Skip to Content

This cache has been archived.

jorgeorge: Custa-me arquivar caches, mas infelizmente esta tem mesmo que ser.

Cheguei à conclusão que apesar de muito frequentada por pescadores é uma zona perigosa, apercebi-me disso este fim de semana quando tentei deslocar-me à mesma para manutenção.

A maré cheia aliada às valas e baixios que há na zona tornaram o caminho perigoso e até impossível no dia que eu me desloquei a esta cache, sendo que havia valas com 3 metros de largura com uma profundidade de água considerável que não consegui atravessar. O que me leva a considerar como será a visita de alguém que não conheça a zona e se depare com as mesmas condições que eu, ou até mesmo no caso de levar crianças, muito perigoso.

Irei publicar uma cache na fábrica abandonada ali mesmo ao lado para compensar quem ainda não visitou esta cache e colocarei algumas fotos da praia para todos verem.

Obrigado pelas visitas de todos e Boas caches!

More
<

Praia dos Tesos - Alverca

A cache by jorgeorge Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 7/18/2010
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
2 out of 5

Size: Size: small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:






Entre Alverca e o Sobralinho existe a Praia das Maças que em tempo recebeu quem não tinha dinheiro para rumar ao Algarve. Excelente estratégia se tivermos em conta os tempos agrestes que se vivem, pena o estado de degradação...


Muitas são as histórias que eu ouvi acerca deste local onde na década de 50 e 60 as gentes de Alverca se juntavam no verão para apreciar as águas frescas do tejo, hoje em dia encontra-se ao abandono e apenas frequentado maioritariamente por pescadores que aqui vêm à procura da Corvina que no verão sobeo tejo à procura de comida.
Para chegar à cache vão ter de estacionar antes de uma passagem ferroviária não vigiada pelo que vos peço o maior CUIDADO A ATRAVESAR A LINHA, seguir sempre a regra do pare escute e olhe.
logo a seguir à linha vão atravessar a antiga fábrica da MACOL (Macedo&Coelho), uma fábrica de transformação de madeiras onde o meu Bisavô chegou a trabalhar.
Para os amantes de ruínas e indústria abandonada podem observar a chaminé em muito bom estado de conservação, e os restantes armazéns ainda com restos da matéria prima utilizada na fábrica, cuidado com buracos no chão que por vezes estão tapados com madeiras.
Por trás da fábrica vão poder ver os carris de transporte de mercadoria e o antigo cais onde uma antiga grua se mantém estoicamente em pé, é aqui neste cais que vão encontrar pescadores à procura da Corvina.
Seguindo pelo trilho indicado e com algumas acrobacias pelo meio vão chegar ao areal e a partir daí é por vossa conta :).

Boas caches e divirtam-se, levem a toalha se quiserem arriscar, mas não recomendo a água... :)


Parte da reportagem do Mirante Online:


As areias da praia das Maçãs não escondem os tons de negro que as tingem. À beira do Tejo, um dos locais de veraneio das populações do Sobralinho, António Silva Lopes, residente no Sobralinho, lembra como nas décadas de 50 e 60 chegou a ir com a esposa e a filha à praia. “Éramos quase todos pessoas conhecidas no local e passávamos lá o dia, em tempo de férias. As águas eram menos poluídas e conseguia-se tomar banho”.
areal
Em algumas zonas a areia é limpa o suficiente para se estender a toalha e apanhar sol

O caminho para a praia fazia-se pelos terrenos próximos às antigas instalações da fábrica Previdente. No local, o areal sofreu a erosão das águas e apresenta hoje uma inclinação “muito maior que em tempos, porque a água roubou areia à praia”. António Silva Lopes lembra que “chegou a armar barraca no areal e havia até quem vendesse tremoços no local”.
arvore raio
Esta árvore levou com um raio, aproveitem para a visitar e ficar a conhecer intimamente uma das forças mais destrutivas da natureza

Quitéria Meireles, antiga presidente da Junta de Freguesia do Sobralinho, também chegou a frequentar a praia das Maçãs. As idas à praia eram feitas em grandes grupos de amigos e conhecidos. “As meninas raramente iam, por convenção social, mas cheguei passar por lá com o meu pai, e algumas vezes com um primo”, relata. “A maresia era muito semelhante à que sente no Tejo, em Vila Franca de Xira”.
praia2

Pelo caminho, os habitantes aproveitavam para recolher alguma vegetação envolvente para os animais que criavam. A ida à praia, também conhecida como “praia dos Tesos” (pobres) era frequentada por operários e agricultores. “Nessa altura ninguém pensava em ir para o Algarve no Verão”, refere António Silva Lopes.
chamine

Fonte: O Mirante

Um obrigado ao José Ribeiro que me acompanhou na criação desta cache.

Additional Hints (Decrypt)

CG: nythéz n bhivh pnve?
RA: qvq fbzrbar urneq vg snyy?

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

38 Logged Visits

Found it 23     Write note 7     Archive 1     Temporarily Disable Listing 2     Enable Listing 1     Publish Listing 1     Needs Maintenance 1     Owner Maintenance 1     Post Reviewer Note 1     

View Logbook | View the Image Gallery of 28 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated:
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.