Skip to content

Boca dos Namorados Traditional Geocache

This cache has been archived.

laurasousa: :(

More
Hidden : 03/08/2011
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
2 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Related Web Page

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


BOCA DOS NAMORADOS



A Boca dos Namorados, constitui juntamente com a Boca da Corrida, a Quinta do Jardim da Serra, o Pico da Torre e o Cabo Girão uma das mais importantes referências turísticas do concelho de Câmara de Lobos, isto naturalmente sem contar com a Eira do Serrado que apesar de não fazer parte do concelho deve a sua importância à soberba paisagem da freguesia do Curral das Freiras, que a partir dele se desfruta.

Até 5 de Julho de 1996, pertenceu a Boca dos Namorados ao Estreito de Câmara de Lobos, passando a partir dessa data com a criação da freguesia do Jardim da Serra a fazer parte desta nova freguesia, tal como de resto aconteceu com toda a zona alta do Estreito, onde se concentravam todas as suas potencialidades turísticas: Boca dos Namorados; Boca da Corrida e Quinta do Jardim da Serra.



A origem do nome


Ainda que a origem da sua denominação seja desconhecida, pelo menos nunca a encontramos referida de forma fundamentada, o poeta câmara-lobense Joaquim Pestana através de um dos seus escritos datados de 1879 e recordados por Nelson Veríssimo na revista Girão, para além de descrever o local dá-nos uma explicação curiosa a propósito do seu nome.
Segundo Joaquim Pestana a origem do epíteto Namorados é de poucos conhecida. Diz a tradição que para ali viera um sujeito, por nome Pêro, que se enamorara duma linda menina chamada Ignez. Como Pêro não lhe pudesse falar a cada momento, em razão de viver separada por aquele abismo, fazia, qual outro Leandro, acordar aqueles vales com o doce nome de - Ignez! que sempre lhe era correspondido com o nome de - Pêro!
Acreditando-se ou não nesta explicação para a origem no nome baseada, segundo diz o poeta na tradição, a verdade ela é a única conhecida e, se não foi o namoro entre Pêro e Inês certamente que na sua base terá estado um sentimento idêntico que, de resto, se adapta perfeitamente ao local.



As panorâmicas desfrutadas



Desde a Boca dos Namorados podemos contemplar não só o Curral das Freiras visto pela sua parte sul, como também a baixa funchalense.
Ao descrever a Boca dos Namorados Joaquim Pestana diz que dali é admirável contemplar a nossos pés, como humilhado perante aquelas maravilhas da natureza, numa profundidade de 800 a 1:000 metros, o chão do Curral das Freiras, esmaltado de pequenas casas, cobertas, na maior parte, de palha de centeio, ou colmo, como por aqui lhe chamam.
Dizia ainda, em 1879 Joaquim Pestana que se subirmos ao grande monte que domina a Boca dos Namorados, teremos uma vista não menos majestosa e surpreendente. Para sul, a distância talvez de 15 km descortina-se visivelmente a encantadora cidade do Funchal, embelezada pelo seu amplo porto[...]. Desta soberba eminência, a que dão o nome de Pico dos Bodes, mais aprazível se torna a imponente vista do Curral das Freiras. É impossível descrever-se a comoção que nos causa aquela ingente profundidade, e também dali é curioso ouvir a detonação dos morteiros disparados [por ocasião das festividades religiosas] no Chão do Curral. O som que nos parece de uma peça de grande calibre, repete-se pelo eco cinco, seis e mais vezes.



A importância turística da Boca dos Namorados



Ainda que hoje completamente relegado ao abandono, a Boca dos Namorados viveu anos áureos e chegou a constituir mesmo um ponto de visita obrigatória de estrangeiros. Desse facto aliás nos dá imensas vezes conta a imprensa da época. Com efeito, em 1929, o Diário da Madeira na sua edição de 7 de Março referia que quase todos os dias chegavam ao Estreito turistas que iam admirar as cordilheiras das mais altas e grandiosas montanhas, seguindo e voltando de rede da igreja para cima.
Em 1934 o correspondente do Diário da Madeira, na sua edição de 1 de Abril volta a dizer que quase todos os dias chegam a esta localidade muitos turistas estrangeiros, ávidos para gozarem a vista das panorâmicas que oferecem os cumes das nossas serras, sem dúvida das mais grandiosas da nossa ilha.
Vêm do Funchal em automóveis até à Igreja, seguindo daqui em redes, a maior parte, e outros vão a pé calcorreando íngremes e estreitas ladeiras, lançadas há séculos a ermos sem conta nem medida, encontrando-se ainda na primitiva.
Na volta, estafados não se cansam de enaltecer as belezas naturais, que, no seu dizer, não existem no mundo.



A festa de Nossa Senhora do Livramento


Para além do seu interesse turístico, há ainda um aspecto curioso, uma tradição que hoje se perdeu, mas que outrora era da maior importância e que se fosse, na sua essência reactivada e adaptada à realidade actual, poderia ajudar a promover a localidade e obrigar a que outros projectos mais ambiciosos fossem implementados.
Com efeito, situando-se a Boca dos Namorados no caminho pedestre de acesso entre a, na altura, freguesia do Estreito e o Curral das Freiras, o único que ainda hoje faz comunicar a sede do concelho com esta freguesia, sem necessidade de passar pelo Funchal é natural que constituísse um ponto de paragem quase que obrigatória. Este facto associado ao grande número de romeiros que afluíam ao Curral à Festa de Nossa Senhora do Livramento fazia com que na segunda-feira, após a festa , por ocasião do seu regresso, ali se propiciasse a criação de um espaço de comércio e diversão, não só destinado aos romeiros provenientes do Curral das Freiras e de regresso a suas casas, como para outras pessoas que propositadamente aí se deslocavam para os ver chegar.
Joaquim Pestana no texto de 1879 que temos vindo a citar, refere a este propósito que nesse dia assentam umas [...] barracas, improvisadas com pinheiros e louro, onde os romeiros que vêm do Curral, da festa do Livramento, saciam os seus vazios estômagos. Noutros lugares, ainda não invadidos, colocam barracas ambulantes, menos dispendiosas, que contêm unicamente um barril de vinho, de inferior qualidade, tendo por companheiros uns inseparáveis copos de vidro. No meio daquelas, podemos dizer, extravagantes barracas, e como matizando aquele enamorado sitio, vê-se uma infinidade de cestos de fruta, com especialidade tabaibos, ameixas e pêras [...]. Não é menos interessante contemplar os vários grupos de camponeses com seus fatos domingueiros, munidos da clássica viola de arame e cavaquinho, a trovarem ao desafio, consistindo o prémio daquelas lutas, muitas vezes saudadas pelos ouvintes, em um copo de vinho de superior qualidade.
Para além das barracas de venda de bebidas, também havia as que vendiam carne para espetada.
Em 1935, o Diário da Madeira, na sua edição de 23 de Agosto refere-se a esta mesma tradição ao afirmar que afim de assistirem ao regresso dos romeiros, muitas pessoas do Estreito de Câmara de Lobos e freguesias limítrofes se deslocam à Boca dos Namorados e Boca da Corrida. Com o mesmo fim também acorrem muitas pessoas aos sítios de Vasco Gil e Estrela, na freguesia de Santo António.
A tradição de ir à Boca dos Namorados esperar os romeiros provenientes da festa de Nossa Senhora do Livramento perdurou até há relativamente poucos anos, tendo o seu fim coincidido com o acesso automóvel ao Curral das Freiras.






Cache:

1- Estaciona e usufrui da linda paisagem para o Curral das Freiras no miradouro da Boca dos Namorados (1040m).

2 - Segue a antiga vereda que liga o miradouro ao Curral das Freiras.

3 - Segue a coordenada final e observa o spoiler.

4 - Depois do log feito, caso esteja bom tempo e queiras tirar partido de uma vista de 360º sobre o Curral das Freiras, Funchal e Câmara de Lobos podes subir 100m até ao Pico dos Bodes. Para isso tens de voltar ao estacionamento e subir, atravessar a cerca (32º41,793 / 16º58,852), continuar a subir e encontrarás o Pico dos Bodes (32º41,838 / 16º58,885)

  
  


Tradução:




FTF ...
STF ...
TTF ...


free counters

Additional Hints (Decrypt)

Vafvqr n yvggyr ybt pbirerq ol n ebpx.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)