Skip to content

This cache has been archived.

4Team: Andamos aqui por prazer, não é para nos chatear-mos…

No nosso team sempre dissemos que as caches que eventualmente por nós fossem colocadas teriam como “tempo de vida útil” o dia que uma delas desse problemas pela primeira vez.
Pelo que temos observado anda “alguém” por terras Scalabitanas que não tem mais nada para fazer do que vandalizar caches… portanto esse dia chegou.

Geocaching é apenas um passatempo, não é “pão para a boca” por isso… é sem problema algum que encerramos este ciclo!

É certo que podíamos insistir, mudar coordenadas, formatos, dificuldade, terreno, deixar passar um tempo, ou até mesmo dar um “aperto” a quem anda a fazer isto… mas optamos pelo desprezo.
Quem anda a vandalizar caches em Santarém não passa de um pobre de espirito desprovido de atenção, e para ter essa atenção “temos pena” mas connosco não conta!

A todos os Geocachers que até hoje visitaram as nossas caches, deixamos uma vez mais o nosso obrigado pelas visitas e pelos sempre tão simpáticos logs.
Continuação de muitas e boas cachadas.

4Team.

More
<

CASA-MUSEU BRAAMCAMP FREIRE

A cache by 4Team Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 12/10/2010
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


CASA-MUSEU
BRAAMCAMP FREIRE


- Biblioteca Municipal de Santarém -








A história desta casa nas mãos da família Braamcamp Freire começou no século XVIII, aquando da aquisição, por parte de Manuel Nunes Gaspar, capitão-mor de Santarém e avô de Anselmo Braamcamp Freire, de algumas casas e terrenos na antiga rua da Amargura (actual Rua Braamcamp Freire), incluindo este palácio. Manuel Gaspar comprou essas casas no ano de 1799, a Diogo Pedro da Silva Torres vigário e cónego de Santa Iria, Ribeira de Santarém.

Apenas no ano de 1869, e após ter sofrido obras de restauro sete anos antes, o palácio passa para as mãos de Anselmo Braamcamp Freire quando este o comprou, juntamente com o pequeno largo em frente à casa, um palheiro, casas baixas e o quintal pegado ao edifício, ao seu irmão Manuel Nunes Braamcamp Freire. Em Dezembro desse ano, o seu filho Manuel Maria Braamcamp nasceu no velho palacete. Quando Anselmo se instalou em Lisboa, arrendou o palácio ao padre João Rodrigues Ribeiro, em 1887. Este estabeleceu no local uma escola que se manteve em actividade durante cerca de vinte anos.





Em 1918, a casa que se encontrava devoluta é novamente arrendada, mas desta vez à prima de Braamcamp, D. Luísa de Vadre Santa-Marta para que instalasse no local um acolhimento para jovens órfãs da pneumónica. A futura Madre Andaluz e a sua instituição permaneceram no local até 1921, ano em que o dono da casa faleceu e a legou à cidade de Santarém juntamente com a sua biblioteca, colecção de arte e algum mobiliário.

A sua esposa, D. Luísa Joana Braamcamp, passou a levar a cabo grande parte das exigências do seu falecido marido, claramente expressas no testamento, sendo a Biblioteca Braamcamp Freire inaugurada em 1926. No mesmo edifício passou a funcionar também a Biblioteca Camões, propriedade do município e que foi inaugurada a 13 de Junho de 1880. No final da década de 50, os fundos das duas bibliotecas foram fechados e criou-se a Biblioteca Municipal de Santarém.

Actualmente, nesta casa, funciona a Biblioteca Municipal de Santarém e está igualmente aberto ao público o espaço da Casa-Museu Anselmo Braamcamp Freire, tratando-se de espaços fisicamente distintos.



Fonte: culturaonline.pt - Câmara Municipal de Santarém.


Pelo sim, pelo não...: NÂO ESTÁ NA CALÇADA!

Levem material de escrita.
Obrigado pela visita, divirtam-se e boas caçadas.

Por favor não coloquem fotos do container nem do local da cache.



Translation








Additional Hints (Decrypt)

Rh crfpnqbe qr pnan r qr pnargn
dhr ohfpb b crvkr b irefb b aúzreb erirynqbe
r gnagnf irmrf fbh b úygvzb ab cynargn
qr cé n crethagne. Rh crfpnqbe.

-

Rkpregb qb Cbrzn qb Crfpnqbe
Va "Frauben qnf Grzcrfgnqrf" qr Znahry Nyrter.

-
[ENG]

V svfurezna jvgu pnar be cra
V ybbx sbe gur svfu irefr erirnyvat gur ahzore
naq bsgra V nz gur ynfg ba gur cynarg
fgnaqvat gb nfx. V svfurezna.

-

Rkprecg sebz gur cbrz bs gur Svfurezna
Va "Ynql bs Fgbezf "ol Znahry Nyrter.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.