Skip to Content

<

O amor é lindo

A cache by Napoleão Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 02/11/2011
Difficulty:
3 out of 5
Terrain:
3 out of 5

Size: Size: regular (regular)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


O amor é lindo!

















Atenção, a cache não se encontra nas coordenadas fornecidas.Para a encontrar,devem iniciar o percurso nas coordenadas fornecidas e seguir as indicações descritas nos seguintes versos:




A rua do solar devem descer,


Á esquerda um largo vão encontrar,


Entrem em frente ao lagar,


Á esquerda as escadas devem subir,


Um carreiro irão encontrar,


Por entre a poça e árvore vão passar


Depois de o muro ultrapassar,


Á esquerda junto ao muro devem virar,


Ao subir, uma árvore caída vão encontrar.


Na seu tronco, por cogumelos procurar


E certamente a cache vão encontrar.




Atenção:



O solar encontra-se fechado,


É particular, não devem entrar!


O percurso da cache, esse está autorizado


Só por aí é que devem circular




O que a história não contou…




Lá no tempo das invasões,


O Imperador acompanhava as missões


No entanto, ao passar por Lafões


Começaram as suas indecisões



Umas belas termas encontrou,


Exausto, por ali repousou


Grandiosos banhos tomou


E suas forças recuperou




Durante esses banhos relaxantes


Uma bela donzela ali apareceu,


Logo seu coração estremeceu


Esquecendo as invasões por instantes




Aquela donzela tanto o marcou,


Que novos generais nomeou,


As invasões logo abandonou,


Pois seu coração assim o ditou




Nas Termas se declarou


Mas a donzela o negou


Pois já era comprometida.


Por um Conde fora escolhida




Destroçado, nem queria acreditar.


Uma oportunidade, ela teria de lhe dar.


Esta era uma batalha que teria de ganhar.


Mas como ele a iria encontrar?




A donzela, essa vivia infeliz


Pois ao Conde, ela nunca quis


Então, seu coração ali abriu


E um recado logo dele saiu.




“ Para comigo se encontrar,


Oliveira de Frades vai passar.


O Conde, vive num solar,


É aí que eu o irei esperar




Na próxima noite de luar,


Com o Conde vou jantar,


E com ele me deitarei


Mas, á sua espera estarei.




Assim que ele adormecer,


Um sinal irá ver,


Uma vela vou acender


E comigo virá ter




Para a nossa escapadela,


Espere-me na capela,


Que eu saio pela janela


Para não acordar a cadela”




Chegou a desejada noite de luar


Finalmente juntos e sós iriam ficar.


No belo cavalo branco, o Imperador montou.


Galopando, logo o tal solar encontrou.




Junto á mina, o cavalo deixou,


Ansiosamente pelo sinal esperou.


Era tarde e alta já ia a lua.


Silêncio, nem uma alma na rua




De repente, se acendeu uma vela.


Ela, logo apareceu á janela.


Ele, rapidamente entrou na capela


E suspirou:”Ai, minha donzela…”




Enquanto o Conde dormia,


O amor, ali fortalecia,


Na capela, dois corpos unidos


Como no Império dos Sentidos




Juntos, não se queriam afastar,


Esqueceram-se do tempo a passar.


Na capela, só eles e os santos do altar


Mas mais alguém ali iria chegar…




Por terras de Viriato, vive um capelão


Por igrejas e capelas tem grande paixão.


Logo de manhã cedinho, faz a sua oração


È o primeiro a chegar com o terço na mão.




Mais uma capela iria visitar


Hoje, seria a capela do solar


Querendo ser o primeiro a chegar


Cedinho teve de se levantar




Ainda era noite quando lá chegou


Naquela capela o livro ia inaugurar


Mas,”Oh diabo”, logo ali pasmou


Havia dois santos caídos do altar




Aproximou-se calmamente para os levantar


Mas logo viu que não fora o primeiro a chegar.


O Imperador que não dormiu, logo reconheceu


Mas ao ver a donzela, até estremeceu…




A correr, logo dali saiu


Para ao Conde, tudo ir contar.


A donzela, essa mal se vestiu.


O Imperador, seu cavalo foi buscar




Quando o Conde acordou,


Já longe iam os apaixonados


No cavalo branco montados


Mas para trás algo ficou…




Uma caixinha que do bolso caiu,


Uma ferradura que do cavalo saiu,


Mas aos dois, esses mais ninguém viu


Nem o Conde nunca mais dormiu




Tão desesperado o Conde ficou


Que numa arvore se enforcou


O capelão, esse coitado, desertou


E assim a história acabou…



Qualquer comparação com a realidade é mera coincidência.


Produções Napolitanas


A cache contem uma ferradura, uma caixa com um carimbo, almofada de tinta, marcador, brinquedos e um t.b.

Lembrem-se que a vegetação não tem pés para andar e as pedras são marcos do tempo.
Protejam a natureza!






Sejam discretos, se possível façam o CITO.
Divirtam-se, tirem fotos e publiquem.

BY


Enjoy

Additional Hints (Decrypt)

An neiber pníqn, fvz n qb rasbepnqb!

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

156 Logged Visits

Found it 148     Didn't find it 2     Write note 4     Publish Listing 1     Needs Maintenance 1     

View Logbook | View the Image Gallery of 43 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated:
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.