Skip to content

<

Igreja Nova do Tortosendo

A cache by Viajantes Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 08/30/2010
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:

Cache integrante da série Igrejas e Capelas do Tortosendo.

Esta cache, dedicada à Igreja Matriz do Tortosendo, faz parte da série Igrejas e Capelas do Tortosendo.

A série é formada por várias caches. Para fazer a última - Convento de Santo António - terão que encontrar os números escritos nas tampas/logbooks das restantes caches.

A descrição do Pe. José do Vale Carvalheira, no seu livro Tortosendo – Na História, na tradição e na lenda:

A Igreja Nova

É este o nome que, ainda hoje, algumas pessoas de idade dão à igreja Matriz do Tortosendo.

Já foi inaugurada duas vezes: A primeira em 1891, como se pode ler no arco da Capela-Mor e a segunda em 1950

Na segunda restauração, sendo então Pároco da freguesia o Revdº Pe. José Alves Ardérius, a Igreja foi beneficiada com lindos e magníficos azulejos nas paredes, que, num maravilhoso combinado de cor azul e branca, representam os principais passos da vida de Nossa Senhora.

Esta obra, executada pela fábrica de Faianças e Azulejos Sant’Ana, tornou a Igreja mais rica e atraente.

O templo é bastante espaçoso com mais de 30 metros de comprimento por 11 de largura e grande altura, tendo um coro, que comporta mais de 100 pessoas, assente sobre um tecto bem trabalhado e sustentado por quatro colunas, duas das quais têm uma parte à vista e outra introduzida na parede.

Talvez por terem sido iniciadas as obras após o terramoto de 1755, as paredes são de uma espessura tal que têm dentro de si a capela do baptistério, os confessionários, as escadas para o púlpito, o próprio altar das almas e ainda dois corredores ao lado da Capela-Mor que comunicam com a sacristia, atrás do altar.

A sacristia é de tamanho razoável e tem por cima um salão, onde se guardam paramentos e outros objectos cultuais e que ainda é usado para catequese e conferências.

Os altares e o púlpito são de estilo D. João V, ricamente adornados de bela talha dourada, assentando o púlpito numa pedra granítica bem trabalhada e dentro do estilo.

Tem seis janelas amplas, por onde entra mais que suficiente claridade, além da rosácea enquadrada num granito maravilhosamente cinzelado e que encima a porta principal, bem digna do primoroso templo, com largas ombreiras de granito onde assenta o lintel, que termina, de um e outro lado, com volutas ou aletas muito salientes e maravilhosas.

Sobre a arquinave levanta-se um frontão quebrado, que encaixa também entre volutas um nicho destinado à imagem da padroeira e que termina numa cruz de belo efeito. Exteriormente, nas extremidades do templo, podem admirar-se os pináculos que lhe emprestam muita graça.

No altar-mor há ainda a salientar o sacrário e o trono. Este, quando é ornamentado para as grandes cerimónias, como o Lausperene, oferece um aspecto de grande imponência e beleza. O sacrário, cofre forte, tem uma talha sobreposta mas bem adaptada e no estilo que, juntamente com uma imagem de Jesus, ladeada dos discípulos S. Pedro e S. João, o tornam encantador.

Já depois do Concílio Vaticano II, foram adquiridos um altar portátil, estante e tocheiros a condizerem com o estilo dos altares.

Na “Nova Igreja” de N.ª Senhora da Oliveira, de que estamos a falar, há também quatro altares fixos, além do principal “quotidiano e perpétuo”, dedicados a Cristo Crucificado (Almas), ao S.º Coração de Jesus, ao Imaculado Coração de Maria e a N.ª Senhora das Dores. Penso que só o das Almas teve sempre o mesmo título. Os outros, provavelmente a princípio de São Miguel, Santo Estevão e Santa Catarina, tomaram o nome de outras invocações, quando foram adquridas as respectivas imagens.

A imagem do S.º Coração de Jesus é do século XIX e deve ter sido adquirida há mais de cem anos, quando se fundou na freguesia o Apostolado da Oração. A do Coração de Maria, com a serpente aos pés e coroa na cabeça é simples mas bela e deve ter sido executada quando há 70 anos se fundou a Congregação das Filhas de Maria. A imagem de N.ª Senhora das Dores é indiscutivelmente a mais artística, mais rica e melhor.

Além destas, há ainda duas imagens mais pequenas – de N.ª Senhora de Fátima e São José – que se encontram na capela-mor em mísulas de pedra e se destinam a ser transportadas em procissões e a do Orago, N.ª Senhora da Oliveira, que ocupa o lugar próprio.

Em 23-3-1978 foi adquirido e colocado ao lado do altar portátil um lindo crucifixo, com mais de 1 metro, cuja cruz assenta sobre um tronco de oliveira e o torna patente a todos os olhares. Deve-se esta aquisição principalmente ao Sr. Ângelo Craveiro de Sousa, embora o Povo tenha contribuído com as suas ofertas.

Finalmente em Julho de 1982 foi a igreja enriquecida com uma bancada em madeira de mogno.

Era de crer que esta igreja possuísse objectos culturais de grande valor, que terão desaparecido durante as Invasões Francesas. A acta do Livro das Almas, a que já fizemos referência, só indica como os trastes” que pertenciam à mesma Irmandade.

Há, no entanto, alguns valores que queremos mencionar: Um cálice de prata dourada e trabalhada, talvez do século passado, quatro castiçais de chumbo e respectivo crucifixo de banqueta, muito vistosos pelo trabalho neles executado, que devem ter escapado à pilhagem revolucionária e a cadeira paroquial.

O querido amigo Filipe Craveiro ofereceu, em cumprimento de um voto, por Deus lhe ter concedido a graça de um filho muito desejado, uma custódia de prata de 4 kg de peso, em que dois anjos seguram a lúnula no meio de um grande círculo onde se podem ler estas palavras: “Ecce Panis Angelorum”.

Em 27 de Outubro de 1981 foi montada na igreja uma magnífica aparelhagem sonora e ao mesmo tempo, na torre sineira, o relógio que antecede as horas com a música do Avé de Fátima.

Foi surpresa que o Pároco quis fazer à freguesia que depois contribuiu generosamente para o pagar.


A cache

Esta é uma multi-cache.

Para a encontrar há que ir até à Igreja e procurar o número de janelas iguais à da imagem, que estão nas laterais da Igreja.

O número de janelas é A.

A coordenada final da cache é:

N 40º 14,235 O 007º 31,6A1

O contentor é uma caixa de tamanho pequeno, contendo inicialmente um lápis, uma afia e um boneco, e que pode albergar pequenos itens, inclusive alguns TB e mini Geocoins.

Não esquecer de anotar a informação constante na tampa/logbook, que servirá para encontrar a cache final da série.


Igrejas e Capelas do Tortosendo

Pode verificar a solução deste puzzle no Geochecker.com.

Additional Hints (Decrypt)

Aãb é arprffáevb zrkre rz zhebf arz rz cynagnf.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.