Skip to content

Ceboleiros [Glória] Multi-Cache

This cache has been archived.

btreviewer: Esta cache foi arquivada por falta de uma resposta atempada e/ou adequada perante as situações relatadas. Relembro a secção das guidelines sobre a manutenção http://support.groundspeak.com/index.php?pg=kb.page&id=307#maint :

[quote]
You are responsible for occasional visits to your cache to maintain proper working order, especially when someone reports a problem with the cache (missing, damaged, wet, etc.). You may temporarily disable your cache to let others know not to search for it until you have a chance to fix the problem. This feature is to allow you a reasonable amount of time – normally a few weeks – in which to check on your cache. If a cache is not being maintained, or has been temporarily disabled for an unreasonable length of time, we may archive the listing.

Because of the effort required to maintain a geocache, we ask that you place physical caches in your usual caching area and not while on a vacation or business trip. It is best when you live within a manageable distance from the cache placements to allow for return visits. Geocaches placed during travel may not be published unless you are able to demonstrate an acceptable maintenance plan, which must allow for a quick response to reported problems. An acceptable maintenance plan might include the username of a local geocacher who will handle maintenance issues in your absence.[/quote]

Como owner, se tiver planos para recolocar a cache, por favor, contacte-me por [url=http://www.geocaching.com/email/?u=btreviewer]e-mail[/url].

Lembro que a eventual reactivação desta cache passará pelo mesmo processo de análise como se fosse uma nova cache, com todas as implicações que as guidelines actuais indicam.

Se no local existe algum container, por favor recolha-o a fim de evitar que se torne lixo (geolitter).

Obrigado

[b] btreviewer [/b]
Geocaching.com Volunteer Cache Reviewer

More
Hidden : 02/01/2010
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:

FTF - helderjsd
STF - joom + dfsilva + cache.a.lot
TTF - Diogo Esteves

______________________________________________________________

Para os aveirenses mais enraizados, a tradição pesa no seu bairrismo, manifestando-se por diferenças comportamentais que radicam na vida de séculos. Para esses, Aveiro mantém na sua essência duas grandes áreas de desenvolvimento, conhecidas por designações populares com seu quê de galhardia mas, por vezes, usada depreciativamente: os ceboleiros e os cagaréus.

Para melhor compreender o porquê destas designações, torna-se necessário retroceder no tempo, à época em que a vila de Aveiro se encontrava muralhada. Na sequência de um enorme incêndio que destruiu o burgo no início do séc. XV, o infante D. Pedro mandou construir uma magnífica muralha, sabendo-se que em Agosto de 1413 a sua construção estava a processar-se e se prolongou por dezenas de anos. Composta por uma estrutura irregular, tinha quatro postigos, vários torreões e oito portas com a seguinte designação: da vila (a sul, dando entrada na rua direita), do Sol (para oriente), do Campo, do Cojo (ou cais), da Ribeira (situada junto à costeira), do Alboi (mais para sul), de Rabães e de Vagos (junto ao convento de St. António).

Estas muralhas vieram dar à vila robustez, segurança e grandeza, num período particularmente favorável, sendo visível o seu crescimento em população e riqueza, tornando-a numa verdadeira vila burguesa.

Face a este desenvolvimento, a vila, composta até aí por uma única freguesia – a de S. Miguel – passou em 1572 a estar dividida em quatro: além da de S. Miguel (parte nobre da vila, quase toda muralhada), foi criada a do Espírito Santo (a sul do canal central, mas fora das muralhas), a da Vera-Cruz e a de N. Sra. da Apresentação, ambas na designada Vila Nova, zona de pescadores e marnotos, já a norte do canal central.

Na antiga freguesia de S. Miguel e junto à igreja matriz que lhe deu o nome – Igreja de S. Miguel, efectuava-se a Feira das Cebolas. Por essa razão, os habitantes e naturais do canal central para sul, zona mais nobre da vila, por aí residirem os descendentes dos mais antigos povoadores da urbe, passaram a ser designados de ceboleiros. De uma maneira geral, assumem-se como gente mais fidalga, identificada com formas e estatuto das famílias da nobreza, mesmo que dessas tivessem sido apenas servidores.

Lamentavelmente, em 1835, o governador civil José Joaquim Lopes de Lima manda demolir o histórico e emblemático templo de S. Miguel (testemunhos antigos, localizam esta igreja precisamente no local onde hoje se encontra a estátua de José Estêvão, frente ao edifício dos Paços do Conselho), alegando razões de higiene pública, devido ao mau estado de conservação do mesmo, além de evocar a necessidade de se proceder ao embelezamento do local. Ainda no século XIX a muralha terá sido demolida e a sua pedra aproveitada para a construção da actual Barra.

Por alvará publicado em 11 de Outubro do mesmo ano, o referido governador civil reduz a duas as quatro freguesias da cidade, passando Aveiro a ter as freguesias da Vera cruz (para norte do canal) e a de N. Sra. da Glória (para sul do canal), divisão esta que se mantém até aos nosso dias.

Foi após a demolição da igreja matriz de S. Miguel que o Mercado das Cebolas passou a efectuar-se do outro lado do canal (já em terreno cagaréu), mais precisamente ao longo da margem esquerda do Canal Central, à entrada do Rossio. De há uns anos para cá, a tradição desta feira tem sido recreada, tendo ocorrida a última ainda em Setembro de 2009.

A dicotomia, que se manteve e acentuou quando as freguesias passaram a ser apenas duas, começou a ser quebrada com a abertura da Avenida Lourenço Peixinho, na segunda década do século XX, persistindo no entanto traços globais desses comportamentos que, com a vinda de dezenas de milhar de novos habitantes do interior, pouco sentido fazem hoje na vida da cidade, mas são ainda relembradas pelas gentes mais antigas.

Fontes:
http://aveirana.doc.ua.pt/urbe.htm
http://esgueirando-me.blogspot.com/2007/03/curiosidades-em-alcunhas-tpicas.html
http://jn.sapo.pt/blogs/carlos_braga_da_cruz/archive/2008/12/21/cagar-233-us-e-ceboleiros-citando-ana-clara-correia.aspx
http://www.prof2000.pt/users/avcultur/aveidistrito/boletim19/page014.htm
http://www.prof2000.pt/users/Secjeste/Arkidigi/Aveiro02.htm
http://www.emaveiro.com/scid/emaveiro/defaultArticleViewOne.asp?categoryID=717&articleID=5630


A CACHE
Trata-se de uma simples multi urbana, localizada na freguesia da Glória, onde habitam os ceboleiros. Está numa zona movimentada durante o dia, pelo que pedimos que sejam discretos.

Conteúdo inicial: stashnote, logbook, lápis e patinho amarelo estica-braços. É um pequeno tupperware, envolto num saco preto, que permite que sejam trocados objectos.

A cache não se encontra nas coordenadas indicadas. Aqui deverá responder às perguntas abaixo para chegar à coordenada final.

A – Qual o número de estrelas no brasão da freguesia?
B – Qual o número de janelas na fachada da junta?
C – Quantos mastros existem no jardim?


Coordenada Final: N40º37.[Bx(Cx2+A)-C]C W8º39.00(C-A)

Para verificar se todas respostas estão certas: A+B+C=17

Additional Hints (Decrypt)

Zrkr nf dhr rfgãb fbygnf

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)