Skip to content

This cache has been archived.

JT&SM: Por falta de tempo vou desativar a cache.

More
<

Vamos aos ninhos no Dique dos Vinte

A cache by JT&SM Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 12/12/2012
Difficulty:
5 out of 5
Terrain:
4 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:

A Cache Nas coordenadas iniciais (1º ponto)deixem o carro,atenção ao horário do sinal de trânsito,não quero que ninguém seja multado,neste local tem de procurar um utensílio e forma de seguir para o próximo local (2º ponto),chegados ao ponto seguinte tem de procurar outro utensílio e forma de seguir até ao (3º ponto) GZ final. Tentem não ir sozinhos pois podem precisar da ajuda de 1,82m

Vamos aos ninhos Quando tinha ai os meus 10 ou 11 anitos cheguei a vir aqui para estas bandas aos ninhos com o meu pai ou com o meu avô,quem se lembra desses tempos?Coisa que hoje em dia já poucos pais ou avós passam aos seus filhos ou netos,felizmente tive a oportunidade de fazer parte desses tempos,nos dias que correm os ninhos que procuramos são outros,espero que gostem de procurar ninhos como eu gostava e continuo a gostar.

O Ninho

 

O ninho tem como função principal a proteção dos ovos e das crias quer das condições atmosféricas desfavoráveis quer de inimigos naturais.
  O ninho evoluiu ao mesmo tempo que evoluíram as aves. As aves começaram por depositar os ovos no solo ou sobre materiais em decomposição, tal como os répteis. À medida que a temperatura do seu corpo se estabilizou, deixaram de depender do calor externo para incubar os próprios ovos. Durante a incubação há também uma maior protecção e vigilância.
   As aves cujas crias nascem num estado de desenvolvimento avançado e que abandonam muito cedo o ninho, construem-no sem demasiados cuidados, no solo ou em alguma plataforma rochosa. Se as crias nascem praticamente num estado embrionário e permanecem durante muito tempo no ninho, necessitam de uma melhor proteção. Algumas procuram cavidades naturais enquanto outras constroem os ninhos com materiais bons isolantes térmicos. Muitas vezes procuram sítios de difícil acesso em árvores altas ou paredes escarpadas nas rochas.

                Tipos de ninhos

1 - Ninhos elementares
2 - Ninhos escavados
3 - Ninhos sobre o solo
4 - Ninhos nas árvores
5 - Ninhos nas paredes e escarpas
6 - Ninhos colectivos

 

Ninhos elementares - São os ninhos típicos dos pinguins, alguns gansos-patolas e corvos marinhos, a maioria das gaivotas, abetardas, noitibós, etc.
Algumas aves ocupam cavidades naturais outras nem isso colocam os ovos directamente no solo em qualquer local. Podem também escavar uma pequena cova ou amontoar pedras ou restos vegetais. Muitas vezes os próprios excrementos são depositados no ninho, formando um ninho de excrementos.

Ninhos escavados - Estes ninhos são escavados no solo e podem ter galerias de vários metros de extensão como é o caso dos abelharucos e o do guarda-rios. Utilizam o bico e as patas para escavar, normalmente um túnel recto que depois se alarga numa câmara onde incubam os ovos.
Estes ninhos estão bastante protegidos, quer do clima quer da maior parte dos predadores.

Ninhos sobre o solo - São muitas vezes utilizados pequenos ramos, restos vegetais, penas, etc., para construir uma plataforma onde colocam os ovos. Estes ninhos podem ser construídos em locais descobertos, como o ninho das gaivotas, mas outras são muito bem dissimulados entre a vegetação. As aves mais pequenas que fazem o seu ninho no chão, utilizam materiais como o musgo ou a lã para atapetar o interior do ninho.

Ninhos nas árvores - A grande maioria das aves constrói o ninho nas árvores. Muitos escavam ou aproveitam cavidades existentes nos troncos das árvores como por exemplo o pica-pau e o mocho, prospectivamente. É usual os ovos das aves que nidificam em cavidades serem completamente brancos uma vez que não necessitam de outra camuflagem.
Os ninhos construídos nas árvores variam muito quer no tamanho quer na técnica quer nos materiais usados na construção. Algumas aves localizam os seus ninhos na zona mais alta das árvores.
Algumas aves, como o tentilhão, forram o exterior do ninho com líquenes e outros vegetais para que o ninho seja mais difícil de detectar.
Um dos ninhos mais curiosos que conheço é o do papa-figos que por vezes parece uma pequena cesta pendurada na extremidade de uma ramo, numa ramificação do mesmo.

Ninhos nas paredes e escarpas - Muitas vezes estes ninhos são construídos com barro e terra como é o caso das andorinhas. A construção também pode ser de vegetais reforçada por barro.

Ninhos colectivos - As aves que constroem grandes ninhos coletivos como os republicanos da África do Sul, não existem entre nós. Mesmo assim, podemos encontrar ninhos coletivos de estorninhos, andorinhas e pardais. Tenho reparado que os pardais são "profissionais" para aproveitarem o ninho das cegonhas para a sua colónia.

Atenção

Para que todos tenham a oportunidade de fazer esta cache é importante que no regresso do GZ final deixem ficar tudo nos seus devidos lugares, se for necessário deixem uma marca no local dado como (2º ponto) obrigado a todos.


This page was generated by GeoPT Listing Generator

Additional Hints (Decrypt)

Nb purtnerf nb TM svany aãb gragrf fhove byun dhr cbqrf pnve

Yrirz zngrevny qr rfpevgn

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.