Skip to Content

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.

This cache has been archived.

jsousa40: Fica livre para quem quiser .

Cheguei ao fim da minha era ............ Até nunca mais...........................................

Inté lá vista!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

More

Traditional Geocache

Igreja Matriz de Cavernães

A cache by jsousa40 Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 3/23/2011
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size: small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:



O projecto GeoCapelas é um projecto que tem como objectivo dar a conhecer as capelas e igrejas do nosso concelho, que depois de concluído será devidamente numerado, sendo a numeração actual considerada provisória.



IGREJA MATRIZ DE CAVERNÃES





É um facto que não podemos deixar passar em branco, que é a história escondida de Cavernães.

Actualmente apenas expressa numa igreja dedicada a Santo Isidoro, a Igreja paroquial de Cavernães, tal como hoje a conhecemos, resulta de uma campanha de renovação, ocorrida no decorrer do século XVIII e que, muito possivelmente, foi responsável pela ampliação do templo primitivo, quinhentista, do qual se conservam alguns elementos. Entre estes, ganham especial importância as duas pinturas integradas no retábulo setecentista, representando São Vicente e Santo António, executadas cerca de 1550 pelo pintor vienense António Vaz, discípulo de Vasco Fernandes.

De especial destaque, é o interior do templo que contrasta vivamente com a depuração da arquitectura exterior. A nave é coberta por um tecto de caixotões, com molduras pintadas a imitar marmoreados, e representações de santos prolongando-se pelo coro alto, embora as duas últimas fiadas sejam de fabrico recente, correspondendo a uma ampliação do espaço. Para acentuar ainda mais a importância artística deste edifício deve ter-se em consideração, um tríptico setecentista alusivo ao Calvário, com a representação de Nossa Senhora, de Jesus Crucificado e de São João. Na capela-mor, o tecto seccionado por 28 caixotões, segue um modelo semelhante ao da nave, com representações de santos, mas apresentando um esquema iconográfico onde surge, no centro da composição, Santo Isidoro, orago do templo, figurando, nos extremos, os quatro Evangelistas. Se em termos arquitectónicos a igreja se pauta por uma grande depuração, pouco havendo a assinalar, a sua importância é manifesta ao nível do património integrado ou imóvel por destino que se encontra no seu interior, onde se destacam as pinturas quinhentistas.

E para além desta bela igreja surgem umas quantas capelas que são a expressão da devoção e religiosidade que predomina pela nossa cidade. Mas o que realmente interessa e pode parecer surpreendente, e após uma longa investigação dos nossos enviados especiais, é o recuar no tempo e não são dois ou três séculos são cerca de 1800 anos. A presença romana na nossa cidade foi uma realidade bem vincada e para isso foi-nos legado uma Ara consagrada a uma divindade Lusitana por um indivíduo possivelmente indígena, mas já romanizado; o que prova a persistência dos cultos locais através da romanização da Lusitânia. Entenda-se por uma Ara um pequeno altar dedicado por um indivíduo como diz a inscrição: “Lallius Severus dedicou de boa vontade esta pedra a Lurunio” a uma determinada divindade.

No entanto perde-se no tempo a memória de tal divindade; que teve os seus adoradores e o seu pequeno templo, à beira ou próximo da via romana que desta cidade partia para Trancoso, passando por Cavernães. Daí hoje se possa perceber o porque da religiosidade presente na nossa cidade. A partir daqui, Cavernães foi acompanhando o evoluir do tempo e chegada a Idade Média há ainda registos do ano de 1298 de terrenos no termo de Cavernães (exactamente como se escreve hoje) que pertenciam ao bispo da Guarda. Resta-nos, a dúvida da toponímia da nossa bela aldeia deixando em aberto para futuras investigações…

Texto Publicado em www.por3st3mundo.blogspot.com

A cache:

Contém um loogbook com lápis, mas devido ao seu tamanho reduzido não permite qualquer tipo de troca. Não coloquem fotos da cache para manter o elemento surpresa.




Como se trata de uma cache tipicamente urbana, sejam discretos.

Levem com que escrever e não hesitem em deixar fotos e contar as vossas aventuras!!!

Boas Cachadas!!!

Mais uma cache By:






Additional Hints (Decrypt)

Ngeáf qn oenapn.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

186 Logged Visits

Found it 166     Didn't find it 6     Write note 1     Archive 2     Unarchive 1     Temporarily Disable Listing 1     Enable Listing 2     Publish Listing 1     Needs Maintenance 3     Owner Maintenance 2     Update Coordinates 1     

View Logbook | View the Image Gallery of 8 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated: on 11/15/2017 3:17:46 PM (UTC-08:00) Pacific Time (US & Canada) (11:17 PM GMT)
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page