Skip to content

This cache has been archived.

The_Dukes: 34 favoritos numa cache com 1 ano e 3 meses são claros, esta cache era bastante querida pelos geocacher, era-o também para nós owners, que agora somos forçados a arquivá-la! Foi com alguma tristeza que fomos efectuando manutenções, ora por azelhice de geocachers, ora por pura maldade. Fomos lá sempre a pensar que seria desta que ela ficava de vez em condições, sem pensar sequer nos gastos de manutenção (gasóleo, aloquetes, material para containers intermédios), mas hoje foi o culminar de indignação que resultou neste log. Os guiões tinham sido roubados, bem como o ponto intermédio do passado e a cache final. Apenas aproveitamos 2 containers intermédios.

Nem sempre damos tudo por tudo para uma cache, mas esta foi fruto de muito debate, de muita imaginação para imaginar três histórias com as quais o geocacher se identificasse, e pudesse ficar ao livre arbítrio dele escolher ser o revolucionário Torsten, o inteligente Dr. Albert ou ainda o apaixonado Erik. Eram 3 caches numa só, três realidades que se cruzavam na cave daquela fábrica, 3 histórias e muitas, muitas horas de preparação e concepção da cache!

Obrigado a todos os que lá foram e partilharam logs que nos encheram de orgulho, obrigado a quem ajudou na colocação e sobretudo obrigado às bestas quadradas que fizeram o lindo serviço de ir partindo os containers sempre que não tinham nada para fazer!

alicubi, aliquid incredibile dilatio est sciendum!

donec in aeternum,

The_Dukes

More
<

Realitatum Infinitis

A cache by The_Dukes Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 09/03/2011
Difficulty:
4 out of 5
Terrain:
3.5 out of 5

Size: Size:   large (large)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Related Web Page

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


PhotobucketPhotobucketPhotobucket

Ano DCCLXXXVIII , reinado do reis dos Vikings, Bothvar.

O rei Bothvar ficou conhecido como o mais benevolente de todos. Iniciou programas anti pobreza e de distribuição de alimentação em todo o seu reino. Cobrava moedas de ouro aos cidadãos mais ricos para depois os distribuir pelas classes mais desfavorecidas. Bothvar era imperialista como todos os Vikings, mas a sua ousadia de distribuir a riqueza começou a levantar desconfiança de vários membros da sua corte. O maior revoltoso contra Bothvar era Torsten, o comandante supremo das tropas do reino. Há muito que Torsten queria reinar, mas Bothvar, bastante popular entre o povo sempre se manteve o rei invicto.

Numa guerra anterior travada nas terras geladas do norte, Torsten mandou chacinar todos os habitantes das aldeias conquistadas, menos a congregação de druidas, que mandou prender e enviar para a capital do reino. Era de conhecimento popular que os druidas eram humanos com poderes sobrenaturais. Muitos eram conhecidos por caminhantes, pois conseguiam atravessar portais.

Um certo dia, quando Torsten caminhava pelo templo furioso por Bothvar não acatar as suas sugestões de parar o programa de distribuição de riqueza, lembrou-se de ir falar com os druidas que tinha presos na cave.

- Meus senhores, é verdade que vocês conseguem atravessar portais?

- Torsten, seu cobarde, desamarra-nos que nós tratamos-te da saúde…

Torsten caminhou para um dos druidas, olhou-o de soslaio, pegou no seu machado e fê-lo embater violentamente na têmpora do druida. Um sob abafado soltou-se da boca do pobre mago que caiu morto no chão húmido.

- Eu repito, é verdade que conseguem atravessar portais?

- Sim, é, mas nunca te diríamos como. Podes nos matar a todos.

Torsten atirou uma saca ao chão. Milhares de moedas de ouro saltaram de dentro dela. Dirigiu-se depois a todos os druidas e soltou-lhes as amarras.

- Se me disserem como lá chego e se a minha missão é passível de sucesso podem levar essas moedas e são livres. Se me mentirem, enforcar-vos ei e deixarei as vossas cabeças em estacas à porta deste templo.

- Qual é a missão?

- Desejo passar esse portal para outra realidade e trazer uma pessoa.

- É possível, mas na outra realidade, a mesma pessoa pode ser alguém completamente diferente. Torsten, você pode ser um mendigo, e eu posso ser carapinteiro.

- Onde é esse portal?

- A norte de Al-Ushbuna. Eu acompanhá-lo-ei se deixar estes meus irmãos em liberdade.

- Assim será!

 

Os druidas olham incrédulos para eles e recolheram todas as moedas do chão e fugiram.

Torsten e o druida partiram por mar até Al-Ushbuna. Quando chegaram, o druida perguntou:

- Quem quer ir buscar à outra realidade.

- Quero ir buscar o rei Bothvar, seja ele quem for, trazê-lo para o nosso reino e substituir um pelo outro. Assim, o povo não se revoltará e serei eu a liderar os destinos do nosso reino.

 

Ano 2011. As potências mundiais tentam esconder algo que é evidente para a comunidade científica! Em 2010, um terço da população mundial morreu devido a uma bactéria multirresistente e transmissível por via aérea. Albert Cameron, um geneticista de Harvard que estudou essa bactéria é levado sob escolta até uma base militar em Sydney, na Austrália, o país que melhor resistiu à pandemia por causa do seu isolamento.

Dentro do complexo militar, Albert é conduzido à sala de conferências. Depois de alguns momentos de espera, entram três indivíduos que rapidamente se apresentaram:

- O meu nome é Peter Camus, Presidente do Canadá, estou aqui em representação do continente Americano e Europeu.

- Eu sou John Lynch, primeiro ministro Sul Africano, estou em representação do continente Africano.

- E eu sou David Carpenter, o primeiro ministro Australiano, e como é óbvio represento o continente Australiano.

- Sim, e quem é que vai representar o continente Asiático?

- Ninguém, eles não sobrevivem até à sua chegada, Albert.

- Minha chegada? De onde?

- Antes disso, o que é que nos pode dizer acerca da bactéria?

- Bem, presumo que isto tudo seja confidencial, por isso vou contar alguns segredos da minha investigação. Bem, é uma bactéria intrigante. Não pode ser definida como gram negativa, nem Gram positiva. O DNA ribossómico é completamente díspar em relação a todas as bactérias que vi até hoje, nem sei em que reino a colocaria para lhe dizer a verdade. Se não soubesse que era impossível diria que, ou vinha de um lugar inacessível do nosso planeta, ou então de uma outra realidade. Imaginem, a estrutura das adeninas e timinas são diferentes das nossas. Encontrei proteínas que lhe permitem ser aeróbia e anaeróbia, dependendo do ambiente em que está. E mais, o RNA…

- Chega doutor! Já sabemos que é uma bactéria diferente das que viu até hoje. O que nos interessa saber é quanto tempo vai demorar até uma cura?

- Anos, se não forem décadas. A dupla cadeia de DNA, consegue sempre regenerar-se, mesmo depois de lhe injectarmos polimerases não específicas, e…

- Está familiarizado com o projecto Paradoxos Paralelos?

- Não…

- A sua suposição da origem da bactéria não está errada. Essa bactéria vem de uma outra realidade. Em Janeiro de 2010, registámos um súbito aumento de energia no centro de… Portugal, isso mesmo. Lá encontrámos um homem que veio de outra dimensão. Foi interrogado por nós e disse que era um físico que estava a tentar estudar viagens no tempo.  Pouco tempo depois, todos os soldados que o capturaram começaram a morrer. E se você bem se lembra, foi em Portugal que começou a pandemia. Assim…

- É inacreditável! Mas…. Isso explica as variabilidades no complexo de golgi a capacidade de armazenamento de… Mas, porque me estão a dizer isto?

- Porque você vai ter que ir até à dimensão do físico, saber porque é que ele é imune e depois voltar para aqui com a cura.

- Isso foi para rir… Porque é que não lhe perguntam isso a ele?

- Porque pouco depois de ser capturado fugiu do complexo de segurança, mas esqueceu-se do dispositivo que lhe colocámos no pé. Quando fugiu o alerta foi dado, e o dispositivo era um explosivo. Conclusão, não lhe fizemos as perguntas todas.

O doutor Albert estava agora pálido e boquiaberto.

- Mas eu não faço isso. Não quero ir a um universo paralelo. Eu posso tentar fazer hibridação de DNA com a espécie mais próxima e quem sabe podemos descobrir a cura em alguns meses.

- Não temos alguns meses, e mais. Isto não é um convite, é uma ordem. Outra ordem, é eu dizer ao agente Sanders que pode disparar sobre uma Rachel e Kate Cameron. Acho que as conhece bem… Se não estou em erro são respectivamente a sua mulher e filha…

- Seus sacanas!

- A sua missão é simples! Será escoltado até Portugal, onde irá até ao portal. Lá viaja até à realidade do físico e depois volta com a cura. Fácil!

 

Ano 2491, 21 de Setembro. O Sol está a morrer! A transformação desta estrela numa anã vermelha ameaça engolir a Terra num espaço de 50 a 150 anos. As previsões científicas que o Sol duraria mais 5 milhões de anos estavam erradas. Numa tentativa desesperada, o governo mundial ordena que toda a população embarque em cruzeiros espaciais e iniciem uma jornada para fora do sistema solar até à estrela TrES-2 na constelação de Draco que tem um planeta habitável. Quando a ultima nave descolou do quadrante 34, onde em tempos esteve o continente asiático, Erik Barbosa viu os últimos jactos de hidrogénio serem expelidos pelos propulsores. Pousou os binóculos, olhou para o relógio e pensou “Só espero ainda ter tempo! Se o cientista da WUEC (Worldwide Universe Exploration Center) não me enganou, o pórtico de salto quântico fica onde em tempos foi Portugal. “

                Já a caminho de Portugal, foi acordado do sono pelo piloto automático da nave: “Dr. Erik, vou iniciar manobras de aterragem nas coordenadas fornecidas.” Ele levantou-se da cadeira e foi tomar um banho, pois não sabia quando voltaria a tomar um. Entrou no compartimento de banhos da nave e olhou-se ao espelho, quando uma dor forte na cabeça e uma luz intensa brilhou ao ponto de sentir os olhos a arder.

“… O jornal que Erik tinha nas mãos estava datado 19 de Setembro de 2491, Catarina a sua mulher estava com os olhos inchados de tanto chorar: - Erik, eu fico contigo! – Catarina, lamento, mas não podes. Todos os que ficarem estão condenados a uma morte cruel, envenenados por ventos solares, e tu não mereces ficar aqui. Tens uma vida à tua frente. – Mas eu amo-te Erik! Por favor, pede ao presidente do governo mundial porra, tu desenhaste as naves em que todos vão escapar. – Eu também te amo, mas ele foi peremptório, só eu podia ficar para desactivar o escudo interplanetário de defesa de asteróides. – Eles que desliguem das naves! – Catarina, sabes bem que não é possível fazer isso sem ser na terra. Por muito que te ame, sei que conseguirás ser feliz em TrES-2. E assim, no dia seguinte Erik despediu-se de Catarina com o coração despedaçado, mas com o sentimento que não lhe negou uma vida feliz e próspera. Sabia que a dele seria monótona se não conseguisse atingir o pórtico…”

                Quando acordou olhou à sua volta e voltou a ver o compartimento de banhos, lentamente a visão ganhou foco e Erik, tomou o banho mais reconfortante da vida. Quando aterrou perto do pórtico lembrou-se das palavras do cientista. – Nesse local não há tempo-espaço, as coisas não envelhecem, apenas são, existem. São inertes, confundem-se com o meio envolvente, por isso, o que vires à chegada è um holograma da realidade.

                -OK, a minha missão não é fácil, tenho que saltar pelo multiverso, entrar numa realidade paralela, encontrar a Catarina daquela realidade, e trazê-la para aqui. Os 50 anos que restam a este planeta ainda darão para eu ser feliz…

 

Photobucketfree counters
Free countersPhotobucket

Additional Hints (Decrypt)

Cbagb vapvny - Cebphen bf thvõrf ab ghob
Cnffnqb (vagrezéqvb)- Á ivfgn, craqhenqb an cnerqr
Cerfragr (vagrezéqvb)- Cregb qn áeiber, qronvkb qr hznf gryunf
Shgheb (vagrezéqvb)- Nb ynqb qb nezáevb

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.