Skip to content

Pinhal do Rei - CCEMS - GO - #003 Multi-cache

Hidden : 04/03/2013
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
2 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


ENQUADRAMENTO DA CACHE

Esta multi-cache pretende dar a conhecer um pouco da história do Pinhal do Rei e da comunidade que o rodeia.


Surge na sequência da frequência de uma Ação de Formação para professores promovida pelo CCEMS (Batalha). A mesma foi frequentada por dois professores de Educação Física da ES Pinhal do Rei – Marinha Grande (Paula Abegão e Ricardo Oliveira), que no seu trabalho final, acharam por bem traduzir numa multi-cache, a importância que o Pinhal do Rei teve e continua a ter na comunidade local. Desta forma, outra comunidade, neste caso a família Geocacher, tem agora a possibilidade de revisitar alguns dos locais mais emblemáticos ligados ao Pinhal do Rei e conhecer um pouco da história do mesmo e da própria Marinha Grande.

HISTÓRIA

 1 - ESCOLA SECUNDÁRIA/3 DE PINHAL DO REI

ESPR

A Escola Secundária/3 de Pinhal do Rei situa-se numa zona suburbana da Marinha Grande, junto ao Ponto da Boavista, perto do Parque Municipal de Exposições.

Nasceu no dia 21 de Setembro de 1987, com o nome de Escola Secundária nº2 da Marinha Grande. O nome atual surgiu a 17 de Junho de 1994, inspirado no nome original do Pinhal de Leiria que cruza de Norte a Sul todo o concelho da Marinha Grande.

A escola encontra-se, desde a sua origem, associada ao Ponto da Boavista, pela proximidade e porque o adotou a nível de imagem e de simbologia.

2 - PONTO DA BOAVISTA

PontodaBoavista

Os pontos eram primeiramente pequenas barracas de madeira, nos sítios mais altos do Pinhal. Em cada um viviam permanentemente 2 homens (jornaleiros), incumbidos de vigiarem de dia e de noite o pinhal e de avisarem a administração em caso de incêndio. O ponto da Boavista, situado já fora da mata, não só vigiava o pinhal como transmitia mensagens (através de bandeiras – durante o dia, ou de sinais luminosos – de noite) aos 3 pontos no centro da mata.

O Ponto da Boavista foi erigido em finais do séc. XIX, em alvenaria e é o único que mantém a traça original.

3 - PARQUE DO ENGENHO

ParqueEngenho

É um recinto totalmente murado (foi mandado murar pelo Marquês de Pombal), com 25165m2, onde em 1724 foi instalado um engenho de serrar movido a vento, que lhe deu o nome – assim como à povoação que se foi formando à sua volta. Neste parque funcionaram vários serviços do pinhal, como fornos de destilação de resinosos, engenho de serra eólico, serrações mecânicas, uma capela, cavalariças, escola de guardas florestais, Grémio Florestal, Cooperativa Florestal, viveiros, campo experimental de estudos botânicos, parque de viaturas de tração animal e repartições administrativas. Existem ainda dentro do parque algumas vivendas onde residiram funcionários florestais.

Por volta de 1850 foi aí colocado o seu imponente portão em ferro forjado, que veio do Tribunal do Santo Ofício de Coimbra.

4 - FAPAE – FÁBRICA PORTUGUESA DE ARTIGOS ELÉCTRICOS, SARL

TorreFAFAE          FAPAE

Foi construída em março de 1943, na Marinha Grande, lugar do Engenho, para produção de ampolas de vidro para lâmpadas elétricas. Nesta fábrica também se produziu tubo, vareta e vidrite para casquilhos destinados à confeção de lâmpadas elétricas. Em 1949 foi galardoada com o prémio de Qualidade para a melhor lâmpada Philips produzida no mundo. Foi desativada em 1957. Presentemente, o que se mantém visível da fábrica original é a chaminé.

5 - EIRAS

Eiras

Um produto de vital importância para a economia da mata era (é?) o penisco (semente de Pinus Pinaster) utilizado para novas sementeiras de pinheiros. Esta semente era extraída das pinhas após o derrube dos pinheiros (bravos) aquando do corte final (aos 70 anos, mais ou menos), sendo as pinhas bem secas e abertas em grandes eiras existentes em Pedreanes.

A CACHE:

A distância entre o ponto inicial e o final ronda os 2 Km por estrada, sempre asfaltada ou empedrada, pelo que poderão realizar a cache de carro, de bicicleta ou mesmo a pé. Tendo em conta que a parte final da cache decorre numa estrada muito movimentada, pedem-se cuidados redobrados, principalmente se optarem por utilizar a bicicleta ou a vossa locomoção.

O estacionamento recomendado (caso optem pelo carro), para a descoberta do contentor final é o utilizado para a resposta à pergunta no waypoint 5. Caso optem for realizar o percurso a pé, podem estacionar junto ao waypoint 1 e fazer o restante percurso deixando aí o automóvel.

Para a descoberta da cache devem percorrer os 5 waypoints intermédios e neles realizar as tarefas solicitadas, com o propósito de obterem os valores A, B, C, D e E. A ordem pela qual os fazem é indiferente, mas o percurso foi traçado com o propósito da distância mais curta ser a percorrida se fizerem os pontos sequencialmente de “W1” até “W5”.

Os valores encontrados deverão então ser substituídos nos locais respectivos para obtenção da coordenada onde se encontra a cache física e o respectivo logbook.

Não esquecer que neste, apenas devem registar a data e o vosso nome. Todos os restantes comentários, críticas e sugestões, devem ser realizados aqui.

COORDENADAS DA CACHE FINAL

N 39 46.ABC

W 008 56.DE3 

Conteúdo Inicial - Stashnote e Logbook. Não tem material de escrita

Additional Hints (Decrypt)

J1 - cnerqr; J2 - Cbagb; J3 - Puãb; J4 - Rqvsípvb cnen yá qn tenqr pvamragn (ren ireqr, znf bf Znepvnabf nyregnenz-abf cnen n erpragr zhqnaçn); Fbzn qr pbagebyb J1+J2+J3+J4+J5 = 26 SVANY - "Fvkgrra Fgbar". Qrfrzoehyune n grvn cnen ybtne. Ergvene ncranf n gnzcn. Gncne orz qrcbvf qr ybtne r ibygne n rzoehyune n grvn.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)