Skip to Content

This cache has been archived.

Bitaro: Esta geocache foi arquivada por falta de uma resposta atempada e/ou adequada perante uma situação de falta de manutenção.
Relembro a secção das Linhas de Orientação que regulam a manutenção das geocaches:

O dono da geocache é responsável por visitas à localização física.

Você é responsável por visitas ocasionais à sua geocache para assegurar que está tudo em ordem para funcionar, especialmente quando alguém reporta um problema com a geocache (desaparecimento, estrago, humidade/infiltrações, etc.), ou faz um registo "Precisa de Manutenção". Desactive temporariamente a sua geocache para que os outros saibam que não devem procurar a geocache até que tenha resolvido o problema. É-lhe concedido um período razoável de tempo - geralmente até 4 semanas - dentro do qual deverá verificar o estado da sua geocache. Se a geocache não estiver a receber a manutenção necessária ou estiver temporariamente desactivada por um longo período de tempo, poderemos arquivar a página da geocache.

Se no local existe algum recipiente por favor recolha-o a fim de evitar que se torne lixo (geolitter).

Uma vez que se trata de um caso de falta de manutenção a sua geocache não poderá ser desarquivada. Caso submeta uma nova será tido em conta este arquivamento por falta de manutenção.

More
<

Antigas Casas Florestais - O abandono

A cache by Enigm@Team Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 10/11/2012
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size: regular (regular)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Em locais estratégicos, normalmente rodeados de floresta e de tudo o que de mais natural existia, foram construídas em tempos áureos as casas florestais. Durante décadas, os Guardas-Florestais, actualmente incluídos na GNR, habitavam juntamente com as suas famílias, estas casas tão bem projectadas, construídas e localizadas. Ali viviam e enquanto o pai trabalhava percorrendo toda a sua área geográfica denominado de Cantão, importunando os prevaricadores e conversando com os restantes moradores, a esposa ainda cultivava a horta e fazia a lida de casa, madrugando e despachando os filhos para a escola. Em alguns casos, ainda sobrava tempo para criar uns galos, coelhos e até o porco. As lareiras fantásticas que estas casas possuíam eram um convite à produção de fumeiro, que sabia tão bem comê-lo junto às brasas…
Ah, este fumeiro era defumado com a lenha de árvores que secavam e que existiam nas imediações da casa, bem como de giesta que teimava em invadir estas áreas, mas não conseguia… Ninguém conhecia melhor a área do que o guarda-florestal, pois passava diariamente nos caminhos, via o coelho correr, a árvore crescer, o fogo a surgir e até o criminoso a fugir. Como eram homens à antiga, tinham rigor e funcionavam como “gestores” dessas áreas, embora sujeitos às ordens dos Serviços Florestais, tinham autonomia para deixar que um pobre cortasse dois pinheiros que o vento ou a neve arrancou e os transportasse para casa para aquecer os seus filhos. Desta forma, satisfaziam-se as vontades e necessidades da população e mantinham-se as florestas mais limpas. As próprias pragas florestais como escolitídeos, nemátodo, ou mesmo a processionária, eram controladas indirectamente pelo povo e pelo guarda-florestal. Como esta autoridade se deslocava a pé (e não tinha ajudas de custo, subsídio de deslocação, nem motorista), para além de não poluir o ambiente, o “potencial prevaricador” estava constantemente com receio de ser surpreendido pelo conhecimento e astúcia destes homens. Também na fiscalização da caça e da pesca, o guarda-florestal podia aparecer a qualquer momento e isso causava algum incómodo a quem estivesse a transgredir. O guarda, dada a sua simples natureza, tanto poderia aparecer e apreender todo o material de caça/pesca, caso a situação a isso obrigasse, como poderia ajudar o caçador ou pescador a acabar com a sua merenda e cantil de vinho. Mais tarde, o nosso (des)governo optou por concentrar os guardas em equipas agora integradas na GNR, fazendo assim, todo o trabalho e fiscalização ligado à fileira florestal (???). Estas casas eram, e são ainda hoje de uma construção interessante e dada a sua localização, deveria ser pensado um aproveitamento para elas, isto, antes de as deixar ao total abandono e à vontade voraz de inúmeros energúmenos que existem por todo o lado apenas para destruir. A maioria destas, encontram-se vandalizadas, sem janelas, portas nem telhado. Algumas até foram queimadas. Porquê? Não sei, assim como também não encontro motivos suficientes para justificar a vida de quem fez tal serviço. Felizmente, existem algumas que foram restauradas para diversos fins, principalmente, para o turismo, só que são muito poucas e nenhuma neste concelho. Em tempo de crise, muitos portugueses optariam por um convívio pleno com a natureza, se estas casas estivessem restauradas e com condições de serem alugadas a preços simbólicos.
As associações de caçadores e pescadores também poderiam ter as suas sedes aqui instaladas, com condições tais, que permitissem grupos de caçadores que frequentassem essas áreas, a usufruir das mesmas ou apenas para se recolherem em dias rigorosos de Inverno. Permitiriam também o acolhimento de campistas, caminheiros, ou simples amantes da natureza. Estas casas, construídas pelo povo, para o povo, serviriam assim o povo e em todo o país existiria este tipo de infra-estruturas que poderia ser uma boa forma para incrementar nos portugueses, principalmente, nos mais “urbanos” um espírito mais ambientalista e naturalista. Poderiam ainda, servir de apoio aos Bombeiros Voluntários, onde para além de terem algum material de combate, poderiam utilizar como locais de descanso e vigilância. E porque não para apoio a actividades de geocaching? Estimam-se em cerca de 1100 antigas casas de guardas florestais existentes nas áreas protegidas e matas nacionais, destas, apenas cerca de 30 se encontram recuperadas e são utilizadas para turismo da natureza, actividade para a qual foram regulamentadas. A grande maioria está devoluta e apresenta um adiantado estado de degradação A maior parte das casas de guardas florestais encontra-se em ruínas apesar deste património do Estado ter sido convertido, através de legislação em 1999, em casas- abrigo, destinadas a alojar turistas e a promover actividades de contacto com a natureza. O convite é para visitar-mos duas dessas casas, agora ao abandono, pilhadas por várias vezes e que nos fazem pensar no pais em que estamos... A CACHE: Trata-se de uma multi-cache, com uma micro inicial e uma cache final. Na micro-cache encontrará apenas as coordenadas para o próximo waypoint. O trajecto poderá ser feito a pé, cerca de 4 KM, mas poderá optar por viatura entre os pontos.
Aproveite para ver a fauna e flora da serra, aprecie as barragens, o cheiro puro da natureza, e com alguma sorte, fotografe os veados que proliferam por estas paragens. No verão, mergulhe nas águas cristalinas da Praia fluvial da Louçainha, e aproveite para fazer um piquenique no parque adjacente ás piscinas naturais!... se gostou do desafio, faça desta cache FAVORITA... isso motiva-nos para o próximo projeto... que vai ser... DEMAIS!!!

Additional Hints (Decrypt)

1- Crqen ab zheb. Ab ybpny nffbovr, ireá dhr cbqr nwhqne.
2- Qrageb qb "sbeab", whagb nb gryunqb...

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

84 Logged Visits

Found it 62     Didn't find it 4     Write note 5     Archive 1     Temporarily Disable Listing 1     Publish Listing 1     Needs Maintenance 4     Owner Maintenance 5     Post Reviewer Note 1     

View Logbook | View the Image Gallery of 8 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated:
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.