Traditional Geocache

#4 APT Cucos - Trilho da Agua I

A cache by PinguinTeam, SargeBTT e Enaoene Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 6/25/2012
In Lisboa, Portugal
Difficulty:
4 out of 5
Terrain:
3 out of 5

Size: Size: not chosen (not chosen)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


 

Esta cache está incluída no Adventure Powertrail dos Cucos.

Apenas é possível percorrer o powertrail a pé, com uma extenção de 6 Km e de dificuldade média, devido aos diversos tipos de terreno. Entre os quais: pedras, mato de médio crescimento, desníveis acentuados e estradas de terra batida.

 

Dentro de algumas caches estará um código que deverão apontar, que levará a descobrir a cache Mistério do Powertrail.

Este PT é constituído por 15 Geocaches, foi pensado para amantes da Natureza e dá a visitar locais e paisagens junto ás Termas dos Cucos.

 

 

 

 

 

 

Subida acumulada: 242m

Diferenças de Altitudes:120m (Altitude de 34m para 154m)

 

Ao longo do percurso vão encontrar caches que já se encontravam no local, sendo elas:

“A Caverna” GC1NCHH,

“Zona de Caça II” GC2EGJH,

“Quinta de Santo António do Carrascal” GC2DHGE,

“Cucos Valley [Torres Vedras]” GCZ5JP

 

 

 

 

 

 

 

O percurso deve ser feito por ordem das caches, ele foi feito para guiar os geocachers através dos trilhos certos. Ao inverter o sentido do mesmo, a experiência não será a mesma e perde o sentido de aventura pretendido.

Devem fazer o download do track do percurso aqui--> GPSies - Adventure PT dos Cucos

Este track será uma grande ajuda durante o percurso, já que nem todos os trilhos serão bem visíveis.

Este Power Trail (PT) surgiu da ideia de quatro Geocacher’s que desfrutam ao máximo o Geocaching, nomeadamente o que se realiza em contacto com a Natureza. Tendo já efectuado alguns PT’s, tivemos a ideia de criar um na nossa bela localidade, Torres Vedras, e nada melhor que no coração verde da cidade, os Cucos!

 

Sobre as Termas dos Cucos

Descrição: C:\Users\Screwed_core\Pictures\Geocaching\Cucos Powertrail\1965562890_bfc9e7bd92.jpgÉpocas termais - As termas encontram-se encerradas sem data prevista para reabertura.

Indicações - Reumatismo, doenças da pele e da nutrição, tratamento da gota, artrite-reumática, linfantismo e doenças das senhoras, particularmente metro-anexites. As lamas empregam-se nas afecções do aparelho locomotor tendo por origem a gota, doenças metabólico-endócrinas, reumáticas e músculo-esqueléticas.

Tratamentos/ caracterização de utentes - Balneoterapia com banhos de lama, inalações e ingestão de água. Apesar das suas características e dos tratamentos com lamas próprias, caso único no actual panorama do termalismo entre nós, o número dos seus frequentadores, pelo menos depois da década de 30, nunca foi muito elevado.

Descrição: C:\Users\Screwed_core\Pictures\Geocaching\Cucos Powertrail\DSC00692.JPG

Instalações/ património construído e ambiental - Inaugurado em 15 de Maio de 1893, o complexo termal dos Cucos, com traça do engenheiro António José Freire, por encomenda do proprietário José Gonçalves Dias Neiva. Mas em 1892 já o novo estabelecimento balnear se encontrava a trabalhar em fase experimental, que Lopes (1892) elogia e descreveu: “O seu primeiro pavimento – das piscinas – situado a 3,4m abaixo do nível do solo, consta de três salas: duas para banhos de lama, tendo um, quatro piscinas e outras três, ambas com as competentes tinas de lavagem; e a terceira com duas divisões, das quais uma tem cinco tinas e outras quatro, destinadas aos banhos de 3ª classe. Neste pavimento, e num plano superior, estão instaladas ainda duas tinas, salas de inalações, maquinismo e a casa de engarrafamento das águas minerais. Há, ainda, um salão de espera e a elegante buvete com duas torneiras para água, fria ou quente.
No rés-do-chão, 1,5m acima do solo, estão estabelecidas, em gabinetes elegantes e confortáveis, as tinas para banho de imersão, em número de doze, os duches vaginais, perenais e rectais, e as de hidroterapia, com todo os aparelhos aperfeiçoados conhecidos até hoje.”.
São sete
as nascentes existentes no parque dos Cucos: a dos Cucos Novos e Cucos Novos Fria localizam-se sob o balneário; a dos Cucos Modernos, fornece a buvete; A das Lamas no fundo de um poço para captação de lamas; A dos Cucos Velhos e do Olival não utilizadas. A sétima nascente encontra-se à entrada do parque e era de uso popular para doenças de pele e estômago, denominada dos Coxos ou dos Coches (como é actualmente mais conhecida).

Actualmente todas as dependências do complexo termal se encontram encerradas: Balneário, capela, mina de lamas; buvete; restaurante e pensão. Aberto e para usufruto da população está o agradável parque termal.

 

O projecto que pretendia ser completamente inovador em serviços termais e de lazer, previa a construção do Balneário, Hotel, Casino, 40 moradias num parque termal que contava ainda com uma capela e mercado.

Em 1893 era inaugurado o estabelecimento termal, três anos depois foi a vez do Casino, segue-se lhe o Hotel, bem mais modesto do que o edifício programado de 300 quartos, das moradias projectadas concretizaram-se duas, construí-se também a capela e oficinas de preparo de lamas e de águas.
Ao fundo de uma alameda arborizada, que haveria de definir o eixo da vila termal encontra-se o balneário, com a sua fachada neo-clássica

Um dos grandes problemas destas termas era a poluição do rio Sizandro, fornecendo um ambiente carregado de cheiros nauseabundos provocados por esgotos domésticos e industriais. O perigo situa-se, principalmente, junto à mina de lamas termais, já que o muro de separação desta com o leito do rio está em deficiente estado de conservação, perdendo-se parte do recurso.


Em 1996 foi efectuado um novo furo de captação de águas termais, comprovativo de que as características hidromedicinais das águas se mantinham, projectava-se a construção de um novo balneário, destinando as instalações existentes para outros fins: “…já sabemos que temos água suficiente e de qualidade para expandir o negócio”, dizia Hélder Pinto Santos, administrador da sociedade formada por herdeiros da Família Neiva, ao repórter do JN em 1 de Agosto de 1999, justificando a razão porque não abriam as termas nesse ano, mas não voltaram a abrir até ao presente (2012), nem foi iniciada nenhuma obra dentro da propriedade.
Entretanto o rio Sizandro foi objecto de grandes obras de regulamentação das suas margens e tratamento de afluentes.

Embora as termas não tenham data prevista de reabertura, o seu parque continua a ser local eleito para passeios e lazer dos habitantes da região.

Texto retirado http://www.aguas.ics.ul.pt/lisboa_cucos.html

 

Este trilho foi e continua a ser aberto pela agua e motas que por aqui passam, o mesmo é surpreendente pela sua extenção e beleza. Em pleno inverno a dificuldade do terreno sobe um pouco por causa do fluxo de água e o terreno fica muito escorregadio.

 

A cache não contém material de escrita!

Additional Hints (Decrypt)

An gbpn

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

232 Logged Visits

Found it 226     Didn't find it 1     Temporarily Disable Listing 1     Enable Listing 1     Publish Listing 1     Needs Maintenance 1     Owner Maintenance 1     

View Logbook | View the Image Gallery of 14 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated: on 4/9/2017 1:59:59 PM Pacific Daylight Time (8:59 PM GMT)
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum