Skip to content

Sra da Saúde - Monte Fralães Traditional Cache

This cache has been archived.

ramiles: Fim! Obrigado ás pessoas que conheci aqui e que me proporcionaram bons momentos! Sejam felizes!

More
Hidden : 07/05/2011
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Monte de Fralães

O Solar dos Correias

O Solar de Fralães foi o Solar dos Correias desde o séc. XII até ao séc. XVII. A partir de então a família parece ter preferido uma residência em Delães, mais próxima do Porto e certamente com melhores acessos que esta gótica casa. Na segunda metade do séc. XIX, o solar foi restaurado e talvez habitado com regularidade. Em princípios do séc. XX, foi vendido a um capitalista portuense, que por sua vez o vendeu mais adiante à família que hoje ainda o possui.
Neste solar tinha a sua sede o Concelho de Fralães, como antes a sua «progenitora», a Honra de Fralães. Era na sua sala grande que se fazia a eleição das «justiças» – das câmaras – sob supervisão do donatário; a mesma sala há-de ter servido para as reuniões camarárias e para tribunal. O terreiro era a Praça do Concelho.
O edifício não tem a imponência doutros solares. Mas a Torre Senhorial (que vem sem dúvida do séc. XV), um conjunto de portas góticas e ainda uma outra, também antiga, sob a Sala de Audiências, impõem reverência a quem o visita.
No séc. XVI, foi cantado assim:
Farelães é o solar
Que aos Correias deu o ser
E D. Paio veio a ter
O qual fez o Sol parar
Para os Mouros vencer.
Cerca de 1700 o Pe. Carvalho da Costa escreveu sobre ele:
Têm estes senhores (os Correias) aqui a maior Casa das antigas de quantas vi em Portugal, & Galiza, com Torres, grandes falas, muitas fontes curiosas, jardins, & hortas, dilatados pomares de toda a fruta ordinária, & de espinho, & uma grande mata de Carvalhos, & Castanheiros, cousa magnifica.
Camilo Castelo Branco menciona os Senhores de Fralães e o seu solar em O Senhor do Paço de Ninães e na Sereia.
Babosa Campos também escreveu sobre Fralães um soneto que tem, além do mérito poético, algum valor de documento histórico, por testemunhar um momento de degradação do edifício:
Fralães, matrona que possuiu nobreza,
Todo em ruínas, seu solar deplora,
Narrando ainda a prístina grandeza,
Poder e fausto que ela teve outrora.
De quantos bens e honras foi senhora,
E hoje vive esquecida... e na pobreza!
Pelas humildes vestes de pastora,
Trocou as galas ricas de princesa!
Mas assentada, no alto, em seus penedos,
Contempla ainda, como antigamente,
Montes, planícies, rios e arvoredos...
A mão dos tempos que pesou sobre ela
Tudo que tinha lhe roubou... Somente
A deixou sempre assim graciosa e bela.
José Ferreira

A Confraria de Nossa Senhora da Saúde

"Criada cerca de 1610, o documento mais antigo que atesta a existência da Confraria de Nossa Senhora da Saúde é o actual cruzeiro paroquial, que remonta a 1626. Em meados do século XVIII, a irmandade recebeu um avultado legado que lhe permitiu aumentar a capela – actual igreja paroquial – e colocar o belíssimo retábulo rococó do altar-mor. Tendo atravessado um período difícil nos anos finais daquele século, que se prolongou pelas primeiras décadas do seguinte, recuperou depois, sendo muito florescente entre, aproximadamente, 1860 e 1940.
À sombra desta devoção secular, organiza-se actualmente uma peregrinação anual das freguesias das vizinhanças ao santuário mariano de Nossa Senhora da Saúde.
Como interessante curiosidade, a contabilidade da irmandade regista a visita duma personagem régia não identificada, em 1853.
Cerca de 1900, Barbosa Campos cantou a Senhora da Saúde neste soneto:
Senhora da Saúde, flor mimosa
Na vertente da serra, entre os abrolhos:
A tua branca ermida prende os olhos,
Os corações tu prendes, Mãe formosa!
Lá em cima és estrela radiosa,
És nossa guia neste mar de escolhas,
E ouves as queixas que almas sem refolhos
Vão contar à tua alma carinhosa.
Salva-te a cotovia do alto monte,
Seus gorjeios te envia o rouxinol,
Louvores reza-te a vizinha fonte...
Das nuvens da manhã sobre o lençol,
Beija-te o sol surgindo no horizonte
E tu brilhas mais linda do que o sol"

Texto extraido de http://www.montefralaes.maisbarcelos.pt/?vpath=/inicio/historia/

Leiam o texto integral no endereço acima. Verificarão que Monte de Fralães é uma localidade carregada de história pelo que por certo valerá a pena conhecer este local.
Actualmente a casa é utilizada em algumas actividades musicais, aproveitem.

A Cache contém as coisas do costume.

Additional Hints (Decrypt)

Baqr b ireqr srphaqn b qheb tenavgb

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)