Skip to content

This cache has been archived.

SUp3rFM: Esta cache foi arquivada por falta de uma resposta atempada e/ou adequada. Relembro a secção das guidelines sobre a manutenção http://www.geocaching.com/about/guidelines.aspx#maint :

[quote]
As the cache owner, you are also responsible for physically checking your cache periodically, and especially when someone reports a problem with the cache (missing, damaged, wet, etc.). You may temporarily disable your cache to let others know not to hunt for it until you have a chance to fix the problem. This feature is to allow you a reasonable time – [b]normally a few weeks[/b] – in which to arrange a visit to your cache. In the event that a cache is not being properly maintained, or [b]has been temporarily disabled for an extended period of time, we may archive the listing[/b].

It may be difficult to fulfill your maintenance obligations if you place a cache while traveling on vacation or otherwise outside of your normal caching area. These caches may not be published unless you are able to demonstrate an acceptable maintenance plan. It is not uncommon for caches to go missing, areas to be cleared, trails to be blocked or closed, objects used for multi-cache or puzzles to be moved or removed, etc. [b]Your maintenance plan must allow for a quick response to reported problems.[/b]
[/quote]

Como owner, se tiver planos para recolocar a cache, por favor, contacte-me por [url=http://www.geocaching.com/email/?u=sup3rfm]e-mail[/url].

Lembro que o "desarquivamento" de uma cache, e a sua eventual consequente reactivação, passa pelo mesmo processo de análise como se fosse uma nova cache, com todas as implicações que as guidelines indicam.

Se no local existe algum container, por favor recolha-o a fim de evitar que se torne lixo (geolitter).

Abraço e obrigado pela sua contribuição.

SUp3rFM
Geocaching.com Volunteer Cache Reviewer

More
<

Quinta de Santo António da Juncosa

A cache by surikatas Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 03/18/2010
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Brasão
Nome da Quinta

    Os remorsos do barão das Lajes preenchem 30 mil hectares de terra, perto de Penafiel

    Para lá do portão do século XVIII, cujas juntas se recusam a ranger, o cenário é perfeito. Na escuridão do caminho de terra batida, ladeado por vinhas, um ponto de luz move-se vagaroso na direcção da entrada, só a poucos metros deixando adivinhar o pequeno vulto, as rodas, a bicicleta. É um dos 20 netos de Margarida Rosa que vem buscar os forasteiros ao portão da Quinta de Santo António da Juncosa, 30 mil hectares em processo de ruína vagarosa há meio século, perto de Penafiel. Só a família da caseira vive aqui, entre paredes que já foram cortes de cavalos, longe da mansão senhorial habitada pelos remorsos do barão das Lajes, que há oito séculos deixou marca de assombração em cada socalco destes montes ao arrastar a esposa pela propriedade, presa a um cavalo, por infundado ciúme nascido da ausência em batalha.

    O marido de Margarida Rosa, uma vida sem outros horizontes que os desta ruína vagarosa, nascido, criado e destinado a fazer nascer e criar família dentro dos muros da quinta, agiganta a sua sombra quando desce à casa senhorial. Não fala, vem calado e mais branco que o fantasma que terá visto um dia reflectido num espelho da mansão em ruínas, com "um chapéu branco, redondo". São as únicas palavras que há-de articular a custo, enquanto desfia um interminável fio de electricidade com uma lâmpada, a tentar trazer alguma luz sobre o assunto, sobre a casa abandonada. "Era o baron", sussurram com pronúncia do Norte alguns dos 20 netos de Margarida Rosa, e as filhas da caseira mantêm uma das mãos no bolso, a fazer figas profanas, e benzem-se com a outra em afinco religioso. A história vai sendo desfiada ao mesmo ritmo que se vence a escuridão, as teias de aranha que parecem segurar as paredes da casa numa argamassa fina, silvas a invadir a sala principal a partir do tecto de abóbada.

    "A herdeira de tudo isto vive no Porto, há muitas gerações que a família não habita a quinta e está tudo a desfazer-se há 50 anos", um pouco menos do que aqueles que definem a vida de Margarida Rosa. Assim abandonada, sem ordem para ser mantida, a mansão foi sendo pilhada ao mesmo ritmo que a lenda da assombração se foi espalhando pela aldeia. Azulejos do século XVIII, cadeiras, livros, muitos livros, tudo foi desaparecendo em visitas nocturnas dos vivos, com a cumplicidade dos mortos a manter os caseiros longe do lugar. "Ninguém vem aqui sozinho, foram tantas as vezes que ouvimos a mobília a ser arrastada, as pipas de vinho a rebentar na adega, o milho a ser ceifado... e no dia seguinte estava tudo na mesma."As filhas falam em luzes de procissão que se avistavam mais abaixo, sem romeiros nem andor."Os nossos antepassados presenciaram muita coisa", gerações e gerações de jornaleiros e caseiros da Juncosa unidos pelos laços familiares e pelo sobrenatural, "e nós também". O fio de luz empunhado pelo marido de Margarida Rosa apaga-se, a família desata uns gritos de aflição, arrepiam-se as peles. Só o caseiro se mantém num silêncio esquálido enquanto enrosca a lâmpada, nem uma palavra, logo ele que foi o único a ver o baron.

    É já depois de passar casas de banho com banheiras de quatro patas, a cama senhorial que mantém um ar nobre apesar das almofadas esventradas, o quarto que serve de dormitório a uma família de morcegos, o esqueleto do barco onde antes se passeava no lago, que os caseiros da Quinta da Juncosa mostram o seu tesouro. É o mapa que deu inteligibilidade a uma degradação que não entendem, a um passado que ninguém lhes explicou. O livro data de 1912, foi escrito aqui, na Âldêa de Rio de Moinhos sobre o Tâmega, e descreve o martírio da mulher do barão, amarrada ao cavalo e arrastada como numa caçada aos filhos do Islão. A acção da lenda situa-se no século XII, os remorsos assombram as vidas de hoje.


Fontes de informação:

Diário de Notícias
http://missixty2005.blogspot.com/


Sobre o local e a cache:


Tal como a cache na Quinta das Lages - GC24Q5T, esta cache leva-o a conhecer, outra das grandes Quintas que pertenciam ao Barão das Lages, na visita ao local poderão observar a casa imponente abandonada a degradar-se.

A cache  permite a troca de pequeninos objectos, levem algo para escrever.

Esperamos que gostem da visita e divirtam tanto quanto nós na sua colocação.

Por favor sejam discretos ao retirar pois alguém pode estar a observar, não divulguem pormenores ou fotos que possam revelar a sua localização e deixem a cache conforme a encontraram, para que tenha mais durabilidade.


Additional Hints (No hints available.)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.