do actual itinerário do museu, que não intenta dispensar, mas sim aguçar o interesse para uma próxima visita, diremos que na entrada, se simboliza a história do complexo e a história dos Fuzileiros, consubstanciadas pela estrutura arquitectónica da sala e nas figuras expostas que retratam os primeiros antecessores e os Fuzileiros da época contemporânea mais significativa.

Ainda neste espaço, complementado por uma das salas, expõem-se alguns dos bens museológicos alusivos ao fabrico do biscoito, dito, de mar que, segundo um investigador brasileiro, «são bolachas duras e salgadas, guardadas em paióis pouco ou nada arejados. Cada tripulante tem direito a 400 gramas diárias dessa maçaroca assada nos fornos reais de Palhais e do Vale de Zebro, em Lisboa. Só entre 1505 e 1507, o Zebro fabricaria 300 toneladas de biscoito por ano. Significa um milhão de rações diárias produzidas apenas para abastecer a despensa dos navios portugueses. Brincam os historiadores que estas intragáveis bolachas de farinha, de bolor fedorento e adoradas pelas baratas, são o motor da história das navegações».

O interior do museu dá-nos uma imagem singular da sólida traça pombalina, onde domina o tijolo a cutelo e os tectos se organizam em abóbadas de "barrete" as centrais e de "berço" as laterais, ao longo das quais está exposto o acervo que ilustra o historial dos Fuzileiros.





À saída da Sala-Museu, no exterior, pode apreciar-se a arcada, em corredor, de cariz, também, pombalino que se prolonga a todo o piso térreo do edifício mais representativo do Complexo Real de Vale do Zebro.

Pelo que representa como valor simbólico e afectivo, a Sala Museu dos Fuzileiros, é o local de visita obrigatória dos Fuzileiros de ontem e de hoje, e por extensão das famílias e amigos, que frequentemente se encontram na Escola de Fuzileiros, não só para recordarem os momentos vividos e manterem, vivas as referências mas, também pelas condições ambientais impares que o local reúne.
As visitas de, como se diz na gíria militar, "civis" cifram-se anualmente em cerca de 600, sendo que a maioria são de escolas e de outras instituições da área educativa, cultural e ambiental, sobretudo do Concelho do Barreiro e limítrofes, facto de que muito nos orgulhamos.





Foi, também, por estas razões que se equacionou uma beneficiação e remodelação dos espaços e do património do museu, cuja primeira fase terminou em 29 de Julho de 2005 e posteriormente, numa segunda fase de ampliação, inaugurada no âmbito das Comemorações do Dia do Corpo e da Escola de Fuzileiros, em 10 Novembro de 2006.

Que a pluralidade de "entradas" e a diversidade de domínios que o património natural e o historial do espaço conotado com o Complexo Real de Vale do Zebro, inclusive a Sala Museu do Fuzileiro, encerram, se constitua um desafio aos investigadores e estudiosos das diversas áreas do conhecimento potencialmente representadas.





 

Fonte: http://fuzileiros.marinha.pt

Visitas por marcação pelo telefone 212 151 026





Additional Hints (Decrypt)

Svaq Trbetr Ohfu :)

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.