Skip to content

This cache has been archived.

Bitaro: Esta geocache foi arquivada por falta de uma resposta atempada e/ou adequada perante uma situação de falta de manutenção.
Relembro a secção das Linhas de Orientação que regulam a manutenção das geocaches:

O dono da geocache é responsável por visitas à localização física.

Você é responsável por visitas ocasionais à sua geocache para assegurar que está tudo em ordem para funcionar, especialmente quando alguém reporta um problema com a geocache (desaparecimento, estrago, humidade/infiltrações, etc.), ou faz um registo "Precisa de Manutenção". Desactive temporariamente a sua geocache para que os outros saibam que não devem procurar a geocache até que tenha resolvido o problema. É-lhe concedido um período razoável de tempo - geralmente até 4 semanas - dentro do qual deverá verificar o estado da sua geocache. Se a geocache não estiver a receber a manutenção necessária ou estiver temporariamente desactivada por um longo período de tempo, poderemos arquivar a página da geocache.

Se no local existe algum recipiente por favor recolha-o a fim de evitar que se torne lixo (geolitter).

Uma vez que se trata de um caso de falta de manutenção a sua geocache não poderá ser desarquivada. Caso submeta uma nova será tido em conta este arquivamento por falta de manutenção.

Obrigado pela colaboração
Bitaro
Community Volunteer Reviewer

Centro de Ajuda
Trabalhar com o Revisor
Revisões mais rápidas
Linhas Orientação|Políticas Regionais - Portugal

More
<

Lusitani: Grande Porto

A cache by Drive-In Team Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 03/18/2012
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Lusitani: Grande Porto

  Com uma área total de 1024 Km²,abrangendo 11 concelhos e cerca de 1400000 habitantes, o Grande Porto tem como “centro” a cidade Invicta mas cada um dos seus concelhos tem características ímpares que fazem desta uma área bastante rica. Vamos saber um pouco mais sobre cada um deles.

  Espinho tem 21,11 Km² e quase 32000 habitantes, e é composto por 5 freguesias: Anta, Espinho, Guetim, Paramos e Silvalde. Por estas freguesias podemos usufruir, além das praias que são o cartão-de-visita do concelho, de piscinas, de um casino, um aeródromo, do mais antigo campo de golfe da Península Ibérica, do Fórum de Arte e Cultura (FACE), do balneário Marinho de Talassoterapia que é único no país, Ténis, Hipismo, eventos culturais (de destacar o Festival Cinanima e o Festival de Folclore),e se quisermos podemos ainda fazer umas compras na maior feira semanal de Portugal, à 2ª feira junto ao Centro Multimeios.
Vale a pena a visita à zona piscatória, com suas casas e costumes, e percorrer as ruas da cidade de Espinho, organizadas em quadrados simétricos e cuja toponímia é numérica, e saborear a gastronomia local, ligada ao mar tal como o próprio município (de salientar o Camarão de Espinho, a Caldeirada de Peixe e a Sopa de Peixe).
  Este concelho tem 131,87 Km² e cerca de 168000 habitantes, em 12 freguesias: Baguim do Monte, Covelo, Fânzeres, Foz do Sousa, Jovim, Lomba, Medas, Melres, Rio Tinto, São Cosme, São Pedro da Cova e Valbom.
Conhecido pela arte da ourivesaria e associado principalmente à filigrana, este município tem muito mais para oferecer aos seus visitantes. Além das margens do Douro que banham 32 km da sua área, com várias praias fluviais e lindas paisagens, Gondomar tem muito património natural que merece visita, principalmente ao longo dos rios Ferreira e Sousa. Recomendamos a visita ao Monte Crasto, belo miradouro natural com 194 metros de altura, à Fundação Júlio Resende e ao cavalete do poço de S. Vicente (nas antigas minas de carvão de S. Pedro da Cova).Em termos gastronómicos não poderíamos deixar de referir o Sável e a Lampreia, reis da festa com o mesmo nome sempre presentes entre Janeiro e Abril, e o caldo de nabos, ligado à tradição agrícola do município e que se come principalmente em Setembro e Outubro, altura das festas em honra de Nossa Sra. do Rosário.

  Com mais de 135000 habitantes e 83,14 Km², a Maia tem 17 freguesias: Águas Santas, Avioso(S. Pedro), Avioso(Santa Maria), Barca, Folgosa, Gemunde, Gondim, Gueifães, Maia, Milheirós, Nogueira, Pedrouços, S. Pedro de Fins, Silva Escura, Vermoim, Vila de Moreira e Vila Nova da Telha.
Tem diversos pontos de interesse, dos quais se podem destacar o Jardim Zoológico, os diversos parques do concelho - como por exemplo o Parque de Avioso ou o de Moutidos; as Quintas da Gruta e da Caverneira; museus e outros espaços culturais, como o Museu de História e Etnologia da Terra da Maia ou o Fórum da Maia, que acolhe todos os anos a exposição World Press Photo; e alguns moinhos fluviais ainda existentes (os de Ardegães e Alvura).
Em termos gastronómicos podemos apreciar neste concelho por exemplo Bacalhau à Lidador, Rojões com castanhas, Cozido à Portuguesa, Arroz de Pica no Chão e Cabrito assado à Maiata.

  Matosinhos tem mais de 175000 habitantes e uma área de 62,24 Km². É um município com 10 freguesias: Custóias, Guifões, Lavra, Leça do Balio, Leça da Palmeira, Matosinhos, Perafita, Santa Cruz do Bispo, São Mamede de Infesta e Senhora da Hora.
Apesar de muito ligado ao mar e com tradições rurais e piscatórias, este município é também muito industrializado, albergando mesmo na sua área o maior porto artificial de Portugal, o Porto de Leixões.
Dignos de visita são, além das suas praias, monumentos como os Tanques Romanos de Angeiras e Villa do Fontão, a Necrópole Medieval de Montedouro, o Mosteiro de Leça do Balio, as diversas pontes antigas (Ponte da Pedra, Ponte do Carro, Ponte de D. Goimil…), o Castro de Guifões e o Obelisco da Praia da Memória, entre muitos outros pontos de interesse histórico e paisagístico.
O peixe é o cartão-de-visita de Matosinhos, destacando-se os seus peixes frescos grelhados em carvão, a Açorda de Marisco, o Arroz de Tamboril, a Caldeirada e os Mexilhões à moda de Leça.

  Com mais de 237500 habitantes em 41,29 Km², o Porto é composto por 15 freguesias: Aldoar, Bonfim, Campanhã, Cedofeita, Foz do Douro, Lordelo do Ouro, Massarelos, Miragaia, Nevogilde, Paranhos, Ramalde, Santo Ildefonso, São Nicolau, Sé e Vitória.
Em visita a este município é imperdível a visita ao centro histórico, património Mundial da UNESCO, à catedral da Sé, à Casa da Música, a subida à Torre dos Clérigos, um passeio pelo Douro para apreciar as suas pontes, ou simplesmente um passeio a pé pelas ruas da cidade, apreciando cada pormenor dos seus edifícios e das suas gentes, terminando com uma ida de elétrico até à Foz, apreciando a paisagem junto ao Douro.
Em termos gastronómicos a não perder temos por exemplo as famosas Tripas à Moda do Porto, a igualmente típica Francesinha, o Bacalhau à Gomes de Sá e o Cabrito Assado.

  Numa área de 82,05 Km² e com mais de 63000 habitantes, o Concelho da Póvoa de Varzim é constituído por 12 freguesias: Aver-o-Mar, Aguçadoura, Amorim, Argivai, Balasar, Beiriz, Estela, Laúndos, Navais, Póvoa de Varzim, Rates e Terroso. Esta é uma terra muito ligada ao mar, cheia de lendas e tradições, como as Siglas Poveiras, escrita poveira antiga ainda visível em locais como a Igreja Matriz e a Igreja da Lapa mas ainda utilizada nos dias que correm, principalmente por famílias de pescadores. Além da visita aos locais onde se mantém esta tradição antiga recomendamos também a visita aos campos de masseira, um modo de agricultura único no mundo e em riscos de extinção que subsiste ainda em freguesias como Estela e Aguçadoura, e às incontornáveis praias do município.
Também em termos gastronómicos o município está claramente ligado ao mar, e como pratos a destacar tempos por exemplo a Caldeirada de Peixe, o Arroz de Sardinha e a Pescada à Poveira.

  Numa área de 136,5 Km², Santo tirso tem cerca de 71500 habitantes em 24 freguesias (Agrela, Água Longa, Areias, Burgães, Carreira, Guimarei, Lama, Lamelas, Palmeira, Rebordões, Monte Córdova, Refojos de Riba de Ave, Reguenga, Roriz, Santa Cristina do Couto, Santo Tirso, São Mamede de Negrelos, São Martinho do Campo, São Miguel do Couto, São Salvador do Campo, São Tomé de Negrelos, Sequeirô, Vila das Aves e Vilarinho). Recomenda-se a visita aos inúmeros mosteiros (Mosteiro de S. Bento, de Roriz, de Santa Escolástica, de Singeverga-conhecido pelo Licor de Singeverga, aqui produzido artesanalmente pelos frades beneditinos), ao Castro do Monte Padrão e ao Monte de Nª Senhora da Assunção.
Em termos gastronómicos, recomendamos a Feijoada, o Arroz de Pica no Chão, a Vitela Assada em forno de lenha e os deliciosos Jesuítas.

  Com cerca de 39000 habitantes e 71,88 Km²,o município da Trofa é composto por 8 freguesias (Alvarelhos, Covelas, Guidões, Muro, São Mamede de Coronado, São Martinho de Bougado, São Romão do Coronado e Santiago de Bougado).
Recomenda-se a visita ao Marco Miliário da Estrada Romana Bracara-Cale (Braga-Porto), ao Castro de Alvarelhos, aos Montes de Santa Eufémia e de São Gens de Cidai, à Azenha de Bairros, à Ponte da Corredoura e aos inúmeros exemplares de património religioso existentes nesta região.
A nível gastronómico encontramos nesta região sabores fortes, como o do Caldo Verde, dos Rojões, das Papas de Sarrabulho e do Cozido à Portuguesa, e podemos destacar nas doçarias o Bolo da Trofa.

  O município de Valongo tem quase 94000 habitantes, distribuídos pelos seus 75,13 Km² e 5 freguesias (Alfena, Campo, Ermesinde, Sobrado e Valongo). Quem visita este município pode conhecer algumas das suas pontes antigas (Pinguela, Arcos, Ferreira, Balsa…), passear num dos seus parques ou pelas Serras (Santa Justa e Pias), com o seu parque paleozoico e as suas belas paisagens. Recomendamos vivamente uma visita à Aldeia de Couce e ao que resta dos moinhos antigos das margens do Rio Ferreira.
Em termos gastronómicos encontramos os pratos típicos nortenhos, como o Cabrito, a Vitela e o Arroz de Cabidela, e também o pudim de pão e a conhecida regueifa de Valongo.

  Vila do Conde tem cerca de 79500 habitantes e uma área de 148,97 Km². É subdividido em 30 freguesias: Arcos, Árvore, Aveleda, Azurara, Bagunte, Canidelo, Fajozes, Ferreiró, Fornelo, Gião, Guilhabreu, Junqueira, Labruge, Macieira, Malta, Mindelo, Modivas, Mosteiró, Outeiro Maior, Parada, Retorta, Rio Mau, Tougues, Touguinha, Touguinhó, Vairão, Vila Chã, Vila do Conde, Vilar e Vilar do Pinheiro.
Neste município recomenda-se a visita ao Convento de Santa Clara, à Cividade de Bagunte, ao Aqueduto de Vila do Conde, à Capela de Nossa Senhora do Socorro, invulgar e com belíssimas vistas sobre o Ave, à Nau quinhentista e também um passeio pela costa ou pela beira-rio.
Em termos gastronómicos encontramos o reflexo da vida ligada ao campo e ao mar, com diversos peixes (de destacar a Petinga à moda das Caxinas) e também carnes, como o Cabrito Assado. Podemos também saborear doces conventuais e a bem tradicional rosca de folar da Páscoa.
  Vila Nova de Gaia é um município com cerca de 302000 habitantes e uma área de 168,66 km2, dividida por 24 freguesias: Arcozelo, Avintes, Canelas, Canidelo, Crestuma, Grijó, Gulpilhares, Lever, Madalena, Mafamude, Olival, Oliveira do Douro, Pedroso, Perosinho, São Félix da Marinha, São Pedro da Afurada, Sandim, Santa Marinha, Seixezelo, Sermonde, Serzedo, Valadares, Vilar de Andorinho e Vilar do Paraíso.
Quem vem a este concelho não pode abdicar de uma visita às caves do Vinho do Porto, seguida por uma subida à Serra do Pilar ou de um passeio à beira-rio apreciando as belíssimas vistas sobre o Porto, em direcção à Foz e aos 15 km de praias (tendo em 2011 18 delas Bandeira Azul). Recomendamos também a visita ao Sr. da Pedra, lindíssima capela erigida sobre uma rocha à beira-mar.
Para comer podemos recomendar os peixes (Arroz de Lampreia, Sável Assado no Espeto, Sardinha assada), as Tripas à Moda do Porto, e não podemos deixar de referenciar a Broa de Avintes.

A cache:

 

Não se encontra no tabuleiro da ponte, mas sim no nível mais abaixo, praticamente debaixo do mesmo.
Escolhemos um local que por si só não tem nada a referenciar, a não ser uma belíssima vista sobre a cidade do Porto e a foz do Douro.
Vão procurar um container de tamanho small, com lápis e itens de troca, e contém como capa do logbook uma folha especial com um número. Por favor anote este número e o nome da cache. Juntando todos os códigos das 30 caches parciais, conseguirá obter as coordenadas da localização da cache final Lusitani, que está escondida algures em Portugal.

Para dúvidas ou esclarecimentos relativos ao projecto global das caches Lusitani, pode contactar os responsáveis pelo projecto: GeoDuplaP&F.

 

Translation

 

Additional Hints (Decrypt)

Qroehçn-gr.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.