Skip to content

<

Hipercolesterolemia / Hypercholesterolemia

A cache by btt Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 01/08/2010
Difficulty:
4 out of 5
Terrain:
2 out of 5

Size: Size:   other (other)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:




Esta cache é parte integrante de uma cache final (cache saudável) pelo que deve tomar nota do valor existente no início do logbook.

Visto a cache ter um intuito claramente educativo optámos pelo formato de mistério obrigando à leitura do texto. As respostas estão explícitas no texto e são óbvias.

A dislipidémia é um distúrbio metabólico caracterizado por concentração alterada de lípidos (gordura) no sangue.
Os lípidos que se doseiam no sangue por “rotina” são o colesterol total, colesterol LDL, colesterol HDL e triglicéridos. Outros também poderão ser doseados ocasionalmente em casos especiais.
O colesterol elevado (LDL e total) bem como um baixo colesterol HDL são neste campo as principais alterações a ter em conta.
A hipercolesterolemia está associada à formação de placas de ateroma (aterosclerose) nos vasos, levando ao seu “envelhecimento” prematuro. Uma vez que estas placas se vão alojar na parede interior dos vasos, a circulação do sangue vai sendo progressivamente dificultada - Fig 1 e 2 - (estenose dos vasos) provocando insuficiência de oxigénio nos tecidos (hipóxia) por falta de circulação sanguínea que, em casos extremos leva à morte das células (necrose).





Fig 2 - Doppler: obstrução ao fluxo – estenose
Fig 3 - Angiografia coronária: estenose

Consoante o tecido atingido serão as manifestações clínicas
Coração – angina (angor) e infarto - fig 3 -
Cérebro – AVC (acidente vascular cerebral – vulgo trombose) - Fig 4.
Circulação periférica - claudicação intermitente (dor muscular durante exercício físico) até necrose das extremidades - Fig 5.
Todos os órgãos são atingidos pois a circulação sanguínea é a chave para a sua sobrevivência (estes são alguns exemplos correntes).



Os acidentes (eventos) cardiovasculares são a principal causa de morte em Portugal e nos países ocidentais e o controlo dos factores de risco cardio-vascular, nos quais se inclui a hipercolesterolémia, influem de forma dramática na duração e qualidade da vida das populações.
Assim, o controlo da hipercolesterolémia reduz a probabilidade de morrer ou ficar debilitado por estas patologias, e quanto mais cedo se actuar melhor.
A causa deste distúrbio é genética e nutricional, embora haja causas menos frequentes que são despistadas na avaliação inicial do doente com dislipidémia.
Os doentes com dislipidémia diagnosticada deverão ser orientados do ponto de vista terapêutico e efectuar regularmente análises para ajuste das medidas adoptadas.
Os valores ideais de Colesterol e outros lípidos no sangue têm sido alvo de debate e podem-se ver na tabela abaixo.
Doentes com patologia associada podem necessitar de objectivos mais “ambiciosos”. Assim, quem tenha tido eventos cardiovasculares ou tenha outros factores de risco como diabetes, deverá ter valores desejáveis mais controlados: colesterol total < 170mg/dl; colesterol LDL <100 mg/dl.
Quando ocorre alguma manifestação clínica na sequência da hipercolesterolémia já houve lesão importante dos vasos. Estas lesões são sempre difusas, graves nesta fase, e virtualmente irreversíveis, embora se possam corrigir algumas lesões pontuais.
Por outro lado a hipercolesterolémia não é curável, é sim uma doença crónica que se pode controlar mas que necessita de medidas constantes ao longo da vida.
Uma vez que a hipercolesterolémia não provoca directamente sintomas é frequente o desleixo no seu controlo. No entanto logo que forem suspensas as medidas tomadas os valores de colesterol subirão novamente.

O tratamento baseia-se em: perda de peso, redução na ingestão de gorduras e colesterol, praticar exercício físico, ingestão de esteróis vegetais, e eventualmente medicação.

Uma dieta equilibrada, rica em fibras, restringindo o aporte de gorduras e colesterol é fundamental.
Devem utilizar-se produtos magros ou meio gordos como o leite, queijo fresco ou flamengo, requeijão magro. Deve inibir-se de ingerir gorduras animais, quer nas gorduras visíveis como no toucinho e enchidos quer também nos molhos de fritura.
As carnes mais recomendadas são frango, peru, coelho, borrego, cabrito e ainda carnes magras de bovino e porco.
Os fritos são proibidos.
Alimentos particularmente ricos em colesterol devem ser evitados: produtos de pastelaria, natas ou chantilly, ovas, banha, gorduras hidrogenadas, óleo de palma ou coco, gelados, leite condensado, chocolates de leite.


A prática de exercício físico regular, com a duração mínima de 30-40 minutos, pelo menos 3 vezes por semana, ajuda no controlo do peso mas também no controlo dos valores de gordura, sobretudo de o exercício físico for intenso.
Existem múltiplas classes terapêuticas, sendo as mais usadas as “estatinas” que constituem a abordagem medicamentosa inicial e o ezetemibe, utilizado em associação (quase sempre no mesmo comprimido) com uma estatina.
Os medicamentos têm uma extensa lista de efeitos secundários, que são dose dependentes, e que são improváveis em doses “regulares”. É no entanto fundamental a combinação com as restantes estratégias para utilizar a mínima dose necessária. Apesar da extensa lista de efeitos acessórios a relação risco-benefício é francamente favorável ao doente pelo que este não deve abandonar a terapêutica.
Os efeitos acessórios mais importantes são a “lesão” hepática e muscular, para os quais os doentes devem estar atentos, sobretudo no início do tratamento e em caso de ajuste de dose. A lesão hepática manifestada por icterícia (e urina escura) e dor hepática e a lesão muscular apresentando-se como mialgias (dor muscular) semelhante a um sindroma gripal. Quer uma alteração quer outra são confirmadas analiticamente. De qualquer modo se o doente tiver estas manifestações deve imediatamente suspender a terapêutica e procurar o seu médico assistente.

A - Quando deve ser iniciado o tratamento da hipercolesterolémia?
- logo que é diagnosticado - 1
- Quando tiver os primeiro sintomas - 2

B - A hipercolesterolémia é uma doença curável?
- sim - 1
- não - 3

C- Uma vez atingido o valor alvo já se podem suspender as medidas terapêuticas?
- sim - 9
- nao - 6

D – Se tiver o colesterol controlado com medicação a dieta continua a ter importância?
- claro, a dieta é sempre importante-1
- não, nesse caso pode não fazer dieta 3

E – Os efeitos secundários da medicação são desprezíveis?
- Sim porque os benefícios são muito grandes - 5
- Não. Apesar do risco/beneficio ser favorável devo estar atento - 7

F – Os valores alvo do colesterol são iguais para todos os doentes?
- sim, porque todos nós somos iguais e temos os mesmos direitos - 7
- não, porque há doentes de maior risco cujo valor alvo é mais restrito - 3

TRAGA MATERIAL DE ESCRITA
Coordenadas finais: N 38 44.ABC W 9 11. DEF



This cache gives you part of a key in order to get a final cache named “Healthy cache”. You should keep the number displayed in the logbook.

This cache has an educative purpose, so we have made it an easy mystery cache. You should read and learn some basic and important facts about hypercholesterolemia.
The answers are quite obvious and are focused in the text below.
Dyslipidemia is a metabolic disturbance in which there is an elevated value of the lipids in blood.
In a check up, the levels of total, LDL and HDL cholesterol as well as triglycerides are evaluated. In special cases other lipids can be evaluated too.
High levels of total and LDL cholesterol as well as low HDL cholesterol are the main disturbances.
Hypercholesterolemia is associated with atheroma plaques (atherosclerosis), leading to premature aging. Once theses plaques in the blood vessel wall, partially occluding the lumen Fig 1 (stenosis of a vessel) Fig 2 (Doppler of a stenotic vessel) (stenosis) the blood circulation is harder.
Oxygen deprivation will occur and, at the end stenosis leads to tissue death (necrosis).


Different clinical founds can be seen;
Heart – angor and myocardial infarction - Fig 3 - Angiography - stenosis of a coronary artery
Brain – stroke -Fig 4.
Limb circulation - claudication (muscle pain during exercise) - Fig 5.
Every organ is compromised as blood circulation is the key for their survival (those are only some ordinary examples)
Cardiovascular events are the main cause of death in Portugal and developed countries.
Control of risk factors such as hypercholesterolemia dramatically improves quality of life and life expectancy.
So, risk factors control, in which cholesterol plays an important role, is critical to lower the probability of death or have a debilitated condition.
Genetics and excess cholesterol intake are the main causes of hypercholesterolemia although rare causes are ruled out in a check up.
Dyslipidemic patients should have the correct control of cholesterol and periodically adjust therapeutic measures with lipid analysis. The current goals are: total cholesterol < 190 mg/dl; LDL cholesterol <115 mg/dl and HDL cholesterol > 60 mg/dl. Patients who had any cardiovascular event or have other cardiovascular risk factor such as diabetes should have lower total cholesterol (< 170 mg/dl) and LDL cholesterol (< 100 mg/dl).
When occurs any clinical consequence of dyspilidemia, extensive and massive lesion of blood vessels is present. These lesions are virtually irreversible although we can slow their progression or even correct some of them.
On the other hand hypercholesterolemia is not a curable condition. It is in fact a chronic disease that must have continuous care.
Hypercholesterolemia does not directly ellicits any symptom so the usual control measures are frequently abandoned. But as soon as this happens cholesterol levels will rise again.
Cholesterol control is based on reduction in cholesterol an fat ingestion, physical activity, vegetal sterols ingestion and medication. You should have a rich fibre and low fat and cholesterol diet, such as low fat products (milk and cheese). You should eat less meat and prefer low fat meat such as chick or turkey, lamb, rabbit, goatling and low fat pork or cow. Fried food is almost forbidden.
There are other foods that you must avoid such as: pastry products, cream or chantilly, coconut or palm oil, ice cream and milk chocolate.
Regular physical activity, at least 30-40 minutes, three or four times a week, helps weight and cholesterol control, especially with intense exercise.
The most common used drugs are the statins which are the first line approach and ezetemibe, usually used in the same pill associated with a statin.
These drugs have an extensive list of secondary effects, dose dependent, which are unlikely to occur in regular doses. It is critical to use the lowest possible and effective dose although there is clearly a favourable risk/benefit relationship. For this reasons the patients should never abandon the treatment.
The most important secondary effects are liver and muscular injury for which the patients must be aware of, especially when starting the treatment or when increasing the dose. Hepatic injury is suspected when there is hepatic pain, jaundice (and very dark urine), and muscle injury occurs with myalgia (like a viral syndrome).
These changes must be confirmed with analytic evaluation but you must stop the medication without further delay until your doctor decides what to do.
A – When should I begin hypercholesterolemia treatment?
- The sooner the better - 1
- When I have the first symptoms -2
>
B - Hypercholesterolemia is a curable condition?
- Yes - 1
- No - 3

C – Once the cholesterol target value is achieved can we stop the therapeutic measures?
- Yes - 9
- No - 6

D – If your cholesterol is on target with medication are the diet measures still important?
- Yes, diet is important - 1
-.No, not in this case - 3

E – Are the secondary effects of these drugs negligible?
-Yes because patients benefits a lot. - 5
- No. Despite a good risk/benefit relationship I should be aware of secondary effects - 7

F– Are the target values of cholesterol the same for all patients?
- Yes because we all have the same rights- 7
- No because there are patients with greater risk in which the targets are lower -3


BRING YOUR OWN PENCIL (BYOP)
Final cords are: N 38 44.ABC W 09 11. DEF

Pode verificar a solução deste puzzle no Geochecker.com.

Additional Hints (No hints available.)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.